Convivendo

No Soneto da Primavera

Xícara de chá com flores dentro
Pixabay/Pexels
Cintia Barbosa
Escrito por Cintia Barbosa

Lá vamos nós na valsa da primavera! Deixamos abrir alas para mais um desfile da Mãe Natureza. Com sua comissão de frente, as flores do campo, camponesas singelas de beleza interior. Bem próximo a essas estão os copos de leite, verdadeiros cálices de paz e tranquilidade dando os braços para a alegria dos girassóis, representando o pai Sol, que nos motiva a cada amanhecer a seguir o baile da vida. E junto do arco-íris as íris mostrando-se vistosas, exalando seu perfume por toda sapucaia. “Explode coração!” Pois em sua exuberância se apresentam com uma mestria única, as orquídeas nos encantam pelo olhar, misteriosamente. Tantas outras plantas e flores primaveris nos acolhem, acalentam e curam a alma.

Ah! Quem somos nós diante de tanta magnificência? De tanta perfeição, poder e vitalidade? Nós somos os privilegiados, os abençoados por estarmos entre elas, bem como por estarmos experienciando todos os ciclos.

Mulher segurando uma rosa
Kelly Sikkema/Unsplash

Todas ligeiramente criadas e preparadas por meio de sua geometria sagrada. Detalhes que nos passam despercebidos, mas que merecem atenção, pois contêm a verdadeira assinatura Divina.

Tempo de preparar para celebrar o florescer. Após seis meses de hibernação, de preparo interior, nada mais válida a nossa celebração. Quantas redescobertas, quantos excessos, quantas podas… quanto crescimento! Florescemos!

Novamente o mestre convida nossa alma a escutar o canto dos pássaros e da gaita de fole, a dançarmos com as ninfas e com todos os elementais de Luz nesse gramado recém-batizado pelas águas de Iemanjá.

Você também pode gostar

Quem ainda não se aprontou se apronte, pois a festa já começou, e é na sapucaia tupiniquim mesmo! Que as “Cissas” existentes em nós deixem o coco inteiro e aproveitem a presença da Prima Vera para nos embalar nesta jornada, hidratando o corpo para fortalecermos cada vez mais nossas raízes! Um espírito primaveril nunca morre, nunca deixa de florescer, apenas permite que as demais estações se apresentem e cumpram seu papel no ciclo da vida.

Eu flor, tu flores, nós florimos!

Sobre o autor

Cintia Barbosa

Cintia Barbosa

Eu sou Cíntia Barbosa, uma profissional buscadora de minha mestria há oito anos. Uma semente do despertar da consciência foi plantada e segui cumprindo o fluxo natural de germinação, resultando em um belo processo de transformação e autoconhecimento.

A vida me apresentou escolas para passar por elas e receber todas as informações, aprendizados, conhecimentos necessários e aplicáveis que serviriam como contribuição às demais conexões sociais e ao mundo. Então, recebi formação no serviço e educação social, nas especializações em gestão de pessoas e responsabilidade social, nas práticas integrativas e complementares de saúde, na reconexão e alinhamento com o Eu Superior, minha ancestralidade e na posse do meu lugar sistêmico. Aprendi a desaprender para reaprender quem sou, o que me conecta ao mundo e o sentido do propósito a cumprir. Com isso, experienciei diversas possibilidades de me conhecer e cuidar para estar apta para contribuir com as pessoas, e assim poder conscientizá-las de sua mestria e ensiná-las a viver seu propósito.

Estou a serviço da vida!

Contatos:

Email: [email protected]
Facebook: maestriaemsi
Instagram: @maestriaemsioficial