Autoconhecimento

Mude a sua vida

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

É tão estranha a sensação de ócio e vazio, mas tão comum e quase que de presença obrigatória no dia a dia da cidade grande. Pela grande quantidade de tarefas que estamos submetidos a cumprir, muitas vezes surgem momentos em que paramos para refletir se estamos realmente vivendo a vida ou simplesmente atingindo metas de trabalho ou realizando cobranças sociais.

Desta maneira, nos pegamos diante de um sentimento de falta de sentido, de algo como um vazio. Além disso, quando temos algum tempo livre ou podemos relaxar, muitas vezes não nos permitirmos aquele “ficar sem fazer nada”, pois o nosso corpo e mente estão acostumados com um ritmo frenético e agitado que parece não sair de nós.

O conforto

Tal situação é certamente causada pelo conforto, não tão confortável, da nossa rotina. Ou seja, está se acostumado a viver daquela maneira e mudanças bruscas não são muito consideradas quando se teme perda de estabilidade e segurança proporcionadas por uma vida já formada e em funcionamento.

A zona de conforto é um perigo para quem precisa mudar, exatamente por bloquear a visão sobre essa necessidade. Quem “vai levando” a vida a diante não percebe que pode e deve viver outras alternativas, experiências, aprender com outros contextos, novos conhecimentos e vivencias.

Novas frentes

shutterstock_109409330 Nenhum de nós está completamente satisfeito com tudo o que vive, e isso é mais do que normal. Entretanto, não é preciso viver em constante sofrimento ou insatisfação. A identificação de erros, ambientes, pessoas, circunstâncias e até mesmo atitudes causadoras de insatisfação devem ser modificadas. Para isso, o caminho está em buscar novas frentes, novas oportunidades.

Primeiramente deve conhecer-se melhor a fim de entender o que está fora do lugar. A partir de então, fica mais fácil identificar caminhos novos que possam proporcionar a mudança para melhor e eliminação da situação anterior.

Por exemplo, se está muito cansado, sobrecarregado, com reflexos de exagero até mesmo em seu corpo como dores de cabeça, dores musculares, noites mal dormidas, alguns podem ser os fatores motivadores, como o trabalho, o excesso de cobranças externas ou até mesmo internas, o esforço físico ou mental. Neste caso, a iniciativa deve partir de notar o que está sendo feito em exagero, diminuir sua carga horária ou então trocar de atividade.

Ponta pé inicial

Comece sem medo. Um planejamento pode lhe trazer mais segurança para tal mudança. Por exemplo, se seu trabalho não está mais lhe fazendo bem, não é necessário demitir-se imediatamente e ficará a Deus dará. Inicie seus planos, busque novos empregos e aos poucos vá se desvinculando da situação anterior. Ter um plano B lhe trará mais coragem para encarar o novo desafio.

Outra importante atividade é a troca de experiências. Converse com aqueles que também vem buscando novas chances, seja na dieta, no trabalho, nos círculos sociais. Cada um tem um relato, um problema e um sucesso a contar. Conhecer a história a alheia também nos faz sentirmos menos “ovelhas negras” e encarar a mudança de vida como processo natural.

A coragem

O maior desafio está em aceitar a necessidade de mudanças.

Não é fácil não temer a mudança de emprego, o desapego à certas atividades ou livrar-se de certos compromissos que antes lhe pareciam obrigatórios. Tudo isso se deve ao processo que leva mudar de vida. Nada será feito de uma hora para a outra. O procedimento exige dedicação, atenção e principalmente paciência.

O que não é permitido é dar para trás. Se durante o caminho de mudança for identificado novo descontentamento, não há problema em mudar novamente, ir atrás de outra alternativa. Mas nunca se deve retornar para onde estava achando que terá a estabilidade de volta. Aquilo que gera insatisfação não poderá ser novamente prazerosos se encarado como um resgate ou um retrocesso.
O maior objetivo é que as mudanças sejam rapidamente manifestas como um bem em sua vida. Sentir falta do que se tinha também pode acontecer, entretanto, se resolver retomar alguma atividade anterior, encare-a de outra forma, veja sempre a vida com novos olhos e novos caminhos brilharão pela sua trajetória.


Texto escrito por Júlia Zayas da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]