Convivendo

Direitos Humanos: O que você faz para garantir o cumprimento deles?

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras



A Declaração Universal dos Direitos Humanos é o marco legal frente à regulamentação das relações entre governos e pessoas. Para se chegar a este ponto foi preciso muita luta e um longo caminho. Formulada ao fim da Segunda Guerra Mundial, em 1948, esta declaração marca também o início do trabalho da Organização das Nações Unidas, que busca manter a paz entre as nações e a vida humana respeitada.

Com trinta artigos, a Declaração descreve os direitos básicos de todo ser humano, garantindo vida digna para todos, ou seja, liberdade, educação, saúde, cultura, informação, alimentação, respeito, e tudo que for preciso para ter uma vida digna e feliz.

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade” – 1º artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH)

Mas o que são direitos humanos?

São direitos que todas as pessoas têm. Sem importar o sexo, a raça, a etnia, o idioma, a religião ou qualquer outra condição. Esses direitos são para todos humanos que caminharem sobre a Terra.

Quando pensamos nos Direitos Humanos é preciso levar em conta que os governos é quem devem utilizá-los como guia para cuidar da sociedade, pois a declaração estabelece as obrigações dos governantes frente a todos os humanos, a fim de proteger seus direitos e suas vidas.

shutterstock_103344416Assim, os artigos na declaração servem como um amparo legal para diversos países, bem como diversos tratados e acordos internacionais sobre o tema, além de estabelecerem a proteção universal dos direitos de todos os humanos.

No Brasil comemora-se no dia 12 de agosto o Dia Nacional dos Direitos Humanos, e constitui um dia em que deve-se celebrar a humanidade e a coletividade.

Quando sem fala em Direitos Humanos é preciso que haja vigilância constante e participação de todos, não só dos governantes.

Ou seja, quando você ver um morador de rua necessitando de alimento, você pode ajudá-lo, pois o alimento faz parte dos direitos dele. Quando você ver alguém sendo desrespeitado, você pode intervir, pois faz parte dos direitos desta pessoa ser tratada com respeito e sem preconceitos. Enfim, em todas as situações do dia a dia você pode fazer valer os direitos humanos, não só na vida dos outros, mas na sua também.

No mundo em que vivemos, existe muita injustiça, sofrimento, pobreza e fome. Os Direitos Humanos existem para erradicar todos estes males, porém, nem sempre são respeitados pelos governantes. É preciso que façamos a nossa parte e, além de ajudar aqueles que necessitam, devemos estar sempre atentos para denunciar qualquer tipo de desrespeito a estes direitos. Quando fazemos isso, estamos tornando o mundo um lugar melhor e mais justo para todos.

Esta data marca a necessidade de reivindicar ações mais efetivas dos governos, tanto nacionais, quanto internacionais. Para buscar ações mais efetivas para o cumprimento da declaração, de uma forma que todos recebam aquilo que têm direito, sejam direitos civis, políticos, sociais ou ambientais.

No dia que relembramos os direitos que todos temos, também devemos lembrar dos nossos deveres: fazer o bem para o mundo!

  • Quer conhecer mais artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos? Confira aqui.

• Texto escrito por Gabrielle Carreira da Equipe Eu Sem Fronteiras

Crédito editorial de imagem: pcruciatti / Shutterstock.com

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]