Autoconhecimento Psicologia

Natal e Ano Novo não são sinônimos de felicidade

Amanda Fornaciari
Escrito por Amanda Fornaciari

O Natal e o Ano Novo não são sinônimos de alegria, bem-estar e felicidade, como geralmente é demonstrado nas propagandas. Para algumas pessoas, esta época do ano causa tristeza, angústia e ansiedade. E, infelizmente, há pessoas que não compreendem a dor do outro neste momento e a diminui, dizendo: “Vai passar!”, “Mas é Natal, é tempo de alegria!”. E talvez o que o outro precise é apenas de um acolhimento. Os sentimentos, o sofrimento não podem ser desconsiderados, pois toda esta tristeza, angústia e ansiedade pode ser depressão.  

Isto pode ser ocasionado por diversos fatores, como por exemplo: receio do futuro (“O que acontecerá no próximo ano? Será que vou alcançar o que desejo?”); lembrança das pessoas que eram próximas e não estão mais presentes (por falecimento, mudança ou término de relacionamento); entre outros.

shutterstock_335248172Todo este sentimento negativo – que é considerado pela sociedade – pode se transformar em algo positivo, se a pessoa conseguir rever o que ela está fazendo em sua vida e o que ela pode fazer para mudar. Ela pode pensar: “Estou agindo desta forma, não estou obtendo o sucesso que gostaria. Estou muito triste e insatisfeita. O que eu posso fazer de diferente para melhorar?”. Se ela conseguir ter este tipo de pensamento, ótimo!  Ela está modificando o seu sentimento e isto só foi realizado pelo fato que ela entrou em contato com o seu sentimento de tristeza. Por isso, não podemos ignorar os “sentimentos negativos”.

Mas se o individuo não consegue ter esta atitude, não consegue tomar decisões, possui alguns dos sintomas abaixo há um determinado tempo, como: um olhar pessimista, dificuldade de fazer as atividades cotidianas; irritabilidade; dificuldade de terminar o que começou; persistência de pensamento negativo; insônia; perda de apetite; perda ou diminuição do desejo sexual, entre outros. É recomendável que a pessoa procure um profissional de saúde, pois o quadro pode ser diagnosticado como depressão, mas quem fará avaliação é o médico. A psicoterapia trabalhará junto com a medicina para tratar a depressão.

Portanto, vamos tomar o cuidado para não generalizar os sentimentos. Cada um possui um olhar.


O texto é informativo, não substitui a psicoterapia oferecida pelo psicólogo.  

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Amanda Fornaciari

Amanda Fornaciari

Graduada em Psicologia (CRP 06/118369) e formanda em Psicopedagogia, ambas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

É idealizadora e criadora da página do Facebook Observações da Psicologia.

Realizada atendimento psicológico na abordagem analítica: consultório localizado na Av. Brig. Faria Lima, 1713 - conj. 54 - São Paulo/SP

Contato:

Telefone: (11) 98461-6074
Email: fornaciari.psi@gmail.com
Site: amandafornaciari.wordpress.com