Autoconhecimento Comportamento

Como você lida com o dinheiro

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Quando o assunto é dinheiro existem diversas crenças limitantes que nos fazem ter certo amor e ódio por ele. E esse relacionamento, de alguma forma, influencia em outros campos dos quais muitas vezes não nos damos conta. A forma como você trata o seu dinheiro diz muito a respeito de sua personalidade e é também um termômetro que indica como anda a sua vida afetiva, profissional e emocional.

Gastador? Equilibrado? Consumista ou mão-de-vaca? Não importa. A forma como lidamos com os gastos e o setor financeiro dizem muito a respeito de como equilibramos a nossa vida, como afirma o psicólogo Roberto C. Leal: “O dinheiro não é o elemento central, mas a maneira como o gerenciamos reflete o modo como lidamos com outras áreas da vida”.

Pois bem. Dito isso, como você lida com o dinheiro? Separamos alguns perfis e a forma que cada um age diante isso. Veja em qual se encaixa e faça uma avaliação de suas atitudes.

Não sei quanto ganho, muito menos quanto gasto

Sabe aquelas pessoas desligadas que recebem o salário e vão vivendo a emoção do dia a dia com aquilo que vai surgindo? Esse é daquele tipo que não tem noção de preços dos produtos, não olha o quanto de saldo tem na conta e muito menos se importa em administrar as finanças para saber se no final do mês tudo dará certo. Este comportamento é de pessoas que gostam de viver perigosamente. É uma aventura meio juvenil, que demonstra a falta de maturidade de encarar os problemas da vida adulta. Não há muita expectativa ou ânimo em mudar a situação e, por isso, é necessária uma organização urgente de hábitos corriqueiros neste perfil.

Compro tudo sem me importar com o amanhã

Comprar porque precisa é uma coisa, mas comprar apenas por vontade implica em sérios problemas psicológicos. A oneomania é um transtorno psiquiátrico que determina a vontade de comprar compulsivamente sem grandes critérios e consciência, e aumenta a cada dia o número de pessoas que sofrem com isso. De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) cerca de 60% das famílias brasileiras estão endividadas.

Recebeu o pagamento e o primeiro pensamento foi o de pegar o dinheiro e ir comprar sem ver o que? Fique esperto!

A psicóloga Denize Gimenez (PUC-SP) informa que a oneomania é desencadeada como forma de aliviar os sentimentos de tristeza, frustração, depressão e vazio e, por estes motivos, o desejo de possuir fica reprimido, levando a pessoa a possuir coisas novas que substituirão esses sentimentos.

Equilíbrio é tudo

Se você é daqueles que sabe para onde o seu dinheiro está indo, faz anotações de gastos, age com equilíbrio na hora das compras, sabe distinguir entre o necessário e o supérfluo e busca sempre aprender mais sobre como cuidar das finanças, parabéns. As chances de sua vida ser equilibrada em todos os aspectos são grandes. Fazer uma planilha com controle de tudo o que entra e sai no mês pode parecer exagero para uns, mas desta maneira você terá um melhor planejamento financeiro e acertará os pontos do seu suado dinheirinho. E para quem quer fazer parte deste time, seguem algumas dicas para começar.

Busque se informar sobre investimentos: existem canais e sites com informações diversas sobre como aplicar o seu dinheiro seguramente e com boa rentabilidade. Independentemente de quanto você ganhe é possível, com organização, investir.

Compare os preços: além de anotar suas receitas e despesas todos os meses, não se esqueça de comparar os preços. Com a internet, a facilidade em encontrar o que precisa com bons descontos é certeira.

Procure comprar à vista: muita gente acaba trocando as mãos pelos pés devido ao uso descontrolado do cartão de crédito. Pode parecer difícil, mas comprar à vista é ainda a melhor opção. Sem contar que você consegue mais descontos quando paga com dinheiro vivo. O cartão de crédito deve ser usado apenas em ocasiões de muita emergência.

O dinheiro é uma energia

Para muita gente entender isso é um tanto complexo, já que dinheiro sempre foi associado com algo sujo. Os velhos ditados: “Dinheiro não traz felicidade”, “Tempo é dinheiro”, dentre outras afirmações enraizadas em nossa cultura, levaram a crença de que ele realmente não presta. É correto afirmarmos que sua criação foi dada pelos homens, porém, devemos entender que quando falamos em energia, sua associação está ligada à energia da abundância e da prosperidade.

É através do dinheiro que temos acesso a bons livros, revistas e conteúdos que contribuem com a nossa formação intelectual. É devido a ele que podemos visitar lugares diferentes, bons restaurantes, teatros, cinemas, bares, casas de shows e etc. Podemos fazer viagens para cidades distantes, países em outras partes do mundo, dentre uma porção de opções que variam de acordo com o gosto pessoal de cada um. O que está em jogo aqui é o entendimento de que esta cédula de papel nomeada dinheiro proporcionou e proporciona a transformação na humanidade e dos relacionamentos humanos.

As oportunidades oferecidas por ele vão além do simples ato de gastar. É com ele que você desfruta de bons momentos, presenteia uma pessoa querida, compra algo que necessita para atingir certo nível de conhecimento e faz atividades que engrandecem outros a sua volta. Portanto, cuide da sua relação com o dinheiro com carinho e entenda a sua importância para que você desfrute com sabedoria, consciência, qualidade e bem-estar.


Texto escrito por Juliana Alves da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]