Saúde Integral

Licença-paternidade estendida: um direito alcançado

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A licença-paternidade é extremamente importante, principalmente para as mulheres que necessitam de muito apoio nos primeiros dias após o nascimento do bebê. Isso ocorre porque a mulher fica extremamente cansada e debilitada e cuidar de um recém-nascido não é tarefa fácil.

Os pais nessa hora têm uma tarefa importante e servem de apoio ajudando nos cuidados, dando assistência em atividades da casa e auxiliando com a criança. Além disso, os primeiros dias de contato com o filho é importante para o pai, pois cria um vínculo entre ele e o bebê.

Primeiramente, a licença era de apenas cinco dias. O que é um tempo muito curto se considerarmos que o período mais difícil são os primeiros três meses da criança. Com isso, a presença do pai ficava relativamente curta.

A licença-paternidade não é um momento ocioso para o homem, mas uma forma de auxiliar a mulher que tanto necessita.

Já está sendo cotado o aumento da licença-paternidade para até 20 dias de licença. Esse é um tempo bem longo se comparado aos cinco dias, mas talvez não um tempo muito considerável quando pensamos nas dificuldades enfrentadas nos primeiros meses. Em alguns países, os pais têm direito a até 90 dias de licença, o que já é um tempo suficiente.

Empresas já estão aderindo a esse tempo estendido de licença e sendo subsidiadas pelo governo através da redução de taxas tributárias; isso confere uma equivalência e, assim, a falta do funcionário não interfere na questão financeira. No entanto, as companhias não devem ter uma visão de perda ou lucro, mas sim uma questão humanista que terá uma repercussão futura. Afinal, uma nova vida está por vir.


Texto escrito por Giulia Maquiaveli da Silva da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]