Autoconhecimento Comportamento

O que podemos aprender com Paciência do Lenine?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Músicas fazem parte e até descrevem a nossa vida em alguns momentos. Quando estamos tristes, ouvir uma canção pode nos fazer melhorar ou simplesmente nos dar o espaço para que os sentimentos sejam sentidos ao máximo; quando estamos felizes, a música tem o poder de potencializar e também de espalhar a nossa felicidade. “Paciência”, do cantor Lenine, é uma música que proporciona uma reflexão profunda sobre a posição das pessoas diante da correria dos dias.

O compositor retrata a pressa que a humanidade tem, sendo que muitas vezes nem se sabe direito onde se quer chegar:

Imagem de um cachorro da raça labrador deitado sobre uma grama em baixo de um guarda-chuva na cor preta. Ele etá bem tranquilo e sossegado.
Direitos autorais : Jaromír Chalabala

“Enquanto o tempo acelera e pede pressa,
Eu me recuso faço hora vou na valsa.”

Se pararmos para pensar, de que adianta acelerar os passos se a vida é tão boa de ser vivida com calma? “Fazer hora” pode significar se sentar em um banco de uma praça da cidade e simplesmente observar a movimentação dos carros enquanto todos esperam conclusões e sequer vivem os processos. Para tudo há um processo. Ser paciente é uma dádiva! “Paciência”, de Lenine, é uma canção profunda, que nos instiga a questionar o espaço de tempo em que nós simplesmente observamos o tempo passar buscando respostas para tudo, sem viver o famoso “presente”!

“Será que é tempo que te falta pra perceber? A vida é tão rara!”

A vida está aí para ser vivida. O tempo é precioso. Por mais que as horas passem o tempo todo, nunca é tarde nem cedo, sempre é exatamente a hora certa para sentir tudo ao seu redor e valorizar cada segundo.

Cachorro labrador amarelo deitando sobre um piso de madeira laminado esperando paciente a sua comida que deverá ser colocada em uma vasilha de inox.
Direitos autorais : Jaromír Chalabala

“O mundo vai girando cada vez mais veloz,
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós.”

Os ciclos da vida são infinitos. Enquanto esperamos algo do mundo e simplesmente só esperamos, estamos deixando a desejar em relação ao nosso próprio ser. Nós podemos tanto, mas tanto! Ter pressa e não aproveitar cada momentinho faz com que os detalhes mais preciosos da vida passem batidos!

Você também pode gostar

Escute “Paciência”, de Lenine e reflita sobre a sua vida! Por mais que os dias e a rotina peçam a sua pressa, tenha calma e não deixe que o tempo escorra pelas suas mãos!

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]