Convivendo

O tempero da comida mineira



A casa deve ser pensada para te trazer momentos felizes. Invista na decoração! O que importa são as historias que ela te traz e não o valor monetário das peças que a compõe. Olhe para cada cantinho com cuidado e respeito, para seus objetos… Ali tem uma historia a ser contada. Cada decoração te lembra algo, seja um objeto ganho de amigos, comprado por você ou trazido de alguma viagem.

Por isso, você deve sempre comemorar. Que tal um jantar?

O prato a ser preparado tem uma pegada mais rústica, então um clima mais simplista para a mesa seria perfeito.

Abro a gaveta de jogos americanos e pego um jogo de tear que foi comprado numa de nossas viagens. É algo que lembra minha infância em Minas Gerais. Trazer pensamentos bons as suas comemorações é o segredo para que tudo dê certo.

Tudo pensado, clima preparado e será a meia luz. A casa deve receber essa energia! Traga o romantismo. Estamos em dois e, enquanto um prepara a mesa, o outro pode adiantando o prato a ser servido. Então, vamos ao preparo?

Mesa:

Ao preparar uma mesa, você tem que harmonizar a decoração com o prato. Por isso, as escolhas de peças mais artesanais. Afinal de contas, vamos comer carne com tempero mineiro.

Coloque o jogo americano bem alinhado sobre a mesa. Nada de jogar, hein?

Ajeite com as mãos, alinhe as franjas, coloque atenção nesse momento.

Ao centro do jogo, coloque o prato; à esquerda, os talheres — lembrando que a faca deve ficar do lado de dentro e o garfo, do lado de fora. Equilibre, cuide com carinho, ponha todo o amor no preparo, se inspire nas cores, na composição, traga respeito.

O outro prato deve ser montado igualmente, afinal é um jantar a dois. E com quem você ama.

Olhe para seu jardim, traga a emoção que você tem ao ver tudo ao redor. Se estiver num apartamento, olhe para seu cantinho mais gostoso e lembre o quanto aquilo te alegra. Passe essa emoção na sua decoração.

Que tal um arranjo floral? Pode até ser de plástico… Velas, enfeites de louças, não importa! Ali tem que expressar seu momento, sentimento puro. Ajuste os copos a sua direita; lembre-se: a pegada é rustica, então equilibre a composição!

Nessa opção, escolhi um guardanapo vermelho para compor com os jogos americanos.

Inspire-se você também! Pode até ser de papel, desde que faça dobras mostrando seu carinho ao montar a mesa. Dê uma última olhada e, se preciso for, uma ajeitadinha. Pronto, tudo equilibrado e o aroma da cozinha contagia o lugar. Curtam esse momento juntos.

Ansiosos e com olhares de carinhos, vamos aguardando o cozer dos pratos, um brinde, olhe nos olhos, curtam um ao outro.

Receita:

Corte a carne descongelada em tirinhas. Trezentos gramas.

Separe num refratário e coloque a carne, os temperos, como sal, alecrim, mostarda em pó, estragão e corante alimentício espanhol — lembre-se: pitadas com carinho! Não se esqueça de equilibrar com suco de meio limão. Traga a verdadeira essência do que é o cozer o alimento, da alegria que isso traz para nossas casas.

Numa panela média, aqueça o azeite.

Logo em seguida, acrescente as tirinhas temperadas e deixe dourar no fogo médio, sempre mexendo em sentido horário. Superstição ou segredo do chefe?

Enquanto a carne frita no azeite, corte a cebola ao meio e pique bem pequena para o arroz.

Enquanto isso, você olha para a mesa preparada e já vai sentindo o sabor de se sentar e provar, além de uma linda decoração, um prato harmonioso que será o melhor jantar romântico possível.

Traditional Brazilian Feijoada

Vamos ao arroz.

Numa panela média, aqueça o azeite. Fácil, pois já havia feito o mesmo processo para a carne. Depois, junte a cebola picada e deixe dourar. Sempre de olho em tudo e dominando o espaço, pegue dois dentes de alho, pique bem pequenos e jogue junto com meia cebola, deixando fritar por uns 3 minutos e mexendo sempre.

Quando aquele cheiro gostoso de infância, que lembra a casa de sua avó, surgir na sua memória, já está na hora de jogar o arroz. Deixe-o fritar e, não esqueça, sempre mexendo por mais 3 minutos e em sentido horário.

Coloque 2 medidas de água para cada copo de arroz, mexa e acrescente o sal. Aqui vai um segredo: para esse prato, o sal deve ser um pouquinho a mais, pois vamos colocar no centro da panela uma cebola inteira cortada levemente em quatro partes sem separá-las. Isso vai equilibrar o sabor do sal, pois o doce da cebola tempera e dá o toque.

Voltando para a carne.

Abaixe o fogo e coloque uns 30 ml — ou seja, um “cadin” — de água… Eita, mineirice! Caso precise amaciar a carne, deixe secar com a panela destampada.

Reserve a carne num outro recipiente e jogue na panela uma cebola inteira cortada em rodelas. Dê forma e cor ao seu prato.

Ligue novamente o fogo e acrescente 1 colher de manteiga com sal.

Senti o aroma dessa manteiga como quando minha mãe fazia!

Hum! Chegou o protagonista da cena! Vamos voltar para a decoração? Aqui vocês trabalham juntos. Coloque o arroz no prato, separe as partes da cebola que cozinhou com o arroz.

Com os pedaços já separados, coloque uma ou duas partes dessa cebola no prato. 

Você vai querer por as quatro só para você… Opa, é romântico, não esqueça! Muito cuidado, verá que a cebola fica delicada.

Coloque em seguida a carne e, em cima dela, a cebola que refogou.  

Una a energia de vocês e transforme esse momento no jantar mais perfeito que até hoje foi oferecido. Perceba como foi prazeroso montar essa decoração da mesa. Faça sempre isso, não importa o evento ou o prato, cuide com muito carinho e atenção de cada detalhe. O segredo aqui é sempre fazer das pequenas coisas grandes eventos. Nunca deixe para amanhã e faça de todos os dias seus dias mais especiais. Comemore sempre.

Um brinde e bom apetite!

Sobre o autor

Oficina Contrera Arquitetura & Interiores

Oficina Contrera Arquitetura & Interiores

Marcos Contrera

Arquiteto e fundador da Oficina Contrera, além de artista plástico, Marcos Contrera atua no ramo da Decoração e Arquitetura há quase 20 anos.

Iniciou com curso técnico em Design de Interiores e, por estar sempre antenado ao mercado e ao consumidor exigente, decidiu abrir seu atelier de Artes Plásticas e Design de Interiores, enquanto cursava a faculdade de Arquitetura e Urbanismo, e se formou em 1999.

Experiências Internacionais: Visita às feiras internacionais de Paris, Nova Iorque, Milão, Estocolmo e Copenhagen.

Para a Oficina Contrera o “entender, criar e fazer” é como uma engrenagem de uma grande maquina, tudo se articula e as ideias se encaixam.