Mindful Eating Nutrição

Gratidão

Luiza Camargo
Escrito por Luiza Camargo
Dia 6 de Janeiro é o dia da Gratidão.

Que tal iniciarmos com uma prática neste início de ano para cultivar mais gratidão ao longo de cada dia? A autora do livro “Como Domar um Elefante”, Jan Chozen Bays, sugere uma prática chamada Gratidão ao final do dia.

No final de seu dia, faça uma lista de cinco momentos que se sentiu grato. Você pode separar um local especial para escrever estes acontecimentos e ao final da semana, pode compartilhar com um amigo os seus momentos. Essa prática nos auxilia a desenvolver a gratidão e a notar os momentos com mais atenção e poder usufruir de cada um deles.

“No final de seu dia, faça uma lista de cinco momentos que se sentiu grato. Essa prática nos auxilia a desenvolver a gratidão e a notar os momentos com mais atenção e poder usufruir de cada um deles”

Cultivar a gratidão nos torna pessoas naturalmente agradecidas. Às vezes, no princípio, pode parecer forçado, no entanto continue a prática para cultivar todos os momentos que sente gratidão, isso ajuda a ter pensamentos mais positivos. Por outro lado, se cultivar os pensamentos negativos, como o sentimento de culpa, inveja ou crítica, esses estados mentais se tornam a nossa essência. A mídia e noticiários veiculam muitas informações negativas e também ruminamos alguns pensamentos mais difíceis, esse hábito de ouvir, ver, ler e pensar coisas negativas pode aumentar ainda mais a ansiedade.

Por isso, a prática da Gratidão ao final do dia pode ser uma poderosa ferramenta para cultivar pensamentos mais positivos, ajudar a orientar seu fluxo mental para o positivo e enxergar o lado bom das coisas. Vamos praticar a gratidão ao comer também?

O monge budista e escritor Thich Nhat Hanh, diz em “A Arte de Comer” que devemos comer com consciência plena e gratidão para merecermos a comida que recebemos.

Antes de iniciar sua refeição pare por um momento e observe sua comida, reflita como ela chegou até você, qual o preparo necessário para aquele alimento estar disponível e quantas pessoas e seres vivos participaram do processo para a comida estar pronta para você.

“Quando observamos com cuidado o trabalho que envolve produzir e preparar a nossa comida, a gratidão surge naturalmente. Foram tantas mãos envolvidas no ato de levar a nossa comida à mesa! ” – Thich Nhat Hanh.

Agradecer, comer com consciência e presente é uma deliciosa maneira de retribuir a esse alimento.

Boa prática!


Referência:
BAYS, JAN CHOZEN. Como Domar um Elefante. São Paulo: Alaúde Editorial, 2013.
HANH, THICH NHAT. A Arte de Comer. Rio de Janeiro: Agir, 2015.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Luiza Camargo

Luiza Camargo

Sou nutricionista e instrutora de mindfulness e mindful eating. Acredito na união da Nutrição, Mindful Eating, Mindfulness e Meditação. O alimento é um veículo para nutrir o corpo e a mente e, também, um reflexo de como lidamos com nossas vidas. Na minha trajetória sou pós-graduada em Obesidade e Emagrecimento e com especialização em Nutrição Desportiva. Realizei o treinamento em Mindful Eating-Conscious Living pela UCSD e Estratégias de Mindfulness pela MTI.

Contatos:

Site: luizacamargo.com/
Instagram: @luiza_camargo_mendes
Facebook: /luizacamargomendes