Convivendo

Muito obrigado a todas Elas

Duas mulheres beijando a mãe na bochecha, enquanto esta sorri.
123RF/szefei
Nilton C. Moreira
Escrito por Nilton C. Moreira

Todo dia tem uma data consagrada, mas poucas no mês se destacam. Este mês de maio é dos mais especiais, pois temos uma data importantíssima que é comemorada. É o Dia das Mães. Essa figura tão singela que possibilita a vinda ao mundo dos corpos que vão habitar almas designadas para cada lar.

Ser mãe é possuir capacidade de amar, pois só demonstra amor incondicional aquela que é capaz de carregar no ventre um ser que está chegando ao Planeta.

Mesmo aquelas mães que são impossibilitadas de procriar um filho possuem esse amor especial, pois quando adotam uma criança são capazes de se revestir de uma luz tão brilhante e purificadora.

Escolher vir ao mundo como mãe não é tarefa fácil, e, certamente, já na espiritualidade, mesmo antes de nascer como mulher, já sabe das dificuldades que enfrentará, mas também sabe que junto a si sempre terá o amparo da Espiritualidade Maior, para que possa num futuro receber a tarefa de conduzir no mundo o ser a elas confiado.

Mãos de um bebê segurando os dedos da mão de uma mulher.
Unsplash/Liv Bruce

Desde que se torna mãe, a mulher não é mais a mesma, pois todas as prioridades são direcionadas ao ser que cria, seja ele biológico ou adotado, pois para uma mãe não existe essa diferença, e a preocupação dela se torna uma constante, seja quando os filhos são pequeninos ou adultos. Para uma mãe os filhos são sempre crianças.

Pode ser uma mãe das mais frágeis, mas ela se torna uma guerreira quando o filho é ameaçado. Vai defendê-lo mesmo que ele esteja errado, pois é do instinto essa opção.

Você também pode gostar

O pior dos bandidos pode esquecer-se de tudo que faz, mas nunca esquece o nome de sua mãe, pois traz no seu íntimo gravado quem lhe deu o primeiro beijo e lhe fez o primeiro afago.

Ser mãe é ser doadora de energias restauradoras e calmantes, quando por ocasião do choro do filho consegue acalmar suas ansiedades e, até por ocasião de pequenos ferimentos, é capaz de com apenas um sopro aliviar a dor sentida.

Mulher grávida de vestido pegando sua filha menor do colo, em um campo.
Unsplash/Anna Pritchard

Ser mãe é ter um coração grandioso, capaz de ser submetida a piores sofrimentos pelo filho e resistir à dor, e mesmo depois que esse filho parte para a espiritualidade, o seu amor continua vinculado a ele. O amor de mãe transcende a vida material, e seu pedido é tão poderoso que Chico Xavier definiu dizendo: “quando uma mãe faz uma prece pelo filho, ela arromba as portas do céu”.

Nesse mês é com alegria que lembramos um pouco mais de nossas mães. E rogamos a Mãe Maria, para que derrame por todos nós deste Planeta tão sofrido as suas bênçãos de melhoria, e nós, que possamos ter mais amor no coração e ao próximo. Ao mesmo tempo vamos elevar o nosso pensamento em prece para que boas energias cheguem até Essa Mãe, que muito sofreu pelo Seu Filho Jesus, e que essas energias se estendam a todas as mães encarnadas e as que já se encontram no Plano Espiritual.

Muito obrigado a todas Elas.

Sobre o autor

Nilton C. Moreira

Nilton C. Moreira

Policial Civil, natural de Pelotas, nascido em 20 de maio de 1952, com formação em Eletrônica, residente em Redentora (RS), religião Espírita, casado.
Email: [email protected]
Facebook: /Nilton-C-Moreira