Saúde Integral

As cinco leis da nova medicina germânica

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você já ouviu falar sobre a Nova Medicina Germânica? Também conhecida como a Nova Medicina Alemã – ou apenas pela sigla GNM -, a Nova Medicina Germânica se baseia nas descobertas do médico Ryke Geer Hamer por meio de cinco leis biológicas que têm por finalidade explicar o desenvolvimento, as causas e a cura natural para doenças, tomando como base os princípios naturais biológicos.

Não se trata de um tipo de medicina integradora, alternativa ou complementar. De acordo com Dr. Hamer, as doenças não são o resultado de algum mal ou disfunção que o nosso organismo acaba sofrendo, mas de Programas Especiais com Significado Próprio, que são criados para auxiliar os indivíduos em momentos de grande aflição psicológica ou emocional.

Todas as teorias sobre medicina que acreditávamos até o presente momento, sejam elas alternativas ou convencionais, se baseiam na ideia de que as doenças são resultados de problemas do organismo. Assim, as descobertas do Dr. Hamer prova que não existe nada de doentio na natureza e que o organismo humano possui uma capacidade infinita de criatividade e de autocura.

A primeira lei biológica

Falta de apetite, de sono e pés e mãos frios são sinais de que você está vivenciando a fase do conflito ativo; ou seja, está pensando constantemente sobre isso. Do ponto de vista da biologia, o estresse, em especial a alta preocupação com o problema, e a insônia têm como objetivo colocar o indivíduo em um estado para que a resolução do conflito se torne mais fácil. Isso significa que quando deparamos com alguma situação de conflito nosso sistema autônomo nervoso imediatamente migra para um estado de estresse elevado, chamado de simpaticotonia, para que o organismo receba mais energia e, assim, estejamos aptos para resolver mais rapidamente a situação.

Em suma, esta fase refere-se a uma situação inesperada que não pudemos sequer prever, e, consequentemente, não estávamos preparados para lidar, como a morte de uma pessoa próxima e querida, uma inesperada separação ou uma raiva abrupta.

A segunda lei biológica

Podemos dizer que a base da terapia da Nova Medicina Germânica é a compreensão dos sintomas para que, em vez de lutar com o conflito, o indivíduo consiga resolvê-lo. No momento em que criamos a consciência de que certos sintomas são típicos da fase da primeira lei biológica, passamos a ter absoluto controle da situação.

Mas é importante salientar que não existe uma fórmula mágica de resolução de conflitos. Cada um depende das condições individuais de cada pessoa.

A terceira lei biológica

A terceira lei biológica, também é conhecida pela sigla SBS, que significa Sistema Ontogenético dos Programas Especiais de Sentido Biológico, tem como objetivo entender as modificações fisiológicas sofridas em cada um dos tecidos.

A quarta lei biológica

Nesta lei, temos a consciência plena de que a cura de doenças é comandada por completo pelo nosso cérebro. A quarta lei da nova medicina germânica, que também é conhecida como Sistema Ontogenético dos Micro-organismos, afirma que não é toda vez que os micro-organismos são os causadores das enfermidades, estabelecendo assim uma relação do corpo humano com eles.

A quinta lei biológica

Na quinta e última lei, entende-se, por fim, que cada enfermidade faz parte de um longo processo evolucionário; ou seja, fazem parte do instinto de sobrevivência de cada ser humano.


Texto escrito por Flávia Faria da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]