Convivendo

Conaconpes: um congresso de realização pessoal

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Se você procura por um evento que possa clarear metas e objetivos na sua vida, talvez seja interessante participar do Conaconpes, o 1° Congresso Nacional da Conquista Pessoal. Para participar é bem simples: ele é on-line e você só precisa colocar o seu e-mail para a inscrição. Conversamos com Gabriel Folli, organizador do evento, que nos falou um pouco mais sobre o Conaconpes. Confira a entrevista!

Eu Sem Fronteiras: Poderia me falar mais sobre você? O que faz e onde mora?

Gabriel Folli: Sou designer gráfico de formação, mas sempre me interessei pelo mundo do empreendedorismo e marketing digital. Além disso, busco constantemente conhecer e explorar cada vez mais o autoconhecimento e as realizações pessoais. Hoje, moro em Barcelona. Depois de pouco mais de um ano viajando pela Europa, acabei ficando por aqui, onde tenho um trabalho fixo e divido o tempo com meus projetos pessoais.

Eu Sem Fronteiras: O que é o Conaconpes?

Gabriel Folli: O Conaconpes será o 1° Congresso Nacional da Conquista Pessoal. Cada um de nós tem uma vontade, um desejo ou um sonho, seja ele qual for. Vejo que a tendência acaba sendo para lados financeiros, de saúde (emagrecimento principalmente), autoconhecimento, profissional, dentre outros, por isso, abordaremos diferentes temas relacionados à realização destes sonhos, destes objetivos.

Acredito que todos nós têm o direito de ter e ser aquilo que tanto queremos e, por isso, resolvi juntar profissionais destas diferentes áreas para ajudar a audiência a conseguir isso.

Eu Sem Fronteiras: Como foi pensado e quando vai ocorrer?

Gabriel Folli: O congresso vai acontecer ao longo da semana do dia 10/04. Em cada dia será abordada uma área diferente,e serão 3 palestras em cada dia. Assim, ao todo, teremos 21 palestras em 7 diferentes áreas.

O grande segredo do congresso é a audiência. Se cada palestrante trouxer 1000 pessoas para o evento, a chance é de que cada palestrante possa sair com 20 mil novos seguidores ou ao menos ser conhecido por eles. Quanto maior a divulgação e a intensidade em fazer acontecer por cada um dos participantes, mais sucesso terá o congresso.

Eu Sem Fronteiras: Como foi pensada a presença dos palestrantes?

Gabriel Folli: Minha busca por palestrantes abrange diferentes pontos. O primordial é que tenha um valor de conteúdo realmente válido para agregar à audiência. Alguém que vai realmente fazer a diferença na vida daquela pessoa, com um vídeo de 30 a 40 minutos.

Além disso, é importante que este palestrante seja de alguma forma uma referência, podendo ser conhecido no meio digital e tendo uma grande audiência para trazer ao congresso ou, então, que tenha um nome forte, mas ainda não tenha tantos contatos diretos que possa convidar para sua palestra.

Eu Sem Fronteiras: Por que, em sua opinião, você acha tão difícil as pessoas conseguirem colocar os seus desejos ou metas em prática?

Gabriel Folli: Isso varia muito. Pode ser às vezes pelo medo de não funcionar com ela, às vezes pela procrastinação, pela insegurança, falta de apoio e muitas vezes também pelo simples fato da falta de conhecimento de como chegar naquilo.

Não pretendo nem vou ousar me comprometer a solucionar 100% das dúvidas de cada uma das pessoas que acompanhar as palestras, pois sabemos que isso seria impossível. Mas tenho como principal objetivo clarear de alguma forma o caminho para a audiência. Para agregar algo de valor que facilite o caminho dela. Se responder especificamente a dúvida, melhor ainda, mas, se não, que ajude com alguma informação que a facilite a trilhar o caminho dela ou que ao menos aguce a vontade de ir atrás daquilo que realmente quer para a vida dela.

Eu Sem Fronteiras: O time de palestrantes é bem variado. Profissionais com larga experiência profissional e também palestrantes para falar sobre relacionamentos. E, se formos analisar de forma geral, tanto o trabalho quanto o relacionamento são algo que muitas pessoas procuram ter em equilíbrio, não é mesmo?

Gabriel Folli: O fator decisivo para buscar abordar temas tão diferentes no mesmo congresso foi justamente o fato de estarem diretamente relacionados.

De repente, naquele momento, você quer uma ajuda para progredir em sua carreira, mas de nada adianta ter uma carreira de sucesso se não souber o porquê de ter aquilo. Para isso, trabalharíamos o autoconhecimento. De nada adianta ter uma carreira de sucesso e um casamento afundando. Então, sim, estão todos os temas correlacionados. Acredito que este equilíbrio é o grande segredo para termos uma caminhada de alegrias e realizações.

Eu Sem Fronteiras: Fique à vontade para escrever algo.

Gabriel Folli: Acredito fortemente no valor do conteúdo que estou buscando para este congresso. Acredito que é algo que eu gostaria de ter visto como audiência em determinados momentos da minha vida e, por isso, tendo as condições e ferramentas para prover isso a outras pessoas, sinto que devo fazer.

Isso faz parte da minha autorrealização, por isso, seria um tanto quanto incoerente eu deixar de colocar em prática, sabendo que o objetivo do evento é justamente mostrar que as pessoas podem colocar em prática o que elas tanto desejam.

Espero ter conseguido responder as perguntas de forma clara e coerente. Agradeço uma vez mais.


Entrevista concedida a Angélica Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]