Nutrição

O perigo por trás dos alimentos transgênicos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

São considerados alimentos transgênicos aqueles que possuem modificação em seu DNA. Essas alterações são feitas em laboratório. A maioria dos alimentos transgênicos são as frutas, grãos e cereais. Mas a produção não para por aí, eles estão presentes onde menos se imagina, até mesmo, por exemplo, em um pacote de maisena.

Os alimentos transgênicos foram criados principalmente por serem bem mais resistentes às pragas e, assim, aumentar o lucro das plantações, principalmente de grandes produtores. Há muitos que defendem o seu cultivo, mas ao invés de prometerem a diminuição do uso de agrotóxicos, muitas plantações recebem muito mais do que a quantidade permitida, logo, essa lógica não faz sentido. Mas existem mais questões a serem debatidas e, muitas vezes, a população não tem o real e verdadeiro conhecimento sobre esse assunto.

Quais os perigos que os alimentos transgênicos apresentam para a humanidade?

Biodiversidade: ela está em perigo, pois com o uso de alimentos transgênicos, está ocorrendo o fim de muitas espécies e variedades tradicionais, o que coloca em risco a nossa biodiversidade. As sementes tradicionais ou crioulas estão desaparecendo, até os pequenos agricultores se veem obrigados a cultivar com as sementes transgênicas.

Derrubam um ciclo tradicional: o poder dos alimentos transgênicos está nas mãos de grandes multinacionais que detêm toda riqueza e poder. Eles expandem a nível mundial, o que acaba causando maior impacto no mercado. Esse tipo de produção também coloca em risco todo um ciclo tradicional, como o de produtores pequenos e naturais que, na maioria das vezes, não são vendidos em preços tão baixos como os tradicionais.

Risco para saúde: a longo prazo, não se sabe os reais efeitos dos alimentos transgênicos para a nossa saúde. Por mais que as multinacionais afirmem que estes alimentos foram testados e aprovados, ninguém garante os riscos que pode trazer para a saúde humana. São muitas as hipóteses. Há pesquisas que já mostraram que os alimentos transgênicos aumentam as alergias no corpo dos indivíduos. Outras mostram que eles podem reduzir a fertilidade e causar a aparição de genes resistentes a antibióticos.

Mas ninguém ao certo sabe as consequências destes alimentos, tanto para a saúde humana, como para um círculo de produção que respeita mais as condições da natureza – e qual o risco para a nossa biodiversidade.

Como escapar dos alimentos transgênicos?

É quase impossível escapar dos alimentos transgênicos. Mas existem alternativas para driblar o seu uso, principalmente quando não se tem certeza sobre o real perigo que apresenta para a saúde e a biodiversidade.

Uma das alternativas é comprar alimentos de produtores rurais que apresentem o selo de orgânicos. Vá a feiras e dê preferência para estes alimentos. Você estará ajudando todo um ciclo e fortalecendo a cadeia de produtos orgânicos. Mesmo que estes alimentos sejam mais caros, a longo prazo, os seus benefícios são inúmeros.

Se puder plantar, faça a sua hortinha em casa (ou apartamento) em pequenos vasos. Se tiver mais espaço, plante. Você sabe o que está colocando nestes alimentos, diferente dos transgênicos, que não fazemos ideia do que aconteceu para serem daquele tamanho e amadurecerem em períodos que não são os seus. Precisamos respeitar o ciclo da natureza, e os alimentos transgênicos não os fazem, pois se o objetivo fosse acabar com a fome no mundo, já havia acontecido. Já ficou provado mais de uma vez que eles não vieram para salvar o planeta, e muito menos a economia global.

Quer saber mais sobre alimentação e como ela pode influenciar na sua vida ? Confira no site: Os efeitos dos alimentos na sua vida. 


  • Texto escrito por Angélica Fabiane Weise da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]