Autoconhecimento Comportamento Sagrado Feminino

O que é sororidade feminina?

Imagem de duas amigas afrodescendentes. Elas estão alegres. Usam um corpete nas cores azul e branco e um turbante em suas cabeças, além de colares coloridos.
Foto por Jason Sackey no Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A sociedade reproduz hábitos e comportamentos passados de geração a geração, muitos de forma quase que imperceptível, tidos como naturais do ser humano. A questão é que existem comportamentos que não são positivos para a nossa evolução e convivência, um deles é a rivalidade entre as mulheres.

Duvido que você já não tenha percebido mulheres julgando as outras pela aparência, dizendo que são melhores para merecer certo homem ou emprego, por exemplo. Ou o famoso pensamento de que muitas mulheres juntas não dá certo, pelo fato de ocorrerem muitas discussões.

Os exemplos são inúmeros, mas o fato é que as mulheres estão cada vez mais desunidas. Uma das propostas do feminismo é mudar isso aos poucos, por meio da sororidade, propondo uma nova concepção de comportamento entre as mulheres, em busca de respeito e luta por questões de gênero.

A palavra sororidade tem ganhado espaço na mídia e na sociedade, principalmente com o empoderamento feminino, levantando questões e até mesmo gerando dúvidas pelo seu real significado. Antes de debater ou defender algo é importante entender o sentido da palavra, para assim aderir ao termo e o que ele propõe.

Significado de Sororidade

A origem da palavra vem do latim sóror, que significa “irmãs”. Portanto, sororidade se refere à relação de irmandade, afeto e união entre as mulheres, associados ao que é estabelecido entre irmãs.

É claro que é difícil dizer ou obrigar todas as mulheres a se amarem, mas o intuito não é esse! A proposta é que as elas tenham um comportamento de respeito — não julgamento — e empatia de se colocar no lugar umas das outras.

Imagem de 3 mulheres em uma roda, conversando e rindo. Elas estão muito felizes.
Foto por StockSnap no Pixabay

O feminismo acredita que a sociedade patriarcal (que defende que os homens predominem as funções e tenham controle sobre as mulheres) tenta estabelecer uma desunião entre as mulheres, consequentemente prejudicando o crescimento delas, já que a união faz a força, assim como nas lutas políticas e sociais.

A sororidade na sociedade

Como vivemos em grupo, se as mulheres estão juntas por uma causa ou defendendo uma situação, fica muito mais fácil que esta torne possível, do que se uma mulher tentar sozinha.

Em casos de violência doméstica, por exemplo, é complicado a mulher expor o caso e fazer uma denúncia; se consegue, é comum que haja questionamentos sobre a legitimidade do que ela diz. Quando essa mulher tem o amparo de outras mulheres, ela toma atitude mais rápido para denunciar e também tem quem a apoie em caso de dúvidas sobre a veracidade dos fatos.

Como praticar sororidade?

A partir da compreensão de que as mulheres têm lutas e problemas em comum, assim como a opressão de gênero, algumas práticas relacionadas à sororidade podem auxiliar neste objetivo de unir as mulheres. Seguem algumas ideias de sororidade na prática:

1. Combata à rivalidade

É preciso parar de ver as outras mulheres como inimigas, não tente ser melhor do que as outras, pelo simples motivo de que cada uma tem o seu valor e o seu objetivo! Disputar é perda de tempo quando podemos auxiliar uma mulher próxima ou pelo menos respeitá-la.

Vivemos em um mundo competitivo e, às vezes, as questões se confundem de tal forma que a rivalidade parece quase algo positivo, mas não é; muito pelo contrário! Mudando aos poucos esse costume, podemos transformar as próximas gerações, por meio do incentivo ao diálogo, em um mundo que não há melhores ou piores, apenas pessoas diferentes.

2. Não julgue

Um hábito comum é o de julgarmos as pessoas, tanto homens quanto mulheres. Queremos sempre apontar o dedo nas ações e decisões de outras mulheres, seja por ter ou não filhos, por limpar ou não a casa etc.

Mas é preciso parar e olhar para si mesmo, pois muitas vezes olhamos tanto para os outros, que nem parece que temos tantos erros e defeitos. Então, se todos somos passíveis a errar, que tal respeitar as mulheres ao nosso lado?

Duas mulheres sentadas à beira do mar. Elas estão de costas olhando para ele. Ambas usam um chapéu de sol e usam uma blusa de linha leve.
Foto por Pexels no Pixabay

3. Apoie outras mulheres

É quase impossível ter afinidade com todas as mulheres, mas podemos praticar a sororidade respeitando as mulheres ao nosso redor e estando disposta a ajudar, seja com uma palavra amiga, um ouvido atento ou apenas um olhar em um momento difícil.

Se for preciso, doe seu tempo para uma mulher que precisa desabafar ou ser incentivada, muitas vezes elas precisam de algo que podemos ajudar de uma forma mais fácil do que imaginamos. Empodere mulheres que estão à sua volta!

4. Consuma e valorize o trabalho de outras mulheres

O desemprego cresce cada vez mais no Brasil e, além disso, muitas mulheres ainda precisam ficar em casa para cuidar da família e acabam buscando formas alternativas de ganhar dinheiro.

Você pode não conseguir arrumar um emprego para uma mulher desempregada, mas pode incentivá-la em algum pequeno negócio que ela esteja tentando desenvolver. Sempre tem aquela mulher que faz bolos deliciosos, artesanato ou até mesmo está começando um produto digital. Incentive-a! Um pequeno passo pode ajudá-la muito!

Você também pode gostar

Gostou do conceito de sororidade? Compartilhe essa união com mulheres que você conheça e comece a transformar a sua realidade como pessoa e também a de muitas outras mulheres. A união constrói belas coisas e nunca é tarde para começar. Pequenos gestos podem fazer a diferença!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]