Autoconhecimento

Filme Bird Box – Os significados por trás desta história

Imagem de um dos atores do filme Bird Box. Ela está com os olhos vendados e com as mãos sobre uma janela de vidro.
Foto por: Hevisualsyouneed no 123RF
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

“Bird Box” é um filme de suspense pós-apocalíptico, lançado em 2018 pela plataforma de streaming Netflix, com direção de Susanne Bier e baseado no livro homônimo escrito por Josh Malerman, publicado em 2014. No longa, Malorie (Sandra Bullock) foge com duas crianças cujos nomes não sabemos, já que são apelidados apenas de “garoto” e “garota” (Julian Edwards e Vivien Lyra Blair) pela floresta à procura de um refúgio, deixando para trás um cenário desolador após uma força desconhecida devastar o mundo em que vivem.

Entretanto os três não podem manter contato visual com o perigo sobrenatural que os ronda, já que isso culminará em uma morte drástica. Por causa disso, a travessia precisa ser feita com os olhos vendados. O filme também conta com atores e atrizes de peso, como Trevante Rhodes, John Malkovich e Sarah Paulson.

A história abre um leque de interpretações bastante amplo, se quisermos ir além de um filme sobre monstros invisíveis e apocalipses.

Uma das teorias mais comentadas pela internet foi a de que “Bird Box” é um filme sobre depressão. Compartilhada por fãs nas redes sociais, essa teoria ganhou bastante força ao relacionar personagens e objetos do filme a sentimentos humanos bem familiares: as crianças simbolizariam a esperança e os pássaros na gaiola seriam os nossos momentos felizes e as boas lembranças às quais nos apegamos durante os momentos difíceis. Todos os sobreviventes iniciais da tragédia também poderiam estar passando por momentos difíceis que seriam gatilhos para a depressão, como uma gravidez indesejada (no caso da própria personagem principal), a morte recente de um cônjuge, inseguranças no âmbito pessoal etc. Se essas pessoas estavam passando por dificuldades e tentando se recuperar, essas entidades invisíveis seriam a depressão vindo “assombrar” e levar as pessoas a pensamentos suicidas.

Outra teoria, divulgada pela própria diretora, supõe que o filme seria uma metáfora sobre a maternidade. Segundo Susanne Bier, a principal mensagem do filme envolve a personagem de Sandra Bullock e os filhos. Para salvá-los, a mãe os trata de maneira autoritária, quando os obriga a manter a venda nos olhos, por exemplo. A personagem principal, mesmo não se sentindo uma mãe exemplar e tendo pouco afeto com as crianças, ainda assim faz de tudo para salvá-los e podemos ver seu comportamento mudando ao longo da história. No início, relutante com a ideia da gravidez, ela passa por momentos de negação e agressividade, mas, no fim, consegue aceitar a maternidade e começar uma nova vida.

Imagem de um homem representando a situação de um dos atores do filme Bird Box. O homem está com os olhos vendados com a sua gratava cinza.
Foto por: Thevisualsyouneed no 123RF

Mais uma teoria apresentada por alguns espectadores é a de que os monstros, como nunca aparecem e são apenas sugeridos, são metáforas para catástrofes ambientais, naturais e climáticas, que destruir a humanidade ou mudar os rumos dela no mundo real. No próprio filme, o personagem Charlie (Lil Rel Howery) fala sobre esse monstro e informa que ele existe em diferentes culturas, como na mitologia céltica (Aka Manah), na mitologia chinesa (Huli Junga) e no zoroastrismo (Pacú). O que fica implícito é que todas essas sociedades, mesmo vivendo numa época bem distante da modernidade e da tecnologia dos tempos atuais, já se preocupavam com a destruição da natureza e com um “revide” que ela poderia nos dar.

Outro significado oculto da história está contido no Santuário, que não é apenas uma escola para deficientes visuais, mas uma analogia para a fé cega, aquela que faz com que acreditemos que é possível, mesmo quando o mundo tenta mostrar o contrário. É com essa fé cega que a protagonista, interpretada por Sandra Bullock, consegue chegar ao lugar após percorrer um caminho muito arriscado com seus dois filhos. No final, os pássaros livres libertados por ela representam os sentimentos de liberdade e esperança que ela emana ao finalmente atingir o seu objetivo.

Por fim, algumas pessoas supuseram que o fato de cegar os próprios olhos ser a única maneira de evitar ser atacado pelo monstro é uma representação daquela famosa frase que diz que a ignorância é uma bênção, ou seja, somente ignorando e escolhendo ser “cego” em relação aos problemas internos é que podemos encontrar alguma paz na vida.

Você também pode gostar

As teorias são diversas e o filme foi bem-sucedido muito por causa disso, porque deixa muitas interpretações abertas aos espectadores, não fechando a história em si e permitindo que cada pessoa que assista tire suas próprias conclusões e faça suas próprias associações a respeito dos personagens, do monstro, dos pássaros e da história como um todo.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]