Nutrição

O que é Gluten?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

“Esse alimento contém glúten” ou “esse alimento não contém glúten” são frases que estão em muitas embalagens de alimentos. Entretanto quantas pessoas sabem, de fato, o que é glúten e em quais alimentos ele está presente? O glúten faz mal para a saúde? É possível substituir esse componente por algum outro?

A seguir, você vai encontrar respostas para todas essas perguntas. Depois de ler todas as informações que preparamos a seguir, você será capaz de identificar rapidamente quais produtos apresentam glúten. Aproveite!

Farinha esparramada sobre uma mesa enfarinhada. Sobre a mesa ainda temos uma colher grande de madeira cheia de farinha de trigo e ao lado uma pordão de arroz. Direitos Autorais:  Oleksandra Naumenko.

O que é glúten?

Diferentemente do que se pode imaginar, o glúten não é um ingrediente químico, tampouco foi produzido em laboratório. Glúten é uma proteína que pode ser encontrada em cereais. Alguns deles são o trigo, o centeio e a cevada.

Essa proteína é responsável por trazer elasticidade aos alimentos que a contém, além de ser ela o motivo de o pão ficar macio, por exemplo. Essencialmente, o glúten não representa um risco para a saúde, visto que é uma proteína natural; em contrapartida, existem pessoas que podem ser alérgicas a esse composto.

O mal que o glúten pode causar

As pessoas que são alérgicas ao glúten são chamadas de celíacas. Essa condição faz com que o intestino do indivíduo seja incapaz de digerir a proteína, ativando o sistema imunológico contra o próprio corpo.

Uma pessoa que é celíaca pode sentir dor, sofrer de diarreia, distensão abdominal e inchaço. Esses sintomas são resultado do ataque das células de defesa do organismo que se esforçam para expulsar o glúten do corpo.

Ainda que a doença celíaca mereça um cuidado e uma atenção especiais, é importante ressaltar que somente 1 em cada 100 pessoas sofrem desse problema. Em outros termos, 1% da população mundial é alérgica ao glúten.

Cinco grandes colheres de madeira. Cada uma dela traz um tipo de farinha e na ponta de cada temos a referência do que é cada uma dessas farinhas, como amêndoa, arroz, soja, linhaça e aveia. Direitos autorais : Baiba Opule

Apesar disso, existe uma parcela maior da população mundial, 5%, que sente desconforto intestinal depois de ingerir alimentos que contêm glúten. Não necessariamente essas pessoas são celíacas, podendo receber o diagnóstico de sensibilidade não celíaca ao glúten.

Para identificar a doença celíaca, é preciso buscar auxílio médico. Um profissional gastroenterologista será responsável por solicitar um exame de sangue (para verificar a presença de anticorpos característicos da doença) e uma biópsia de intestino. Caso a alergia seja identificada, será preciso cortar o glúten da alimentação.

A doença celíaca é o único mal que o glúten pode causar. Muitas vezes, o glúten é cortado de dietas que têm como objetivo o emagrecimento. A pessoa que não ingere glúten pode, de fato, perder peso, mas exclusivamente porque os alimentos que apresentam essa proteína são carboidratos de difícil digestão. Reduzir o consumo desses alimentos automaticamente facilitará a digestão.

Três pedaços de pão assados, sobre uma mesa de madeira. Ao lado um pote amarelo cheio de farinha branca e um toalha de mesa xadrex nas cores branco e verde. Direitos autorais : Massimiliano Ranauro

Alimentos que contêm glúten e como substituí-los

Tendo compreendido o que é glúten e qual tipo de problema ele pode causar para uma parcela muito específica da população, resta conhecer quais são os alimentos que apresentam essa proteína e como eles podem ser substituídos.

Depois de entender o que é glúten, você compreende que ele está presente em cereais e em carboidratos. Trigo e derivados, centeio e derivados, cevada e derivados, alimentos embutidos, molhos para saladas e aveia são grupos de alimentos que contêm glúten.

Você também pode gostar

Farinha de trigo, pão e cerveja, por exemplo, são alimentos do cotidiano que podem ser vilões para uma pessoa celíaca. Para continuar consumindo esses alimentos, será preciso encontrar produtos que são feitos sem o uso de cereais que dão origem aos ingredientes citados.

Para os cereais, as opções são: farinha de arroz, amido de milho, farinha de mandioca, fécula de batata, farinha de soja, polvilho, flocos de arroz e flocos de milho. Sem o trigo, todos esses alimentos podem ser consumidos por pessoas celíacas.

Grade travessa de madeira em formato oval com alguns cereais. Essa travessa está sobre uma mesa de madeira na cor azul. Ao temos alguns pães e outros tipos de grãos e cereais. Direitos autorais : Slasta.

Outra opção para quem não pode ingerir glúten é acrescentar na dieta mais frutas e mais vegetais. Esses alimentos naturais não apresentam a proteína na composição e ainda fornecem energia e nutrientes para as pessoas que precisam tirar uma parte significativa de carboidratos do cardápio.

Os laticínios também são livres de glúten e podem ser consumidos por pessoas que não são intolerantes à lactose. Queijos, iogurtes e sorvetes de frutas podem ser opções para diversificar a alimentação das pessoas celíacas.

Se você quer substitutos que reproduzam exatamente os produtos que contêm glúten, como uma cerveja sem glúten, o mais recomendado é procurar, na embalagem, pelo símbolo de que o alimento é livre da proteína. Sabendo o que é glúten, você pode identificar facilmente o que faz mal para o seu organismo.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]