Autoconhecimento

O que os desenhos de uma criança podem dizer sobre sua inteligência

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Você tem irmãos, filhos, primos, sobrinhos ou convive com alguém mais novo? Com certeza a maioria deles alguma vez faz ou fez alguns desenhos, não é mesmo? Dica: Dê uma olhada na arte das crianças. Um estudo de longo prazo feito pelo King’s College London indicou que existe uma relação entre o detalhamento dos desenhos das crianças e sua inteligência.

Para chegar a conclusão sobre o tema, eles analisaram mais de 7700 pares de gêmeos (idênticos e não idênticos) de quatro anos. Durante a análise, eles pediam que as crianças desenhassem alguém da idade delas. Então, durante a criação do desenho os cientistas observavam os detalhes. Quanto mais características o desenho possuía (cabelo, roupa, braço, dedos, pernas, etc), mais pontos eram atribuídos à arte. Depois os gêmeos passavam por um teste de nível fácil testando suas habilidades cognitivas. E aqueles que faziam desenhos mais característicos também tiravam notas altas em testes verbais e não verbais que buscavam analisar sua inteligência.

Depois de 10 anos, quando os gêmeos completavam 14 anos, eram chamados para nova análise. E, novamente, os mesmos que fizeram desenhos mais detalhados aos quatro anos de idade, também tiveram melhores resultados em provas de análise cognitiva. Ou seja, o detalhamento do desenho das crianças era um fator capaz de ‘prever’ e entender sua inteligência a longo prazo.

Além disso, pesquisadores descobriram que os desenhos de gêmeos idênticos eram mais parecidos do que desenhos de gêmeos não idênticos, embora o mecanismo dessa ação ainda não seja conhecido, sugere-se que a maior similaridade genética também tem um papel na percepção de meio ambiente dos gêmeos.


Texto escrito por Bruno da Silva Melo da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]