Autoconhecimento Comportamento

O que é uma pessoa com ego alto?

Imagem de uma pessoa refletindo no espelho. É uma mulher com o ego alto e está agindo de forma prepotente.
Gerd Altmann / Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

A pessoa se acha extremamente capaz de fazer algo que nunca fez na vida, mas quando se propõe a fazer, acaba encontrando resultados desastrosos, que fazem com que ela se sinta frustrada e decepcionada consigo mesma. Esse é um comportamento comum de quem tem o ego alto e é, portanto, arrogante e narcisista.

Não há uma definição exata para ego com o significado apontado no parágrafo acima e que passou a ter uso comum em nosso vocabulário. Segundo o dicionário, ego é “a parte central ou nuclear da personalidade de uma pessoa”. Para a Psicanálise e a teoria psicanalítica, o ego “é a parte da estrutura do aparelho psíquico que influencia o comportamento de alguém, partindo de suas próprias experiências e controlando suas vontades e impulsos”.

Vê-se, então, que o conceito de ego é muito amplo. Virou costume, porém, na linguagem informal e coloquial, que usemos ego como sinônimo da imagem que temos de nós mesmos, quase que uma soma de autoconfiança, amor-próprio e fé em sua própria capacidade. Quem tem o ego alto (ou inflado, como se costuma dizer também), portanto, é aquele que confia demais em si mesmo, gosta demais de si e sempre se julga capaz de fazer qualquer coisa.

Esse tipo de comportamento pode ser preocupante, porque nem sempre corresponde à realidade. Sim, precisamos confiar em nossa capacidade e precisamos muito gostar de nós mesmos, mas e quando isso passa dos limites? Por exemplo: quando uma pessoa gosta tanto, mas tanto de si mesma, a ponto de se tornar egoísta, e passa a tratar seu parceiro romântico como se estivesse fazendo um favor por estar ao seu lado, já que ela é tão incrível. Outro exemplo: a pessoa vai a uma entrevista de emprego e não é selecionada para a vaga, então fica revoltada porque julgou que era o melhor entre todos os candidatos que participaram do processo seletivo.

Imagem de um homem usando óculos de sol e fumando um cigarro. Ele tem uma postura arrogante.
Sammy-Williams / Pixabay

O ego alto/inflado nada mais é do que uma ilusão, uma distorção na realidade que nubla nossa vista e nos faz ver um mundo que não é verdadeiro, um mundo em que o eu é incrível e capaz de fazer qualquer coisa, então o mundo precisa se colocar de joelhos diante desse eu. Sabemos qual é a consequência direta da ilusão, não é mesmo? É a desilusão, que pode ser bastante dolorosa para quem passa por ela, então é preciso ter mais cuidado.

Não é fácil encontrar um equilíbrio entre gostar de si e confiar em si sem perder a mão e fazer isso demais, distorcendo a realidade. Mas isso é necessário, se você não quiser se tornar uma pessoa arrogante e narcisista, que passará por esse tipo de desilusão descrito acima com frequência. Para ajudar você a manter o seu ego controlado, sem deixar de gostar de si e de confiar na sua capacidade, preparamos 10 dicas que ajudarão a controlar o seu ego:

1. Aprenda com os seus erros

Enquanto as pessoas com baixa autoestima costumam supervalorizar seus erros, não vendo nada de bom em si mesmas e se achando fracassadas, as pessoas com o ego inflado não veem os seus erros e ignoram o que podem aprender com eles. Quando tropeçar e conhecer o sabor amargo de uma derrota ou de um fracasso, faça uma reflexão a respeito disso e pense sobre o que pode aprender com essa situação desfavorável que lhe ocorreu.

2. Aceite críticas

Ninguém gosta de ficar sendo criticado e tendo seus erros apontados do nada e em praça pública, não é mesmo? Mas se algum amigo dá um puxão em sua orelha ou alguém que você ama o critica, numa boa e com respeito, o seu comportamento, ouça com atenção e absorva o que puder absorver dessas críticas. Como essas pessoas amam você, provavelmente o estão criticando com a intenção de vê-lo crescer e evoluir.

3. Comemore o sucesso do próximo

Como se acha incrível e merecedora de todo o sucesso do mundo, a pessoa com o ego inflado sente dificuldade de parabenizar o outro por suas conquistas e de celebrá-las ao lado dele. Em vez de ser uma pessoa que se exalta a todo momento, mesmo que em sua própria cabeça, seja uma pessoa que exalta quem ama. Ver e comemorar o sucesso do outro pode ser um grande combustível para que você vá em busca do seu sucesso também. O mundo não é uma competição, sobretudo contra quem você ama.

4. Aceite a realidade

Imagine a seguinte situação: um gerente sai da empresa, e você, que era um subordinado, decide se candidatar para a vaga, já que acredita ter as competências necessárias para exercer a função. Mas no fim, a empresa seleciona um colega seu, que estava há muito mais tempo na empresa e tem personalidade parecida com o recém-demitido gerente, o que causa uma frustração gigantesca em você, que se candidatou já na certeza de ser escolhido. Quando não analisamos friamente a realidade (o colega estava há mais tempo na empresa e parece-se com o ex-gerente), distorcemos as coisas em nossa cabeça, achando que somos maiores e melhores do que realmente somos.

5. Não existe superioridade

Você fala três idiomas? Há um monte de gente que fala quatro. Você tem duas formações profissionais? Há, sim, outras pessoas com pós-graduações. Você tem habilidade para alguma tarefa? Certamente existe por aí alguém com capacidade parecida ou maior. A intenção não é diminuir-se, mas valorizar as suas capacidades e a sua personalidade individualmente, sem se comparar com ninguém. Você fala três idiomas? Que ótimo! Que diferença faz se os seus amigos falam apenas o português? Isso faz deles pessoas menores do que você? Fuja da arrogância. Saiba se congratular por quem você é, mas não ache que isso torna você melhor do que alguém.

Imagem do olhar de um senhor. Trata-se de um olhar de superioridade e arrogância.
Gerd Altmann / Pixabay

6. Respeite o conhecimento do outro

Se alguém abre a boca para emitir uma opinião ou fazer um comentário, é porque se acha preparado para fazer isso, sobretudo em ambientes como o trabalho e a vida acadêmica. Então ouça o outro com atenção, jamais o interrompa; valorize o conhecimento que ele demonstra quando se propõe a falar, porque você pode absorver bastante coisa a partir dos saberes do próximo.

7. Deixe os elogios para lá

Ser elogiado é muito gostoso e dá um “quentinho” bom no coração, né? Mas elogio bom é aquele sincero e inesperado, não aquele que forçamos alguém a nos fazer. Então tente livrar-se da necessidade de ser sempre elogiado e validado pelo próximo. Saiba comemorar as suas conquistas e valorizar-se. Isso deve bastar, então o que vier dos outros será um extra, um bônus!

8. Saiba trabalhar em equipe

Essa dica é importante, sobretudo, na vida profissional, mas serve para relações familiares e também para os relacionamentos amorosos, por exemplo. Sim, você é capaz de fazer coisas boas, mas o outro também é, então una-se a ele, e coisas ainda melhores surgirão! Uma empresa, por exemplo, é formada por diferentes funcionários. Uma casa, normalmente, é composta por diferentes membros da família. Um relacionamento amoroso é constituído por mais de uma pessoa. Não faz sentido, portanto, que você assuma responsabilidades sozinho, né? Trabalhe junto!

9. Entenda que sempre dá para melhorar

“Só sei que nada sei”, disse o filósofo grego Sócrates. Se um homem culto e extremamente inteligente como ele reconheceu a amplitude de sua ignorância, quem somos nós para acharmos que somos extremamente incríveis, e então não precisamos mais evoluir e crescer? A partir do instante em que você se achar bom demais, sem mais o que fazer para continuar aprimorando-se, a arrogância e o ego inflado começarão a se apossar de você. Há sempre um conhecimento que você não tem, um assunto que não domina, algo que não sabe e uma emoção que você precisa controlar melhor. Então reconheça (e aceite) que você estará em constante aprimoramento na vida.

10. Seja humilde

Humildade é frequentemente associada a falsa modéstia ou a humilhação, mas não tem nada a ver com isso. Ser humilde é reconhecer que você tem fraquezas e que está sempre tentando aprimorá-las. Você pode até nem mesmo incluir a humildade no seu discurso, basta estar aberto a aprender com quem sabe mais e a pedir ajuda quando sentir que não tem capacidade de fazer determinada tarefa ou assumir determinada função ou postura. Ser humilde é reconhecer que sempre haverá muito que aprender e muito a evoluir ao longo da vida!

Você também pode gostar

Enfim, como abordado desde a introdução, não há como definir o que é um ego “em dia”, porque cada ser humano tem sua personalidade e suas individualidades. Então somente você é que pode calcular se o seu ego anda muito em baixa ou muito alta, mas consulte amigos e pessoas próximas, para que elas ajudem você a saber se está se tornando arrogante ou pessimista demais. Equilíbrio é tudo, então tente manter-se sem arrogância, mas também sem trazer negatividade demais para a sua vida.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]