Comportamento Empoderamento Feminino

Mulher artigo feminino

Mulher jovem imitando a pose e as roupas de Rosie, a rebitadeira.
Ana Cláudia Nogueira

Após 364 dias, o novo Dia Internacional da Mulher chegou!
Interessante perceber que todos os dias fomos, somos e seremos mulheres. Mas hoje estou melhor, porque aprendi com o ontem e estou me preparando para o amanhã. Meu olhar amanhece cada dia mais claro para ver que sem muito alarde, vivendo meu cotidiano modesto, como tantas outras vou ajudando a construir a mulher dos tempos atuais.

Cinco mulheres de costas, andando abraçadas. Todas possuem pesos, alturas e etnias diferentes.
123rf/rawpixel

O tempo tão relativo expande, respeitando a grande onda que é o Universo e assim vai transformando a visão frágil da mulher na imagem de mulher de respeito e a ser respeitada como tudo e todos que compõem este planeta.

Você também pode gostar

O autorrespeito que devemos construir desde tenra idade vai nos tornando seres humanos íntegros em todos os aspectos da vida, respeitando a tríade que nos compõe, que é o corpo, a mente e o espírito. Isso nos liberta do modelo padrão, a meu ver arcaico, de macho e fêmea, e nos unifica como seres humanos.

Ser humano é todo aquele que traz o formato corpóreo humanoide e que está vivenciando uma experiência terrena com as ferramentas dos pensamentos, dos sentimentos, dos aprendizados, das atitudes de escolha do livre-arbítrio com suas consequências e fazendo acontecer a evolução do Eu, do próximo, do coletivo, do planeta, do Universo.

Independentemente de me ver como mulher, e olha que me vejo bem feminina, predominantemente “yin”, me vejo e me sinto simplesmente o máximo, que é ser ser humano.

Grupo de mulheres gritando em protesto com os punhos para o alto.
Pxfuel

Digo com segurança de quem lida há quase meio século com seres humanos, principalmente os femininos, que devemos nos autorrespeitar e ter o pacto com o bem, com a participação máxima que pudermos para a evolução do nosso Eu, do planeta e consequentemente do Universo. E não importa se estamos mulher, porque na verdade estamos no modo de escolha da Energia Suprema para dessa forma vivermos o amor em plenitude como pessoa, filha, irmã, neta, prima, sobrinha, amiga, profissional, mãe, avó, bisavó, namorada, esposa, parceira, cidadã e tantos outros papéis que no momento nos colocam dentro do artigo feminino.

Feliz todos os dias do ser mulher!

Sobre o autor

Ana Cláudia Nogueira

Ana Cláudia Nogueira

Médica formada em 1997 pela faculdade de medicina de jundiaí-são paulo.especialista pela federação brasileira de ginecologia e obstetrícia. pós-graduada em biofísica quântica e biorressonância aplicada. pós-graduada em gestão de saúde e especializada em auditoria médica pela Fundação Getúlio Vargas. atuou nos hospitais Pérola Byington - centro de referência da saúde da mulher, Hospital Maternidade Modelo Vila Nova Cachoeirinha e atua na rede Pro Matre/ Santa Joana em São Paulo. Desde sempre em busca da verdadeira saúde, da integração mente, corpo e espiritualidade já realizou diversos cursos em medicina integrativa, preventiva e funcional.

Contatos
Email: [email protected]
Instagram: @anaclaudiascarabel