Autoconhecimento

O Direito de Sentir

Mulher branca, vestida de rosa, no meio da floresta, se espreguiçando.
Vanessa Milis
Escrito por Vanessa Milis
Estamos vivendo a era da “pseudo-espiritualidade”, onde chorar é sinal de fraqueza, ficar triste ou sentir raiva é feio e amor ao próximo é só quando nos for útil.
Nunca antes na história da medicina e da psicologia se registrou tantos casos de doenças psíquicas e psicossomáticas.

As pessoas estão cada vez mais focadas na aparência exterior e pouco conectadas na essência interior. Basta ver a quantidade e variedades de academias que emergiram como oferta de “saúde perfeita” nos últimos anos.

E a meditação? Virou moda. É lindo meditar. Porém sentir é feio. Sentir denuncia o nosso baixo grau de evolução. Ao menos é como os despreparados e pseudo-evoluídos de plantão julgam.

Mulher branca, de cabelos ruivos, com um vestido verde claro, correndo sorridente em um campo verde.

Quero dizer algo muito sério a você: não se reprima!
Sábios eram Os Menudos nos anos 80. Toda vez que você contiver o que sente, seja de bom ou de ruim, quero que você ouça o refrão: “Não se reprima. Não se reprima. Não se reprima.”, que ria de si mesmo(a). Que esse seja a trilha sonora do seu subconsciente toda vez que você negligenciar ou ignorar o que sente.

Todo sentimento que você ignora o seu corpo registra em forma de somatização. Já percebeu que as pessoas raivosas ou que reprimem a raiva costumam ter azia e dores no corpo? Cada parte do nosso corpo corresponde a determinados sentimentos. Pesquise sobre psicossomática e saberá.

Por isso, sinta! E sinta com intensidade o que quer que venha a sentir. O sentimento é parte da estrutura do processo psíquico humano. Faz parte das nossas riquezas. E o que seria dos sentimentos bons se não existissem os ruins?

Investigue o que sente, admita o que sente. Só assim será capaz de ressignificar as suas questões interiores. E esteja atento: aquilo que você sente não é a verdade absoluta sobre o que você vive.

Os nossos sentimentos dão sinais sobre as nossas interpretações, sobre o que acontece conosco e ao nosso redor. Muitas vezes, será preciso dizer para si: “Isso não é real!”.

Apesar de nem sempre o que sentirmos corresponder à realidade, jamais ignore nada. Assuma tudo o que sente. Procure reconhecer as associações que a sua mente faz entre o que lhe acontece no momento com o seu histórico de experiências.

Silhueta de mulher com os braços levantados, olhando pra cima, com o sol se pondo no céu.

Quando sentir raiva ou ressentimento, uma atividade pode ajudar: escreva uma carta para as suas emoções. Diga tudo o que estiver sentindo, esbraveje, contextualize a sua indignação, use o pior vocabulário que puder. Coloque para fora. Como diria o Shrek: “É melhor para fora do que para dentro!”. Depois, leve até um recipiente de metal, preferencialmente sobre a pia da cozinha ou dentro da churrasqueira, e coloque fogo. Despache a sua raiva com as cinzas. Tenha a satisfação de ver a sua raiva, indignação e problemas sendo queimados e desintegrados.

Quanto mais sentimentos você agregar a essa atividade, maiores os efeitos positivos em suas emoções e mais efetivo será o registro no seu subconsciente.

Sentimento é um caminho para a conexão com o nosso eu essencial. E acredite: você tem o poder de ressignificar o que sente. À medida em que treinar e se tornar ágil nessa habilidade, terá mais agilidade na transição dos sentimentos ruins para os bons.

Felizes são aqueles que se dão o direito de sentir.


Você também pode gostar de outros artigos da autora: Quando perder é vencer

Sobre o autor

Vanessa Milis

Vanessa Milis

Desde 2010, quando fundei o Instituto Realize, atendo organizações, como Imex, Seventh, SC Gás, Nith Treinamentos, Titia Avó Maria Coxinha, Renaux View, SBT, Damásio Educacional, Costão do Santinho, Petrobras, UATT?, Motorfort, Aemflo/CDL, e outras centenas de organizações que treinei e assessorei nas áreas de liderança, vendas, desenvolvimento de equipes e atualmente na ampliação da mentalidade 4.0 e inovação.

O meu porquê é: despertar e habilitar nas pessoas a incrível capacidade de transformação e geração de resultados que elas têm.

Tenho trabalhado para conectar o EU DIVINO de cada ser humano à capacidade de inovar e fazer a diferença nos negócios e na vida.

Acredito que é por meio da atuação profissional que revelamos nosso poder de promover transformações positivas no mundo. Nesse sentido, creio que a Transformação Digital e a Era dos Negócios 4.0 ampliem esse poder.

Minha experiência de 15 anos no universo do e-business, paralelamente às experiências em T&D e à vivência no ecossistema de startups, me credibiliza para dar contribuições substanciais neste momento de mercado e cumprir minha missão.

Meus números | Comprovação Técnica:
• Mais de 10 mil horas em atendimentos em coaching e mentory
• Mais de 5.700 pessoas impactadas diretamente
• Mais de 230 empresas atendidas

Formei e consolidei uma abordagem de trabalho eficaz, que virou acrônimo do meu sobrenome M.I.L.I.S (Mentalidade 4.0, Inovação, Liderança, Inteligência Espiritual e Sucesso). Por meio desses elementos, navego pelo contexto da Transformação Digital – Inovação, Cultura e Gestão 4.0. Gosto muito do atual momento de mercado, que traz inúmeras oportunidades e excelentes desafios que serão um divisor de águas para aqueles que estiverem preparados para lidar com a era 4.0 dos negócios. A 5.0 bate à porta, então vamos lá!

Contatos:

Facebook: facebook.com/vanessamilisoficial
LinkedIn: Vanessa Milis
Site: ivanessamilis.com.br
Youtube: Vanessa Milis
Instagram: @vanessamilis
Telegram - Lista de transmissão: Lista Transformação Integral | M.I.L.I.S

Celular e WhatsApp: (48) 99188.5226 (Vanessa Milis)
E-mail: [email protected]