Astrologia Astronomia

O universo e os seus 7 princípios herméticos

Imagem do céu estrelado representando o nosso grande universo.
Foto por StockSnap no Pixabay
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Se você tem interesse no ocultismo, no esoterismo e na alquimia, é bem provável que em algum momento da sua vida questionadora você já tenha ouvido falar sobre os sete princípios herméticos do universo – conhecidos como as 7 Leis Herméticas. Essas leis são princípios concedidos ao alquimista Hermes Trismegisto que fazem parte do livro “O Caibalion” – livro esotérico sobre essas mesmas leis que formaram a filosofia do hermetismo.

Algumas pessoas confundem a expressão “hermeticamente fechado” com as leis herméticas pela semelhança entre as palavras, mas na verdade elas têm, sim, uma relação bem significativa: Hermes Trismegisto. Esse alquimista possui inúmeros estudos atribuídos ao seu nome, tanto da filosofia quanto dos que discorrem sobre as essências que tentam explicar as religiões e até mesmo as técnicas de alquimia. Algumas das práticas que são associadas ao alquimista implicam “rituais” para “bloquear” a energia de diversos tipos de objetos, e isso explica a associação de Hermes à expressão “hermeticamente fechado”.

Hermes era um filósofo egípcio, legislador e alquimista que buscava a grande Verdade. Os seus princípios tinham o objetivo de agrupar as leis que comandam todo o universo e o seu manifestar. Dentro da astrologia, Hermes abusou da sua filosofia para tentar encontrar o ponto em que todas as religiões se unem. Segundo ele, é justamente nelas que se pode explicar como um todo se manifesta de acordo com as suas leis herméticas.

Não se sabe com certeza se Hermes nasceu no Egito, mas o fato é que ele tem grande associação com o país, que é uma localidade onde os pensamentos herméticos se ampliaram para diversas regiões. As leis herméticas são bem-vistas por muitas religiões, assim como por filósofos e astrólogos.

Qual a relação dos princípios herméticos com o ocultismo, alquimia e esoterismo?

Os escritos herméticos possuem aspectos filosóficos e teóricos do hermetismo referido a um conjunto de doutrinas. Existem algumas obras herméticas que são de uma tradição mais popular, que consiste em estudos ligados à astrologia, ocultismo e alquimia. Por mais que os diálogos herméticos contenham uma sustentação que afirma essas obras populares, eles se distanciam de qualquer tipo de magia ou de ocultismo.

No entanto, o ocultismo esteve presente em diversos ritos que eram realizados no antigo Egito, onde a magia era considerada a nascente dos diálogos herméticos, pelo fato de que o hermetismo já teria dado os seus frutos. Por isso se estabelecia neste momento uma conexão entre essas duas tradições consideradas Herméticas: a filosófica e o ocultismo.

Imagem de um llindo céu estrelado representando a imensidão do nosso universo.
Foto por FelixMittermeier no Pixabay

Entre os séculos XIX e XX, o esoterismo passou a ser fundido a outros tipos de conceitos e práticas, tais como o hermetismo, o ocultismo e a alquimia. Enquanto o hermetismo se refere aos escritos de Hermes e o ocultismo consiste em uma crença baseada no materialismo que realiza práticas de magia, ignorando qualquer fator metafísico, o esoterismo é um grupo de interpretações e tradições filosóficas das religiões e doutrinas, que tem como objetivo transmitir um quadro sobre diversos assuntos que explicam algumas coisas sobre a vida que podem estar ocultas.

Antigamente as experiências intituladas alquimia tinham o intuito de entender o início do processo de transformação dos metais. Como em seguida alguns métodos científicos foram implantados para explicar tais princípios, a alquimia aproximou-se mais das questões filosóficas que tinham ligação com a magia; e, por essa quase “união”, muitas pessoas a confundiam com o esoterismo. Posteriormente, com base nos escritos de Hermes, nas leis herméticas e na filosofia contida dentro de cada estudo, todos esses conjuntos de informações foram ligados para constituir as explicações desejadas sobre o universo.

Livro “O Caibalion”

Dentre as inúmeras obras associadas a Hermes, “O Caibalion” é uma das mais importantes. Lançado em 1908, os Três Iniciados reuniram todos os princípios que regem todas as coisas, segundo os escritos de Hermes, e lançaram este livro que descreve detalhadamente as 7 Leis Herméticas que dominam o universo. Confira a seguir a base das 7 Leis Herméticas:

1 – O Princípio do MENTALISMO: “O todo é Mente; o universo é mental” – lei que enfatiza o poder da mente humana diante do universo.

2 – O Princípio da CORRESPONDÊNCIA: “O que está em cima é como o que está embaixo. O que está dentro é como o que está fora” – lei que explica que para tudo há uma correspondência no mundo.

3 – O Princípio da VIBRAÇÃO: “Nada está parado, tudo se move, tudo vibra” – lei que afirma que todas as coisas são compostas por átomos e vivem em contínua vibração.

4 – O Princípio da POLARIDADE: “Tudo é duplo, tudo tem dois polos, tudo tem o seu oposto. O igual e o desigual são a mesma coisa. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliáveis” – lei que afirma que todas as coisas têm uma dualidade.

Imagem do céu estrelado representando o universo. A imagem traz cores azul, vermelho e violeta.
Foto por Ossiose123 no Pixabay

5 – O Princípio do RITMO: “Tudo tem fluxo e refluxo, tudo tem suas marés, tudo sobe e desce, o ritmo é a compensação” – lei que explica que os humanos vivem em ciclos.

6 – O Princípio de CAUSA E EFEITO: “Toda causa tem seu efeito, todo efeito tem sua causa, existem muitos planos de causalidade, mas nada escapa à Lei” – lei que ressalta que toda ação possui uma reação e que nada na vida é por acaso.

7 – O Princípio de GÊNERO: “O gênero está em tudo: tudo tem seus princípios masculino e feminino, o gênero manifesta-se em todos os planos da criação” – lei que afirma que o gênero não consiste no que se mostra apenas fisicamente, mas também na mentalidade e no espírito.

Você também pode gostar

Como você pôde ver, as 7 Leis Herméticas têm o intuito de explicar como o universo funciona. Elas são consideradas dádivas da humanidade, pois, quando compreendidas, podem dar aos seres humanos diversos significados e sentidos sobre a vida. Mesmo não sendo um tipo de religião, elas têm um grande lado espiritual, pois fazem parte de uma filosofia antiga que está presente no dia a dia de muitas pessoas que creem no ponto de vista de Hermes – assim como algumas doutrinas também se baseiam ou se inspiram nessas leis. Entender cada uma delas e colocá-las em prática pode fazer com que você enxergue o mundo com um olhar diferente.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]