Convivendo Terapias

O terapeuta ainda está de férias. E agora?

Terapeuta sorridente conversando com um jovem casal.
lightfieldstudios / 123RF
Andrea Fray
Escrito por Andrea Fray

Não é fácil lidar com as férias do terapeuta. E, saibam, o terapeuta também tem suas preocupações com essa fase de distanciamento.😝

Para o profissional e para o cliente, o período de ausência pode gerar receios quanto a crises desassistidas, por exemplo.🤧

Porém, tanto o profissional como seus clientes devem tirar férias do processo. Não só para o óbvio descanso, necessário à recuperação do trabalho realizado, demandante a ambos, mas, principalmente, para possibilitar ao assistido:

👉maior treino do autossuporte, da autogestão;

👉aplicação e fortalecimento das novas consciências adquiridas;

👉aplicação das ferramentas de autoanálise e percepção do Eu de forma mais vital, ou seja, realmente é preciso, mais do que nunca, contar consigo;

👉 insighs novos sobre assuntos tratados em sessão, ou seja, fichas mais profundas vão caindo…

Uma mulher loira se apoiando na janela enquanto está pensativa.
JuanPabloSerranoArenas / Pexels

Como terapeuta, deixo sugestões produtivas para lidar com esse período:

1) Registre suas percepções!

“Pescou” algo sobre si mesmo, suas relações, comportamentos, história, não se desespere. Você não “perderá” essa informação.

Você poderá escrever em um caderno, livro de anotações, no celular ou no computador. Vale até um gravador. Registre.

2) Use mais seu corpo!

(isto é importante sempre!)

É comprovado que a prática de exercícios físicos aumenta o nível de hormônios que trazem bem-estar e diminuem a ansiedade.

Uma mulher e uma criança se alongando sentadas no chão da sala.
KamajiOgino / Pexels

Insistir no cuidado consigo garante mais segurança na Gestão do Eu frente a situações cotidianas ou de maior estresse.

3) Coloque-se à prova!

4) Informe-se sobre o retorno do terapeuta, sobre as possibilidades de contato em urgência e, se possível, deixe a sua próxima sessão agendada com antecedência para o período de retorno. Isso garante maior tranquilidade!

Você também pode gostar

5) Em caso de urgência, acione o seu terapeuta pelos contatos acordados para tal.

Não são todos os profissionais que permitem essa abertura. Porém, alguns profissionais deixam seu e-mail ou telefone particular ou ainda o de sua secretária.

6) DESCANSE, se dê um tempo também.

O ócio criativo é o mais produtivo para percepções.❤

Se ficar à vontade, compartilhe suas alegrias e angústias sobre o período de férias da terapia.

Sobre o autor

Andrea Fray

Andrea Fray

Terapeuta integrativa sistêmica, pós-graduada em psicologia cognitiva e comportamental com ênfase em terapia familiar e de casal, master em hipnose conversacional (Change Work) e coach - life, leader, professional (turn point).

Possui também especialização em meditações ativas, gestão de pessoas e formação em processos gerenciais.

Idealizadora do método CCD (Current Context Diagnosis) de terapia breve.

Pesquisadora, escreveu artigo científico, abordando a autenticidade como método na clínica psicológica.

Atua desde 2005 realizando atendimentos individuais e para grupos com crianças, adolescentes e adultos em espaços terapêuticos, escolas, CAPSIS, promovendo projetos próprios na área de desenvolvimento humano, atendendo demandas de forma exclusiva, criando propostas e processos totalmente particulares.

Email: [email protected]
Facebook: andreafray.synaptyco
Instagram: @andreafra.y
Site: synaptyco.com
Site: anchor.fm/andrea-fray4