Autoconhecimento Saúde Integral

Dor, doença, disfunção, câncer são sinais de um corpo em processo de cura

Mariana de Carvalho
Escrito por Mariana de Carvalho
Nesse instante o caro leitor que ainda se mantém vinculado a matrix de controle e totalmente apegado a medicina que trata doenças e não pessoas, com quase 100% de certeza deve ter rido e pensado que estou louca. Mas posso afirmar que até a presente data me mantenho em plena saúde.

Hoje acompanho profissionais das mais diversas áreas que exercem nas suas profissões o conceito de saúde integral, aliás é a linha que sigo em meu trabalho também. O fator comum entre esses profissionais é o estudo focado em compreender o funcionamento do corpo e como lançar de estratégias para que o equilíbrio entre os tecidos ocorra.

A medicina do futuro já ocorre no presente para aqueles que tem olhos de ver e dispostos a ouvir o que sua biologia já expressa em seu corpo. Esta confuso? Então vamos lá. O gato subiu no telhado….

Brincadeiras a parte, a proposta aqui será mostrar uma das facetas que ajudam a compreender as conexões entre tecido, órgãos, sistemas, os nossos corpos e como isso manifesta as disfunções – inclusive o câncer.

Levo você a imaginar a seguinte situação: depois de anos fazendo exames, tomando os mais diferentes remédios, dormindo mal, nível de estresse na estratosfera e o corpo esgotado vem o diagnóstico: você esta com câncer. Você não se conforma e pressiona o médico a dar mais detalhes e exige saber o prognóstico. Até que o médico, a quem você confia 100%, verbaliza “você só tem 6 meses de vida”. Confuso. E cego pela medicina que trata doenças 6 meses depois você morre.

Aqui não irei levar em consideração crenças religiosas e dogmas. Portanto, convido que haja uma plena conexão com o momento presente e a realidade vivida hoje no ano de 2019 no planeta Terra.

Nessa pequena estória que contei existem vários “furos” que um médico alemão – Dr. Hammer (já falecido) – descobriu e compartilhou com o mundo. Aqui vou dividir um pouco desse conhecimento com vocês e espero que ao final vocês compreendam que qualquer dor, doença, disfunção, é seu corpo cicatrizando uma memória traumática.

Médico assinando prontuário

Mas antes, peço que vocês pensem em quantas estórias como essas vocês já ouviram ou até vivenciaram com pessoas próximas a vocês? E o primeiro furo a ser esclarecido é o poder da mente. A pessoa que faleceu ouviu de alguém que ela considera um expert que irá morrer. O pulo do gato é que a pessoa toma isso como uma verdade absoluta, e seu padrão mental envia comandos o tempo inteiro para o corpo que não importa o que seja feito ela irá morrer.

Portanto, a maneira como acolhemos um momento de dificuldade e angústia do outro faz total diferença em como será o caminho trilhado. É muito diferente eu dar a seguinte resposta: D. Maria a senhora esta com câncer, mas esta tudo bem, pois seu corpo esta apenas colocando para fora toda a sobrecarga que a senhora guardou durante anos. Agora vamos acolher e compreender o que de fato a senhora já resolveu inconscientemente e alicerçar esse processo de cura do corpo físico.

Parece loucura a você falar dessa maneira? E aí você pode se identificar com a estória e também insistir em um prognóstico. Então que tal ouvir isso do profissional da saúde: D. Maria, a senhora gosta de números? Pois prognósticos são feitos com números e vários cálculos estatísticos, mas como a senhora insiste, vamos lá. O diagnóstico aponta para um câncer que a ciência tradicional e os números consideram raro e pouco compreende, e portanto, dizem que a senhora tem 3% de chance de sobreviver. Contudo, a partir do momento que a senhora confia e se entrega a compreensão da sua cura essa estatística muda. Você sobrevive! Logo de 3% passamos a 100% de vida. D. Maria a senhora não é um número é uma vida que tem 100% de chance de se equilibrar e curar.

Rosto de mulher

Espero que você tenha sentido dentro de você o quanto é diferente cada uma das abordagens. E o quanto isso gera vida!

O segundo “furo” a abordar, após a compreensão das ferramentas de linguagem, é entender o funcionamento do corpo humano. Primeiro ponto: somos animais! Podemos ter um córtex mais evoluído (ao observar a humanidade confesso que acho difícil absorver isso), mas ao estudar embriologia compreendemos que a formação dos nossos tecidos armazena todo esse processo de complexidade crescente da vida. O que quero dizer com isso?

Nossas células armazenam toda a informação de evolução biológica desde um ser unicelular até o que chamamos de ser humano. Caso você tenha curiosidade busque no Google comparativo de desenvolvimento embriológico entre as espécies. Você irá se surpreender que o embrião de várias outras espécies quando comparado com o do homem, não há distinção até um determinado mês de gestação. E expandindo esse raciocínio, ao compreender nossa biologia e interação com o meio, podemos compreender também outras espécies. Por hora, fiquemos com os humanos mesmo.

Além da embriologia compreender um pouco sobre como nosso sistema imunológico trabalha, também se faz necessário que fique 101% claro: nosso corpo é sábio e não uma máquina programada para se autodestruir. Então pensem, caros seres humanos, porque raios a ciência associou câncer com morte??? Porque havia (há) interesse em lucrar com a dor do outro, e não por falta de conhecimento. Aliás, eu diria que a matrix de controle é expert em gerar ilusão e lucrar com a ignorância alheia.

Bola de plasma

Portanto, aquilo que a ciência cartesiana associa com morte, Dr Hammer descobriu que nada mais era do que a inteligência do nosso corpo lançando da melhor estratégia para simplesmente SOBREVIVER! Para que fique mais claro como isso funciona, imagine você numa guerra corpo a corpo, tipo a primeira guerra mundial, você é um soldado raso e como todo peão esta a frente na linha de batalha para que o pais ao qual você defende conquiste aquele espaço. No trajeto entre trincheiras, bombas, luta corpo a corpo você não tem muito tempo para observar o que esta acontecendo com seu corpo. O instinto prevalece. Sobreviver é o que importa. Até que é chegado o momento da batalha final. É tudo ou nada. Pois bem, você passará dias acordados, levará tiro, minas explodirão ao seu lado e provavelmente sua audição ficará comprometida, você se quer percebe estilhaços e cortes em seu corpo. A guerra acaba. O seu país venceu. No instante em que é decretado o fim da batalha você respira profundamente e aí começa a sentir dor, percebe que tem um corte profundo e até partes do corpo extremamente danificadas.

Ou seja, em situações de hiper estresse o corpo gera a melhor estratégia de sobrevivência e redireciona sangue, potencializa capacidade de coagulação, desativa reconhecimento de dor e fornece uma força descomunal ao corpo para que a vida se mantenha. Assim é nosso sistema imune, ele irá enviar informações a todos os tecidos que a guerra esta acontecendo para que todo o corpo se proteja. Assim que a necessidade de sobreviver passar é preciso reconstruir os tecidos.

Células vistas em microscópio

Assim como um país pós-guerra precisa receber muito mantimento, muito material de construção, muito suplemento, muito de tudo ao mesmo tempo, assim é nosso corpo. Ou seja, iniciasse uma produção desenfreada de células para reparar e cicatrizar aquele local que mais sofreu sobrecarga durante a guerra. Lembra que você esta exausta? Natural, o corpo esta redirecionando a energia para que seu corpo seja cicatrizado.

Lindo! Não é mesmo?

E vou além, cada tipo de tecido embriológico tem um padrão já identificado quando inicia um processo de cicatrização. Há como saber exatamente a fase em que seu corpo esta e assim lançar da melhor estratégia de tratamento do corpo, e não da doença. Para ficar mais claro, haverá uma fase com mais produção de massa ou se preferir células, até que o corpo entenda que essa produção já é o suficiente para consertar o dano causado. Encerrado o processo de produção, o corpo começa a grudar os pedaços e fazer com que as novas células se comuniquem e que o excesso seja eliminado.

Há como identificar isso através de marcadores, bem como acompanhar as oscilações do sistema nervoso autônomo, e assim, caso a pessoa tenha optado por fazer quimioterapia e radioterapia é possível ter precisão de quando fazer o uso dessa terapêutica. Isso é crucial, pois se é ministrado uma quimioterapia na fase em que o corpo esta entendendo que precisa produzir a massa que foi perdida o efeito rebote do corpo será produzir ainda mais massa! Lembre-se: nossas células são programadas para viver, se algo esta impedindo isso, haverá reação. Em contrapartida, se já há a identificação que o corpo iniciou o processo de ativar as células produzidas e eliminar o que não será usado, uma quimioterapia nesse momento poderá ser muito eficaz.

Pernas femininas em banheira

Com o conhecimento que eu tenho hoje faria quimioterapia? A resposta é não. Pois para mim é muito claro que a dor, doença, disfunção, câncer é só o corpo expressando aquilo que foi curado.

Até mesmo porque a nossa renovação celular é contínua, a gente só não percebe, pois não fazemos as trocas todas de uma vez como as cobras, mas só para vocês terem ideia, a nossa pele se renova quase que por completo num ciclo aproximado de 21 dias. E vocês acham que isso ocorre como? Replicação celular. O que é câncer? Replicação celular.

A diferença é que a produção se torna aparentemente desorientada no que a medicina chama de câncer, mas isso se dá pela intensidade como percebemos e resolvemos os conflitos. Nosso corpo responde de forma precisa a todo o ambiente em que estamos inseridos e as estratégias que lançamos para sobreviver.

Dr. Hammer ainda foi além da compreensão da resposta dada pelo corpo, ele conseguiu mapear para cada tecido, órgão e sistema qual emoção havia sido resolvida e por isso desencadeado o processo de inflamação e replicação celular para o corpo finalmente regenerar e cicatrizar.

Como assim? Uma pessoa que apresente uma dor/doença/disfunção/câncer no sistema vascular, por exemplo, nas veias, no inconsciente o corpo dela compreendeu que a necessidade de limpar as relações consanguíneas foi cumprida. O conflito familiar se encerrou, ela sobreviveu, e portanto pode cicatrizar seu sistema venoso parando de produzir vasos no caso das varizes, por exemplo. Se eu não compreendo isso, fico me submetendo a procedimentos para “secar” os vasos que insistem em aumentar cada vez mais. Agora, se eu acolho que preciso acolher as relações consanguíneas existentes e ressignificar os meus sentimentos em relação a isso o corpo irá parar de produzir vasos porque a “guerra” interna se encerrou.

Mulher de costas andando

Um outro exemplo, que talvez você já tenha observado, em pessoas que ficam acamadas ou por alguma razão sentem que a morte é certa, seja por que razão for, o pulmão fica comprometido. Um idoso acamado pode apresentar quadros de pneumonia; uma pessoa que aceitou o prognóstico de morte em decorrência de um câncer pode apresentar o que a medicina tradicional chama de metástase no pulmão; uma pessoa com doença autoimune pode ter parada respiratória. Enfim, observe o quadro secundário sendo o comprometimento do pulmão.

Você também pode gostar de:

O sentimento do pulmão é de vida. Quando nascemos todos esperam ouvir o choro do bebê, na nossa memória celular isso não só é um sinal de que está vivo, mas que está bem e RESPIRANDO! VIVO! Portanto, quando o pulmão começa a apresentar disfunções, o sentimento que essa pessoa pode estar alimentando internamente é: a morte está em mim. Logo, se acolhesse que a morte chegou não há como o órgão que representa a vida manter o funcionamento normal.

A proposta deste novo olhar, que nem é tão novo assim, com a nova medicina germânica é trazer conhecimento sobre quais emoções o corpo está elaborando. Chegar ao ponto principal do para quê o corpo está lançando das estratégia de dor/doença/disfunção.

Encontrar a primeira memória de dor gerada internamente e ajudar o corpo físico/emocional/mental/espiritual acolher e compreender que essa estratégia para sobreviver já não se faz mais necessária, e que o equilíbrio entre os tecidos pode acontecer e consequentemente a vida com saúde se estabelece.

Claro que juntamente com essa reprogramação dos corpos de dor também é preciso dar condições favoráveis ao equilíbrio fisiológico e bioquímico do corpo. Modificar padrões alimentares, estilo de vida e posicionar-se a favor de você mesmo.

Compreender que seu corpo é um templo sagrado e portanto, deve ser tratado como tal. E lembre-se que a cura está dentro de você!

Portanto, convido você a parar e ouvir o que seu corpo está gritando a plenos pulmões tudo o que você está curando! E a partir daí só ajuste as ferramentas que o ajudarão a acelerar esse caminho e potencializar sua saúde.

Pense fora da matrix! Sinta fora da matrix! Viva independentemente da matrix!

Lembre-se o poder do pensamento, da palavra, da esperança, É GERADOR DE VIDA!

Com fé, amor e gratidão.

Sobre o autor

Mariana de Carvalho

Mariana de Carvalho

Sobre mim e minha formação.

Entusiasta pela vida! Nutro uma grande fé nas pessoas. Acredito que o amor é a força maior capaz de transmutar vidas e concretizar sonhos com alegria.

Para poder ser um instrumento para aqueles que me buscam, fui pesquisando técnicas que fizessem sentido para mim. Abordagens que me permitissem transmutar, primeiramente a mim e depois o outro. Mergulhei não só nas ciências em torno da saúde como fisioterapeuta por meio da microfisioterapia e leitura biológica mas também em quântica, filosofia, espiritualidade livre e conhecimentos herméticos.

Desde criança fui incentivada a fazer com que mais “SINS” ocorressem em minha vida. Fui estimulada a persistir, afinal o verdadeiro resultado de uma ação é alcançado quando se mantém o foco e se exerce a capacidade de encontrar soluções diante dos desafios.

Assim cresci, perseverando no bem, focada nos estudos, persistindo com o sonho de transmutar a minha vida e a de quem estivesse em torno. Durante essa trajetória, idealizei uma condução terapêutica para ser uma facilitadora do processo de despertar e acesso ao EU SOU – o BE yourself. E da experiência em consultório surgiu a necessidade de expandir esse conhecimento para vivências e cursos, possibilitando facilitar o caminho de mais pessoas ao mesmo tempo.

Para mim a busca pela reforma íntima é constante, pois quanto mais expandimos nosso nível de consciência mais integrados às LEIS que regem o Universo estamos. E, assim, os véus da ilusão são removidos e aprendemos a desapegar de tudo que é desnecessário, passando a focar no que realmente importa: o amor incondicional.

Assim inicia-se uma experiência interna, sem volta, rumo ao CRIADOR de Tudo que É. Rumo ao EU SOU.

Nos tornamos peças fundamentais na mudança do mundo, pois acredito piamente que ao mudarmos individualmente o mundo todo muda.

Basta despertar sua essência!

Pois a verdadeira mudança só se estabelece quando é de dentro para fora.

Algumas das situações em que posso ser um instrumento de auxílio na mudança do seu mundo:

• Despertar de consciência;

• Facilitar o acesso ao EU SOU;

• Reprogramar crenças limitantes;

• Harmonizar os pilares em torno da vida nesta dimensão;

• Estimular o seu salto quântico;

• Equilíbrio da saúde: física, emocional, mental, relacional;

• Bem-Estar e Vitalidade;

• Recuperar a Autoestima e a Autoconfiança;

• Traumas Emocionais: perdas, separações, abandono, agressões, abusos;

• Déficit de atenção e hiperatividade;

• Alterações hormonais;

• Ansiedade e Depressão;

• Câncer;

• Insônia e Distúrbios do Sono;

• Enxaqueca e Cefaleia;

• Eliminação de Medos, Fobias e Síndrome do Pânico.

O estudo se mantém em fluxo contínuo e se integra aos processos terapêuticos realizados por mim, mas a base maior do que faço está nas seguintes formações:

• Idealizadora e criadora do BE YOURSELF – Biological Experience for YOU;

• Formação Internacional em Microfisioterapia pelo Instituto Salgado;

• Formação Internacional em Leitura Biológica pelo Instituto Salgado;

• Pós-graduação em Osteopatia pelo Idot;

• Mestrado em fisioterapia pela Unesp;

• Especialização em reabilitação cardiovascular pela Unesp;

• Pós-graduação em Fisiologia do Exercício e Prescrição do Treinamento;

• Pós-graduação em Nutrição Esportiva;

• Formação internacional em pilates clínico;

• Formação em treinamento funcional CORE 360;

• Graduação em fisioterapia pela Unesp de Presidente Prudente;

• Graduação em Tecnologia em Saúde.

Contatos:
Email: [email protected]
Site: dramarianadecarval.wixsite.com/permita
Facebook: Dra. Mariana de Carvalho
Instagram: @dra.marianadecarvalho
Instagram: Dra. Mariana de Carvalho