Comportamento Saúde Mental

O CONTEMPLATIVO É RARO NA GERAÇÃO DO CANSAÇO Por Filósofo Nilo Deyson

Atualmente, fazemos parte de uma geração do cansaço. Não temos mais disposição para contemplar o que há ao nosso redor, para viver o aqui e agora e para colher os detalhes do cotidiano. Mas é possível mudar essa realidade. Reflita sobre o que nos colocou nesse caminho, com o artigo que preparamos para você.

Estou vendo que, de fato, muitas pessoas com saúde perfeita hoje correm o risco de morrerem antes do tempo.

Ao nascer um bebê, todos o acham lindo, no entanto, antes de descer a cova, essa criança cresceu e se tornou adulto. Neste primeiro momento, sua vida foi vivida de qual maneira? Digamos que agora ela esteja no caixão em seu velório após viver toda uma vida dedicada à alguma coisa. Neste momento no velório, ele vai atrair admiração da pessoa que foi ou repúdio e julgamento por ter cometido diversas coisas que fizeram dele uma pessoa ruim? Mas, quando neném, todos o amavam. Será mesmo que essa pessoa no caixão, morta, foi uma pessoa ruim? Será? Você pode julgar? Conhece mesmo todos os detalhes da vida dela? Cautela!

Olá, amigo leitor do Portal EuSemFronteiras. Aqui neste artigo, o Filósofo Nilo Deyson Monteiro Pessanha deixa registrado para a história um belíssimo trabalho de reflexão para ser pensado. Começo com uma provocação: “Hoje, você faz isso que você faz para quem?”.

Obviamente que você precisa trabalhar, estudar e ser alguém que faça a diferença neste mundo. Claro, em seus limites, você poderá sempre trabalhar para melhorar sua versão humana e seus resultados. Todos querem conforto, segurança e estabilidade, mas isso tudo custa tempo e suor, talvez custará sua saúde, enfim, sua vida!

Na geração do corporativismo e produção em tudo aquilo que se faz, é impulsionado o positivismo em todos os aspectos da vida humana, de sorte que muitas pessoas vendem até a alma para o diabo para terem seus sonhos realizados. Essa geração de corporativismo, eu, Nilo Deyson, como Filósofo, darei o nome de geração do cansaço, incapazes de viver a vida, pois não terão tempo para o contemplativo, e sim, para a produtividade e a falsa sensação de positivismo, logo chamo de geração do cansaço.

Nunca se viu tanto adulto e criança em estado de ansiedade e estresse. Um fenômeno da modernidade, que serão temas muito discutidos pelos filósofos do futuro a partir de 2050, quando, obviamente, teremos mais de 11 bilhões de seres humanos na terra e, provavelmente, muitos medicamentos serão adotados para cuidar dos doentes mentais do futuro. Sem falar dos problemas mundiais que teremos, por exemplo, a guerra por água potável, e o Brasil será alvo político e terá a Amazônia como centro das atenções. Mesmo estando no ano 2050, com grande parte da Amazônia em desmatamento, ainda será abrigo de grande parte da flora e poderá render lucros e poder.

Homem estressado em frente ao computador
Rawpixel.com / Shutterstock.com

Também teremos muitos discursos encantadores de gurus digitais que tomarão lugar e igrejas em épocas de apostásia esvaziadas pelo acesso ao conhecimento, onde seus membros passarão a ter tantas informações e conhecimento que não serão tão fáceis de serem enganados como hoje em dia, no ano deste artigo, 2023.

Também teremos muitas pessoas que não estarão votando mais em ninguém, claro, não precisamos esperar muito tempo para isso acontecer, pois ao passo que surgem novos anos eleitorais, surgem leitores mais bem informados e intolerantes ao espírito político e aos discursos sofisticados. A resistência será maior e o fenômeno de pessoas com acesso ao conhecimento, ainda que raso e artificial, farão menos pessoas irem votar em ano eleitoral e pessoas deixarão suas igrejas.

A produtividade fará surgir paulatinamente o cansaço mental e físico. Sim, as empresas sugam toda sua energia e você deixará de contemplar a vida. Vejo isso com um certo espírito de rejeição, pois não sei babar nenhum patrão, quiçá abriria mão de viver o que EU QUIS VIVER para ficar agradando outros.

Permita-se contemplar a vida!
Repare a natureza, os pássaros, todas as coisas simples da vida. Você sabe respirar direito? Você bebe 2 litros d’água por dia? Você pratica esportes 3 vezes na semana? Você lê 1 livro por mês? Você se alimenta corretamente, ingerindo o que você vem comendo ultimamente? Você faz meditação ou teria contato com a natureza e com grande Arquiteto do Universo? Você trabalha com aquilo que ama fazer?

Difícil né!

Para quem é que você corre o dia todo?
Para quem você faz o que faz?
Para onde exatamente você estaria levando sua vida?

Faça aquilo que ama fazer; você está condenado à liberdade, assim, estrague sua vida como quiser.
Não espere nada da vida, você escolhe o que quer viver e esse será teu destino.

No dia da tua morte, você será julgado pelo que deixou como legado, e não por quem você acha que os outros devem pensar que você é.

Você também pode gostar:

No teatro da vida, QUEM NOS garante ser verdade das coisas?
Muitos momentos, você deixou de viver, e por qual motivo mesmo?
Converse com 4 idosos diferentes e pergunte a cada um deles se a vida vale a pena, e se eles mudariam alguma coisa por terem deixado de viver?
Viva a vida com leveza e paz de espírito.

São alguns dos principais sinais de quem vai viver mais anos na vida.

Sobre o autor

Nilo Deyson Monteiro Pessanha

Sou filósofo, escritor, poeta, colunista e palestrante.
Meus trabalhos culturais estão publicados em diversas plataformas. Tenho obras e livros publicados.

Podem também pesquisar no Google: filósofo Nilo Deyson Monteiro Pessanha

Sou uma incógnita que deve ser lida com atenção e talvez somente outras gerações decifrem meu espírito artístico. Sou muitos em mim e todos se assentam à mesa comigo. Posso não ser uma janela aberta para o mundo, mas certamente sou um pequeno telescópio sobre o oceano do social.

Contato:
Email: dyson.11.monteiro@hotmail.com
Site: rota-om.com.br/
YouTube: FILOSÓFO NILO DEYSON MONTEIRO PESSANHA
Instagram: @nilo_deyson_monteiro_pessanha
Facebook: Nilo Deyson Monteiro Pessanha