Autoconhecimento Psicanálise

“Não” também é amor!

Ana Cerqueira
Escrito por Ana Cerqueira

Hoje vou falar sobre uma palavrinha mágica que, apesar de pequena, causa grande desconforto tanto para quem fala quanto para quem ouve: o “não”!

Mas por que temos tanta dificuldade em dizer “não”? Porque somos educados e condicionados por família, pais, escola e sociedade a sermos sempre “gentis”, “educados”, “respeitosos” e “corretos”. Estes são valores louváveis e benéficos para as relações humanas, mas a forma como absorvemos estas “imposições” faz uma grande diferença.

Se desde cedo não aprendemos a falar “não”, a impor limites, cada nova situação vai se tornando mais trabalhosa. Além disso, temos uma tremenda necessidade de aparentar ser o que esperam da gente, mesmo que lá no fundo não seja bem assim. Ainda nos preocupamos demais com o que os outros vão falar e pensar. Acreditamos que não possamos nem devamos magoar ninguém e que é “feio” dizer “não”.

E assim, frustrados, seguimos pela vida como simples fantoches, fazendo muitas vezes o que não gostamos, o que não queremos, para mantermos a nossa aparência de perfeitos e bondosos.

E sofremos e adoecemos.

Falar “não” também é amar, primeiramente a si e depois ao outro. Falar “não” quando realmente não queremos é ser verdadeiro e honesto consigo e com o próximo. Quantas vezes “engolimos sapo” em situações que nos deixam pra baixo por medo de dizer “não”? Precisamos aprender a falá-lo com amor e sem agressividade.

Falar “não” muitas vezes é impor limites, é dizer até onde o outro pode ou não ir. Falar “não” é se respeitar e respeitar o outro, mesmo que em determinado momento ele não consiga perceber. Diga não ao desrespeito, diga não às ofensas, diga não à falta de amor, diga não às imposições que não lhe agradam.

the education of the child. mother scolds her child girl. family Mas, antes de tudo isso, antes de sair por aí dizendo “não” e impondo os limites para o que não te faz feliz, reflita: você está preparado para ouvir o “não”? Acredito que ouvir ainda seja mais trabalhoso do que dizer, pois ainda nos sentimos magoados, frustrados quando o outro não age como achamos que deveria. Ainda o colocamos como ingrato, como insensível, o julgamos. Ainda não conseguimos aceitar as diferenças, as vontades e os desejos do outro.

Como está o seu respeito ao “não” alheio? Como você está lidando com os “nãos” que os outros e a vida estão lhe dando? Como criança chorona e birrenta ou com compreensão e amor? Apenas quando conseguirmos avaliar e trabalhar o nosso ouvir o “não” é que estaremos aptos a falar o verdadeiro “não” com amor.

Sobre o autor

Ana Cerqueira

Ana Cerqueira

Sou Psicanalista Clínico, com especialização em Métodos de Acesso Direto ao Inconsciente. Tenho graduação em Publicidade e pós-graduação em Comunicação Digital. Sou Autora do Blog “Amor pela Psicanálise”.

E-mail: [email protected] | [email protected]
Facebook: Amor pela Psicanálise
Instagram: @amorpelapsicanalise
Site: Blog Amor pela Psicanálise