Saúde Integral

Olimpíadas da vida: desistir ou persistir?

Denise Belfort
Escrito por Denise Belfort

Aproveitando o clima olímpico, a inspiração desse texto veio de uma partida de tênis que assisti pela televisão.

De um lado Rafael Nadal, tenista espanhol, grande nome da modalidade por ser campeão diversas vezes e considerado o melhor tenista dos últimos tempos, e do outro, Thomaz Bellucci, considerado um dos 10 melhores tenistas brasileiros, também campeão de muitos títulos.

Thomaz Belutti / Reprodução: Alexandre Cassiano. O Globo.

Thomaz Belutti / Reprodução: Alexandre Cassiano. O Globo.

Rafael Nadal / Reprodução ITF Tenis Olímpico

Rafael Nadal / Reprodução ITF Tenis Olímpico

Foi uma partida linda, e digna de muito reconhecimento de ambas as partes. Não entendo muito de tênis, mas como torcedora e curiosa, achei que foi um trabalho muito bem feito das duas partes.

E a experiência de vivenciar essa partida com um olhar diferente, me fez criar uma analogia sobre o quanto damos de energia para nossos objetivos.

Resumindo como foi o jogo, o primeiro set foi vencido lindamente por Thomaz Bellucci, e os outros dois sets, Nadal recuperou as forças e venceu.

Essa análise foi baseada no processo de Rafael Nadal, que iniciou o jogo atento, porém pouco concentrado, o que acabou mostrando uma força tremenda de seu adversário. Pela atitude de Nadal, era claro que a partida já estava ganha por Bellucci, que foi fazendo pontos de forma concentrada, e determinada, mostrando muita técnica. Nadal estava desconcentrado e algo nos levava a crer que o jogo seria assim até o fim. Mas, de forma surpreendente, quando foi dado o intervalo, o retorno de Nadal foi diferente. Algo dizia, que ele havia encontrado uma força guardada, colocando toda essa potência para vencer, e assim foi até o final do jogo, mesmo com todas as dificuldades impostas por Bellucci, que estava indo muito bem.

Pensando nisso, refleti sobre quantas vezes iniciamos um caminho que sabemos que será árduo, mas temos um objetivo a conquistar e não queremos desistir, porém, em muitos níveis desse caminho, nos desconcentramos do foco. Olhamos para outras possibilidades mais fáceis, tentando poupar desgastes físicos e emocionais que seguir esse trajeto pode nos oferecer.

A conclusão dessa reflexão foi: nenhum caminho para chegar até um objetivo que você realmente quer atingir será fácil demais, a ponto de você não se desgastar, pelo menos um pouquinho.

Para se atingir um foco, é necessário sim dispender um pouco de energia, não estou falando que as coisas são difíceis e que devem ser, mas pelo menos um pequeno esforço precisamos fazer para algum tipo de concretização. E foi isso que notei neste jogo de tênis.

Durante o seu caminhar, a vida vai colocar alguns obstáculos, apresentar adversários, fazer você ter a sensação de que talvez desistir seja a melhor atitude. Cabe a você unir forças, mostrar um jogo diferente, resgatar a concentração e continuar persistindo até chegar ao seu pódio.

E com certeza, mesmo após tanto sacrifício e desgaste, estará cada vez mais perto da sua medalha de ouro, será uma sensação recompensadora,  indescritível para todo seu esforço, em que você alcançará todo mérito de ter insistido até o fim.

Sobre o autor

Denise Belfort

Denise Belfort

- Fisioterapeuta Naturopata
- Astróloga
- Especialista em Terapia Floral, atuando com Florais de Bach e Saint Germain.
- Atende em consultório com astrologia, massagem terapêutica, drenagem linfática terapêutica, Reiki e terapia floral.
- Faz também atendimentos via Skype para as técnicas de astrologia e terapia floral.

Contatos:
Celular: (11) 95880-0918
Email: [email protected]