Autoconhecimento

Preste atenção nos desenhos dos seus filhos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Alguma vez você já parou para prestar atenção nos desenhos de seu filho ou filha? Pois é, saiba que os traços (muitas vezes, rudimentares e indecifráveis) de seu pequeno artista podem dizer muito sobre sua personalidade, anseios e sentimentos. Isso é algo inerente ao ser humano. Já na época das cavernas, homens e mulheres se expressavam por meio de rabiscos que falavam mais do que mil palavras.

Certa vez, o escritor irlandês George Bernard Shaw disse que os espelhos são usados para ver o rosto; a arte para ver a alma. Por isso, não fique bravo se o seu filho desenhou você na parede branquinha do quarto. Não se preocupe se ele fica horas na companhia do giz de cera, lápis de cor e folhas de sulfite. Tente ver além disso. Entenda que a alma do seu guri está falando e que o universo particular criado por sua imaginação está sendo materializado.

Fique atento (a) para a forma, para o tipo de traço e o que a criança quer dizer com seus desenhos. Será como ler seu pensamento. Isso ajudará a desvendá-la e, a partir daí, ficará mais fácil orientá-la no caminho em que deve seguir e até mesmo descobrir sua vocação.

E se você fica intrigado com aquele redemoinho estampado no papel e não sabe o que seu pequeno quis expressar, procurar a ajuda de um profissional pode ser uma boa opção. Afinal, entender o que se passa na cabeça de uma criança nem sempre é uma tarefa das mais fáceis, não é?

“Toda criança é uma artista. O problema é ela manter-se artista depois de crescida”, disse certa vez o pintor Pablo Picasso. Talvez seja por isso que nós, adultos, ficamos tão paralisados diante de uma folha em branco, algo que se torna uma verdadeira galáxia de possibilidades para os pequenos.

E nessa hora, quando a gurizada está desenhando ou algo do tipo, é que a imaginação ganha asas e que a capacidade de pensar fora da caixa aflora. Por isso, é até interessante evitar os livros de colorir. As linhas e contornos dos desenhos em preto e branco podem limitar os pequenos.

Depois de tudo isso que foi dito, o provérbio “a boca fala do que o coração está cheio” nunca fez tanto sentido, não é mesmo? E, no caso do seu filho, às vezes um simples boneco palito, uma casinha, uma árvore ou uma pessoa desenhada no papel, dentro de um determinado contexto, podem dizer mais do que uma conversa de horas. Basta ter sensibilidade para enxergar essas figuras que, geralmente, exprimem algo além do que se vê.


  • Texto escrito por Diego Rennan da Equipe Eu Sem Fronteiras.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]