Saúde Integral

Educar para prevenir: uma luta constante

Mulher com câncer sendo acariciada.
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Em 4 de agosto comemora-se o Dia da Campanha Educativa de Combate ao Câncer. Além de ser dever do Estado conscientizar a população sobre o assunto, por meio de campanhas educativas, também é um dever de cada cidadão fazer a sua parte. Assim, é preciso saber ao pelo menos as informações básicas sobre a doença e compartilhá-las com quem não possui este conhecimento. Acredite: este já é um grande passo. Numa realidade em que temos milhares de informações na palma da nossa mão a todo instante, se, no mínimo, um quinto dos internautas decidir publicar uma postagem sobre o tema, o alcance seria gigantesco.

Mão adulta segurando mão de uma criança internada.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), anualmente mais de 12,7 milhões de pessoas no mundo são diagnosticadas com câncer e mais de 7 milhões morrem vítimas dessa doença, além de que esse mal causa incidência de outros problemas que podem levar à morte, como AVC (acidente vascular cerebral), infecções respiratórias, doenças pulmonares e doenças cardíacas isquêmicas. Por isso é de grande importância que a sociedade tenha consciência sobre esta enfermidade, que pode ser fatal caso não seja descoberta e tratada em tempo suficientemente “hábil”. A educação sobre o assunto serve até para saber meios de prevenir o câncer, além de impedir que ele acometa cada vez mais pessoas.

Para início de conversa, é relevante saber como o câncer se inicia e se espalha por um ou mais órgãos: quando uma célula do corpo sofre um conjunto de mutações que a faz se multiplicar descontroladamente e escapar de mecanismos de defesa do organismo que a destruiriam, estas são as células cancerosas que, em vez de morrer, continuam crescendo e formando novas células anômalas. As células cancerosas costumam se espalhar para outras partes do corpo, onde começam a crescer e a formar novos tumores. Isso acontece porque as células entram na corrente sanguínea ou nos vasos linfáticos do corpo e, com o passar do tempo, os tumores substituem o tecido normal. Esse processo de disseminação do câncer é denominado metástase.

Desta forma, as células cancerosas tomam o lugar das células saudáveis e abalam o funcionamento do órgão afetado, que pode ser em diferentes áreas, como pulmão, mama, cérebro, pele, lábios, ossos, intestino, estômago etc., transformando-as em tumores. O desenvolvimento anormal da célula acontece por um defeito no DNA, que pode ser hereditário ou acontecer por causa de fatores externos, como cigarro, vírus, exposição excessiva ao sol, obesidade e alto consumo de alguns alimentos.

Duas mãos dadas.

Confira as principais categorias de câncer: 

– Carcinoma: começa na pele ou nos tecidos que revestem ou cobrem os órgãos internos.

– Sarcoma: começa no osso, cartilagem, gordura, músculo, vasos sanguíneos ou outro tecido conjuntivo ou de suporte.

– Leucemia: começa no tecido produtor de sangue, como a medula óssea, e provoca um grande número de células anormais do sangue produzidas e entrando no sangue.

– Linfoma e mieloma: começam nas células do sistema imunológico.

– Cânceres do sistema nervoso central: começam nos tecidos do cérebro e da medula espinhal.

Os tipos mais registrados de diagnóstico de câncer em homens, em 2018, foi o câncer de próstata; nas mulheres foi o de mama. Portanto é bom saber que os diferentes tipos de câncer podem se comportar de formas distintas. O câncer de pulmão e o câncer de pele, por exemplo, são doenças distintas, que se desenvolvem de maneiras diferentes e respondem a variados à sua maneira aos tipos de tratamentos. Por essa razão, os pacientes com câncer precisam receber o tratamento adequado para seu tipo de câncer.

Você também pode gostar de:

Dependendo da localização e do tipo do câncer, os sintomas podem demorar mais ou menos a aparecer, mas é importante se atentar a eles: surgimento de nódulos, percepção de dores, lesões locais, manchas na pele, coceira, perda de peso, fadiga e febre frequente. Em alguns tipos da doença, alguns sintomas são específicos, como é o caso do câncer anal ou de bexiga, que pode apresentar sangue nas fezes ou na urina; rouquidão e dificuldade de fala, quando o câncer é na boca e garganta; tosse persistente e sangramento nas vias respiratórias, em caso de câncer de pulmão; anemia, que é diagnosticada no paciente com leucemia; dificuldade para urinar ou fazer xixi diversas vezes por dia, quando há câncer de próstata; confusão mental, distúrbios visuais e até convulsões, no caso de câncer no cérebro.

Saiba alguns dos fatores de risco que podem acarretar na doença: tabagismo; excesso de ingestão de bebida alcoólica; obesidade; alimentação desregrada: por exemplo, o consumo excessivo de alimentos industrializados ou embutidos; sexo sem proteção; exposição a poluentes ou substâncias tóxicas; exposição prolongada aos raios solares sem proteção; radiação; remédios à base de hormônios; idade: o risco de sofrer de câncer duplica a cada cinco anos após os 25 anos de idade; infecções virais, a exemplo de HPV e hepatite B; doenças inflamatórias, como colite ulcerativa; além, é claro, da herança genética.

Além das causas diretas, alguns estudos atestam que a saúde física é muito conectada à saúde mental, já que constatou-se uma maior incidência de câncer ou ativação de células cancerosas em pessoas com problemas ou alterações psicológicas, como o estresse, a depressão e a ansiedade, devido ao desequilíbrio hormonal causado por essas condições, aumentando a probabilidade de morte em casos de câncer de cólon, próstata e pâncreas, fora a incidência de doenças cardiovasculares.

Porção de frutas e um estetoscópio.

Para se prevenir, qualquer pessoa deve tomar alguns cuidados no seu dia a dia e se acostumar aos bons hábitos: 

– Adotar hábitos alimentares saudáveis é o primeiro passo, ou seja, evite alimentos gordurosos. O ideal é fazer refeições ricas em fibras, com ingestão maior de legumes, folhas e frutas;

– Chega de cigarro! Hoje, muitos tipos de câncer estão relacionados ao tabagismo, tanto ao ativo (fumantes) quanto oa passivo (pessoas que não fumam, mas inalam a fumaça). Em ambos os casos há maiores chances do desenvolvimento de câncer de pulmão. Atividades físicas ajudam a prevenir não só um possível câncer, bem como doenças cardiovasculares;

– A prática de atividades regulares (no mínimo, 30 minutos de exercício físico, quatro vezes na semana) melhora significativamente a saúde;

– As vacinas também são excelentes formas de se proteger, então esteja com a carteira de vacinação em dia.

Além das medidas citadas anteriormente, é importante chamar atenção para outros métodos que podem evitar diversas doenças que acometem o ser humano, como doenças sexualmente transmissíveis que aumentam as chances de alguns tipos de tumores, portanto o uso do preservativo é a principal medida para evitar essas doenças.

Já para garantir que sua saúde está em dia, a realização de exames anuais é imprescindível, pois, se feitos rotineiramente, eles também podem ajudar na prevenção do câncer ou garantir um diagnóstico precoce, tendo em vista que iniciar um tratamento o quanto antes dá mais chances de cura. No decorrer do ano, organizações especializadas rodam o Brasil com ações e eventos educativos fazendo campanhas de conscientização, portanto fique antenado às redes, principalmente porque durante os meses há campanhas especiais sobre determinados tipos de câncer.

Médico analisando exame.

Para quem busca tratamento gratuito, após confirmado o diagnóstico, o Sistema Único de Saúde (SUS) tem 60 dias para o início do tratamento em centros de tratamento oncológico em hospitais de referência, muitos deles com equipes de pesquisa, e ainda oferecer atendimento vitalício com exames e medicamentos pagos. Existem atualmente 317 unidades e centros de assistência habilitados no tratamento do câncer no país e todos os estados brasileiros têm pelo menos um hospital habilitado em oncologia.

No site da INCA, é possível checar onde ficam os estabelecimentos credenciados pelo SUS para atender estes casos: https://www.inca.gov.br/onde-tratar-pelo-sus. Contudo o encaminhamento é feito diretamente pelo SUS, não nos hospitais habilitados.

Agora que você já está por dentro de (quase) tudo sobre o câncer, desde seu surgimento até seu tratamento, chegou a hora de colocar a mão na massa e prestar apoio na divulgação destas informações e conscientização da população. Faça sua parte nas campanhas educativas e ajude a salvar centenas de vidas!

Escrito por: Juliana Delgado Santos da equipe EuSemFronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]