Terapia Anti Abuso Emocional

Como saber se o relacionamento é abusivo?

relacionamento abusivo
Silvia Malamud
Escrito por Silvia Malamud
Se acaso você estiver em um relacionamento onde frequentemente se sente acuado, sem liberdade de ser você mesmo, vivendo com receio de magoar ou de alterar o humor de sua parceria afetiva, atente-se aos detalhes de tudo o que vem ocorrendo, reveja como você estava antes de iniciar essa relação comparando com o seu estado atual. Se notar algum mal-estar, mesmo que seja intermitente, em hipótese alguma desqualifique o que sente e de imediato comece a observar objetivamente tudo o que tem passado com mais distanciamento.

Se ações antes comuns em sua vida têm ficado paralisadas, se você tem recuado evitando fazer as coisas mais corriqueiras que sempre fez e que sempre te deixaram feliz, como ficar em companhia de amigos queridos, muitas vezes de uma vida, em nome de manter um relacionamento, você pode estar confundindo o que é saudável, com aprisionamento de alma. Em relacionamentos saudáveis, o clima costuma ser de leveza, cumplicidade, empatia e liberdade. Será que o seu está caminhando nesse sentido?

Estar ao lado da pessoa que amamos vem por conta de uma escolha consciente. Escolhemos namorar, escolhemos casar, escolhemos estar com quem gostamos, ninguém nos mandou ou nos obrigou de estarmos com quem gostamos. Nenhuma relação pode funcionar na falta de confiança. Quem está junto com o outro, escolhe porque gosta. Sempre é uma escolha. 

Nos relacionamentos afetivos onde existe uma imposição tortuosa em nome de se estar junto para mostrar que se gosta, ou o que seja, tem como resultado, o retraimento da alegria de viver de um dos pares, onde as culpas e deveres inferidos, na maioria das vezes, são infundados. Se estiver passando por um relacionamento dessa ordem, observe se existe algo de imposição tirânica no ar, e se perceber algo, mesmo que seja de modo sutil e velado, não banalize. Relacionamentos abusivos são de difícil detecção, mas muito mais comuns do que podemos imaginar, se surgir algum ruído emocional nesse sentido, todo conhecimento sobre o assunto deve ser pesquisado.

Além dos conhecidos abusos físicos, hoje mais do que nunca, o alerta é para que todos fiquem atentos a um outro tipo de violência, atualmente configurada como abuso emocional. As marcas impressas por ambos se equivalem. 

relacionamento abusivo
A questão do abuso emocional, muitas vezes, confunde as vítimas por surgir em meio à manipulações e funciona como se fosse um vírus de difícil detecção que em pouquíssimo tempo mostra evidências da sua força, devastando a vida da maioria das pessoas. Na dúvida, observe também se você se vê obrigado a andar em trilhos desenhados por sua parceria afetiva mediante a uma lógica de terror que te ameaça de abandono se você ousar ser mais livre daquilo que lhe é imposto.

Observe se sentimentos de medo e de tristeza imperam e se os seus breves momentos de alegria ocorrem porque você não foi abandonado, e ainda se esses breves intervalos de paz apenas existem quando não está sendo ameaçado e outras vezes quando recebe uma brisa de um suposto carinho que até pode vir em forma de sexo, artimanha que engana e ilude mais ainda quando sugere que esse encontro de fusão virá te garantir emocionalmente, mentira.

Evite confundir amor, com trégua de tranquilidade. 

Quem duvida e coloca regras demais acuando o parceiro, além de transformar a vida do outro num verdadeiro inferno, inaugura um mar de tristezas sem fim onde tudo o que poderia ser amor é transformado em repressão, medo, dependência e depressão.

Ninguém em sã consciência, jamais desejaria isso para si mesmo!

Se suspeitar que está nesse tipo de roubada, saiba que algo de muito mal pode estar acontecendo em sua vida e que você pode estar em um cárcere, sem saber disso.

Quando se está em um relacionamento abusivo, a pessoa pode ser alguém de sucesso, de boa posição social, de muitos amigos ou com o que seja que a constrói como identidade, que essa parceria rapidamente lhe afastara de tudo isso, roubando muito mais da sua essência do que você pode imaginar. Em pouco tempo, a tendência é a vida virar de cabeça para baixo fazendo com que você se sinta isolado, até que você perca suas próprias referências, até que a sua alma fique totalmente à mercê deste outro tirano que exercerá todo o seu poder sobre você, como se fosse seu dono.

Relacionamentos abusivos dessa ordem costumam ser tóxicos, a vítima fica viciada nesse tipo de demanda que funciona mais ou mesmo assim: Faço o que você quer e você fica legal comigo e eu relaxo porque você não vai embora até vir o próximo surto, que me ameaça de que você vai ficar bravo com algo que eu supostamente fiz e você novamente fica magoada, com raiva e me ameaça de me abandonar e por aí vai… Com isso eu vou sempre ficando tenso e à espreita, no medo de falhar em algo com você, ininterruptamente te olhando e fazendo de tudo para que você não mude o seu humor e novamente me ameace.

Entorpecido dentro desse padrão que não muda, as vítimas literalmente esquecem de que antes podiam viver sem essa pessoa e que naquele tempo, seja o problema que estivessem passando, ainda assim eram mais felizes do que estão agora.

Se está em um evento, em um trabalho ou no que seja e que faz parte da sua individualidade e, muitas vezes, quando estão juntos, ele(ela) te rouba da sua cena, inventando coisas para que você se sinta culpado e emocionalmente mal, e com isso, gradativamente a subtração da sua própria vida vai acontecendo.

Quanto mais cedo despertar, melhor. A vida é breve demais para se deixar cair em ciladas que podem ser fatais.

Relacionamentos tóxicos são devastadores. Na maioria das vezes, a ajuda psicológica competente é mais do que necessária para que o resgate da vida aconteça. 

Sua vida é e sempre será o seu bem maior. 

Sobre o autor

Silvia Malamud

Silvia Malamud

- Psicologa
- Especialista em temas relacionados ao Abuso Emociona com narcisistas perversos em relacionamentos afetivos, familiares, mãe/pai filhos, escolares, sociais e de trabalho.
– Especialista em Terapia Individual, Casal e Família /Sedes
- Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA
- Terapeuta Certificada em Brainspotting - David Grand/ EUA
- Terapia de Abordagem Direta a Memórias do Inconsciente.

EMDR e Brainspotting são terapias de reprocessamento cerebral que visam libertar a pessoa do mal estar causado devido à experiências difíceis de vida, vícios, traumas, depressões, lutos e tudo o mais que é perturbador e que seja uma questão para que a pessoa queria mudar. Este processo terapêutico, por alterar ondas cerebrais viciadas num mesmo tipo de funcionamento, abre espaço para que a vida mude como um todo, de modo muito melhor, surpreendente e inimaginável anteriormente.

Mais sobre Silvia Malamud: Além de psicóloga Clínica, é também formada em Artes plásticas- Terapia Breve - Terapia de Casais e Família pelo Sedes Sapientiai. Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA e em Brainspotting David Grand/EUA. Desenvolveu-se em estudos e práticas em Xamanismo, Física Quântica, Bodymirror. Participou e se desenvolveu em metodologias de acesso direto ao inconsciente, Hipnose, Mindskape, Breakthrough e outras. Desenvolveu trabalho como psicóloga Assistente no Iasmpe, Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual, com pesquisa sobre o ambiente emocional de residentes durante o período de suas residências, de 2009 até 2013. Participou do grupo de atendimentos de casais do NAPC de 2007 à 2008. Autora dos Livros "Projeto Secreto Universos", uma visão que vai além da realidade comum e Sequestradores de Almas, sobre abuso emocional que podemos estar vivendo, sem ao menos saber, sobre como despertar e como se proteger.

· Conhecimento terapêutico: Cenários e imagens: Já presenciei diversos pacientes fazerem "viagens" às vidas anteriores, paralelas, sonhos e mesmo se reinventarem em cenas reais ocorridas ou não. Vi-os saindo do túnel do reprocessamento, totalmente mudados e transformados, inclusive em suas linhas de tempo. Para mim, fica uma pergunta de física quântica... O que acontece com a rede de memória da pessoa se a matriz do acontecimento muda totalmente não o afetando mais? A linha do tempo e todos os significados emocionais transformam-se simultaneamente. Todos os eventos difíceis que a pessoa teve em relação ao tema ao longo da vida perdem o sentido e até parece que nem existiram, embora se saiba. A pergunta que fica é: O que é o tempo quando podemos nos transformar e nos auto-superarmos nesta amplitude?

· Coexistimos em inúmeras camadas de realidades que são atemporais. Por exemplo, o seu “eu” criança pode estar existindo e atuando em você até hoje... Outros aspectos desconhecidos também podem estar, sem que você suspeite.

Silvia Malamud
Psicóloga clinica Especialista em Terapias Breves individual, casal e
família/Sedes - CRP: 06-66624
Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA
Terapeuta Certificada em Brainspotting – David Grand PhD/EUA.
Terapia de Abordagem Direta a Memórias do Inconsciente.
email.: [email protected]