Convivendo

O encontro, 20 anos depois, de uma vítima e o homem que a estuprou

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Thordis Elva e Tom Stranger são palestrantes de um tema bem incomum: a noite em que ela foi estuprada por ele. A princípio pode parecer assustador e até mesmo perturbador, e provavelmente realmente é, mas o objetivo é evitar que situações do tipo se repitam e ajudar a conscientizar as pessoas sobre a gravidade de um caso de estupro, seja ele de qual tipo de for.

O caso em questão ocorreu quando ela tinha 16 anos e ele 18. Eles eram namorados e, após um mês, Tom decidiu forçar Thordis a manter uma relação sexual. Ela se sentia insegura pois era sua primeira vez, mas ele, em vez de ajudar com que ela superasse seus medos, resolveu ouvir apenas seu instinto animal e colocar mais um medo na menina. Na palestra ela conta que foram as duas horas mais longas de sua vida e que se sentia como se estivesse sendo partida ao meio.

Eles se reencontraram 20 anos depois, por procura dela, e descobriram que a vergonha e a dor faziam parte da vida dos dois. Ela por não ter tido forças para impedir o acontecido e por se sentir culpada pela saia curta que vestia, por ter bebido e por ter permitido que ele a tocasse. Ele por ter sido covarde a ponto de forçar um ato que só deveria ser feito por livre e espontânea vontade dos envolvidos.

Hoje fazem a palestra através do TED Talks, objetivando conscientizar as pessoas de que o estupro só tem um culpado: o agressor.

Não existem justificativas para um estupro acontecer. Sempre será uma pessoa agindo e se aproveitando contra a outra. Independentemente de tamanho de roupa, de provocação, de estado de embriaguez, sempre será uma situação de alguém tirando proveito de outra pessoa vulnerável. Sempre será o uso da força para transformar em ódio um ato que deveria ser somente de amor e prazer.

O estupro é um dos crimes mais hediondos que pode existir e sempre deixará marcas – físicas e, principalmente, psicológicas – irreversíveis na vítima e, por vezes, também no agressor. É preciso que todos tenham consciência de que é um ato cruel, covarde e sem volta. Uma vez que for concebido jamais será esquecido. E sem dúvida provocará marcas profundas e desnecessárias em uma vida que deveria ser repleta de amor, mas terá uma marca de tristeza e ódio. Um trauma para toda a vida e dificuldades de relacionamento causadas por uma brutalidade causada por um instinto animal.

Confira a palestra completa aqui:


Texto escrito por Roberta Lopes da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]