Autoconhecimento Convivendo

Do Direito a ser Eu

A incrível jornada rumo a sermos nós mesmos jamais deve ser desperdiçada. Cada momento é único e no vai e vem das emoções o aprendizado deixa sua marca indelével.  Para explicar melhor o que quero dizer, convoquei uma equipe de Legisladores de peso, e olha… eles não estão para ‘brincadeiras’. Viver é palavra de ordeeemmm!!!!

Caput: Torna-se expressamente proibido deixar-se ao leo, não acreditar em si mesmo e entregar-se à tristeza, sob pena privativa de ‘surpresas’ e ‘loucuras’, em conformidade com a legislação vigente do Ministério da Felicidade do EuSemFronteiras.

Artigo 1: Porque há o direito ao grito, eu grito. (Clarice Lispector)

Pena: Deixar passar os 5 minutinhos pode te deixar estressado além da conta… entende-se por gritar, a ação de extravasar, também, ok? Pule corda, corra, grite, desenhe ou medite!

Artigo 2: Perder tempo em aprender coisas que não interessam, priva-nos de descobrir coisas interessantes. (Carlos Drummond de Andrade)

Artigo 3: Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons. (Carlos Drummond de Andrade)

É quando nos damos conta de que bastou lançarmo-nos na fantástica viagem, chegamos fortalecidos dentro de nós mesmos.
Pena: Desperdiçar aquela caixa de bombons, ou aquela garrafinha de chocolate com licor, sabe? Geeeeennnte…vai com tudo! Chocolaterapia, recomendamos super!!!

Artigo 4: Onde não puderes amar, não te demores. (Frida Khalo)

Pena: A vida vai passar e você será um mero espectador. É isso o que queremos? Para isso estamos aqui? Naaaahhh!!!

Artigo 5: Há pessoas que nos falam e não as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre. (Cecília Meireles)

Pena: Detenção em si mesmo. Definitivamente, não conhecerás a surpresa de conhecer alguém bacana!

Artigo 6: Cada um tem o seu passado fechado em si, tal como um livro que se conhece de cor, livro de que os amigos apenas levam o título. (Virginia Woolf)

Pena: Respeite-se, você tem o seu tempo, suas agruras e sua verdade; não precisa envergonhar-se de sua trajetória, pois você está em aprendizado constante, do contrário, a amargura e o pessimismo em relação ao mundo te farão triste. Pode isso, amigo?

Artigo 7: Seja você mesmo. Todas as outras personalidades já têm dono. (Oscar Wilde)

Pena: Não conhecer o ser maravilhoso e abençoado que é você!!! Que viagem mais fantástica! Vais perder, meu amigo?

Artigo 8: Amai, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido. (Vinícius de Moraes)

Pena: Não saber como o coração trabalha, e como é bom vê-lo trabalhar… E para isso, nossa estimadíssima Carolina Zambelo já escreveu um lindo artigo, (ops, nossa Ilustríssima Legisladora, rs) sobre ‘amar’…

Por fim, Estimados, esta pequena aqui deseja, ooooppis!, esta “estagiária para assuntos sentimentais”, os adverte de que, não respeitar esta Legislação pode trazer consequências. Então, a viver!!! Sempre, adiante!


Você também pode gostar de outros artigos da autora. Acesse: Eterno aprendiz

Sobre o autor

Claudia Sinibaldi Bento

Claudia Sinibaldi Bento

Sou Claudia Sinibaldi Bento, paulistana, graduada em direito e pós graduada em relações internacionais. Sou defensora dos direitos das mulheres e crianças, tenho colaborado com ONGs de muitas partes do mundo.

Minhas experiências me ensinaram que, mais do que ajudar, você aprende com aqueles que necessitam de ajuda e jamais falar de direitos humanos deve ser um tabu ou um lugar comum.

Não, defender os direitos do outro é primar pela dignidade e conscientização de que uma nação só será igualitária quando todos receberem o mesmo tratamento e forem todos percebidos como seres humanos, porque somos todos entes dotados de deveres e direitos, estas sim, são condições que nos fazem titulares dos direitos à vida, à dignidade, à integridade física e moral e à liberdade.

Email: [email protected]