Linguagem do Corpo Saúde Integral

Fraturas: Rebeldia e sentimentos irados

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Quando um osso se quebra ou se rompe chamamos de fratura. Elas podem ser causadas por um grande impacto na região ou por doenças que afetam diretamente os ossos, como a osteoporose.

As fraturas podem ocorrer em diversas partes do corpo que, na psicanálise podem ter significados distintos. É o que afirma Cristina Cairo em seu livro.

Fraturas segundo Cristina Cairo

Toda fratura óssea simboliza a quebra de autoridade de alguém por meio de sentimentos rebeldes e irados.

Se uma criança, de até catorze anos de idade, fratura alguma parte do corpo, seus pais devem voltar-se para si mesmos e analisar seus verdadeiros sentimentos, principalmente se existe algum tipo de rebeldia contra a autoridade alheia, ou no lar.

Se a criança fraturou alguma parte do lado direito do corpo é indício de pais com ressentimentos contra uma mulher.

Se a fratura ocorreu numa parte do lado esquerdo do corpo denota pais com ressentimentos contra um homem.

Lembre-se, crianças de até sete anos sofrem influência emocional da mãe e crianças de sete aos catorze anos, do pai.

Simbolismo das partes fraturadas

  • Cabeça: Pais teimosos, exigentes, racionais, “cabeças duras”, perfeccionistas, que não se submetem à autoridade de outros.
  • Braços: Pais que se rebelam e rompem com a autoridade de alguém ou com alguma situação que limita seu trabalho ou ambição.
  • Mãos: O mesmo citado em braços, porém relacionados à forma de trabalhar ou de manipular os detalhes em seu desenvolvimento nos negócios, os afazeres ou até no lazer.
  • Dedos:
    Mínimo: desarmonia e frustração com os membros da família.
    Anelar: desarmonia entre o casal
    Médio: conflitos sexuais do casal ou dos protetores da criança acidentada. Raiva do parceiro ou parceira. Desejo inconsciente de romper esse tipo de relação conflituosa.
    Indicador: pais, ou responsáveis, que acusam e criticam alguém por seus sofrimentos.
    Polegar: o mesmo simbolismo da cabeça.
  • Dedos dos pés: Os mesmos que os dedos das mãos, mas relacionados a preocupações com o futuro.
  • Quadris: Pais emocionalmente desequilibrados, “enfiam os pés pelas mãos” nas decisões ou reprimem dores emocionais provocadas pela autoridade de alguém.
  • Fêmur: Pais avarentos com relação ao dinheiro ou à conduta.
  • Coxas: Rebeldia dos pais no rompimento com a autoridade (antiga) de alguém, tanto da família, quanto de amigos ou de colegas de trabalho.
  • Pernas: Rompimento do pai ou da mãe com alguém cuja autoridade impede seu desenvolvimento com relação ao futuro.
  • Tornozelos: Pai ou mãe inflexível, que não aceita o comportamento de alguém com quem convive. Deseja sempre moldar o outro à sua maneira.
  • Pés: Pais infantis na forma de lidar com os problemas: não compreendem a vida; colocam-se sempre na posição de vítimas, o que os leva a romper com a autoridade de alguém.
  • Coluna: Pais com orgulho e profundas mágoas; rompimento forte de laços; desarmonia, violência no coração.

livro 2 b

 

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]