Autoconhecimento Comportamento Psicologia

O que é empatia?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras
Você certamente já ouviu falar sobre empatia. Essa palavra um tanto intrigante possui um significado tão belo que, ao descobri-lo, você pode imediatamente querer praticá-la. Essa palavra é nada mais do que uma característica que algumas pessoas possuem. Normalmente ela está muito presente na vida de pessoas bem-sucedidas.

Todos nós possuímos a empatia guardada no dentro da nossa essência, porém muitas vezes não compreendermos o que ela significa, então não sabemos quando a praticamos ou quando não temos consciência de como é importante colocá-la em nossa vida.

Mãos de criança segurando um coração de paninho.

Qual é o real significado de empatia?

Pois bem, a empatia é nada mais, nada menos do que a capacidade de uma pessoa se colocar no lugar da outra. Desta forma, essa pessoa consegue compreender e respeitar os sentimentos alheios.

Para entender ainda mais o que é empatia, a pessoa que a possui é capaz de abandonar o lado egocêntrico de sua essência e viver a dor do outro junto a ele. Essa atitude é feita para que se possa compreender a visão do próximo, levando generosidade e uma grande pitada de tolerância. Ao contrário do que se imagina, ser uma pessoa empática não é tão simples quanto parece. As pessoas que possuem características muito egocêntricas normalmente acreditam que as ideias e conceitos das pessoas devem ser iguais às delas. E é justamente esse fator que impede uma pessoa de ser empática.

Você também pode gostar de:

A empatia é um fator fundamental para todo ser humano. Por isso é que ela é não só interessante de se adquirir, mas necessária para que as coisas funcionem. Uma pessoa que é apática, ou seja, que possui ausência de empatia, não possui demonstrações de sentimentos e de emoções. Como todos nós sabemos, a falta de gentileza e do ato de se colocar no lugar do outro pode atrapalhar diversas áreas da vida.

No trabalho, entender o que é empatia é essencial para se dar bem com os colegas, porque o ambiente profissional é um local onde vivemos à prova de erros e de acertos, então qualquer palavra mal dita ou qualquer falta de compreensão pode acabar com a carreira de um profissional.

Ursinhos de pelúcia se abraçando.

A depressão e outras doenças são muitas vezes ocasionadas por causa das relações entre as pessoas. Portanto, tanto no local de trabalho quanto em qualquer outro local, a empatia deve sempre estar presente. O mesmo acontece entre os relacionamentos afetivos e os familiares. Se as pessoas não praticarem a empatia, dificilmente terão seus laços fortificados e saudáveis com os outros, além de uma vida cheia de frustrações consigo mesmas.

Os benefícios que a empatia nos traz:

Ser empático não é só bonito. É, na verdade, uma atitude que causa muitas coisas boas em nossas vidas. Entre os grande benefícios da empatia estão:

  • Fortalecimento da ligação entre as pessoas;
  • Ajuda na compreensão de situações em diversas áreas da vida;
  • Melhora a harmonia do ambiente, deixando tudo cheio de boas energias;
  • Desenvolve a confiança nos relacionamentos;
  • Ajuda a aprender a ser paciente, generoso e tolerante;
  • Auxilia na conclusão de objetivos e metas;
  • Ajuda a pré-visualizar os problemas, a fim de evitá-los;
  • E muito mais.
Carinhas com diferentes tipo de expressão desde triste até feliz.

Alguns exemplos de atitudes empáticas:

Sabe quando um amigo te liga e começa a chorar pois terminou o namoro e sente saudade da pessoa? O ato de ouvi-lo e de tentar sentir a dor dele para dar o melhor conselho possível é um ato empático.

Outro exemplo simples, este em um relacionamento afetivo. Você saiu com alguns amigos para comer e não avisou seu par, então ele ficou chateado com a sua atitude. Uma pessoa que possui empatia tentará olhar a situação com os olhos de seu par, pedirá desculpas e tentará ao máximo não errar novamente. E em relação ao trabalho, também temos uma situação para demonstrar o que é empatia. Suponha que você errou a contabilidade de um serviço e seu chefe ficou muito bravo.

Neste caso, ele poderia ser mais compreensivo, mas se ele não for você pode dizer: “Me desculpe. Consigo me colocar em seu lugar e compreender a gravidade do meu erro”. Essa frase pode salvar seu emprego!

Conseguiu entender o que é empatia? Mesmo que as pessoas não a coloquem em prática, se nós colocarmos já podemos nos considerar pessoas prontas para causar a paz no mundo.

Antônimo de empatia

Quando procuramos saber qual é o oposto de empatia em dicionários e ferramentas de busca, não há nada que seja tão certo e concreto. Porém o pouco que encontramos define como antônimo palavras como “estranhamento”, “afastamento”, “indiferença”, “repulsa” e até mesmo “desprezo”.

Ao refletir a respeito dessas definições, é possível encontrar sentido na escolha de cada uma delas. Afinal, se empatia é a capacidade que as pessoas têm de se colocar no lugar das outras, respeitando os sentimentos delas e compreendendo melhor a dor de suas respectivas histórias, o contrário disso é justamente o afastamento e a indiferença perante ao próximo.

Não é de se espantar que muitos ainda vivem esses antônimos como verdades absolutas, abandonando seus semelhantes e olhando para suas vidas como as únicas realidades existentes. Pessoas assim são aquelas que deixam o ego falar mais alto do que qualquer outra circunstância que apareça diante de seus olhos, que entendem que a bolha em que vivem é a única que é válida e que toda e qualquer ideia deve ser igual àquela que elas têm. Ou seja, tudo o que é diferente disso não tem valor.

Quantos de nós agem dessa maneira irredutível até mesmo com quem é parte da nossa vida? E ao redor do mundo, quantos preferem enxergar os seres humanos com os olhos do coração, em vez de enxergá-los com os olhos do julgamento? É muito mais fácil apontar o dedo, em vez de desenvolver seu lado empático e pensante. É muito mais fácil repetir padrões que criam barreiras com as pessoas do que conexões que podem ser positivas para ambos os lados.

É preciso mudar. É preciso deixar de lado a indiferença, o desprezo e a repulsa pelo que é diferente do que estamos habituados a sentir, ser e vivenciar. É imprescindível acolher ainda mais quando o que vem de fora não mantém o mesmo padrão que imaginávamos, porque só assim conseguiremos melhorar a harmonia das nossas trocas, ser mais pacientes e tolerantes. Tudo se reflete em quem somos e no mundo que vivemos. Quer fazer com que as coisas melhorem? Quer ser mais compreendido? Abra-se ao que está diante dos seus olhos com o peito aberto.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]