Autoconhecimento Psicanálise

Orgulho, um monstro de mil cabeças!

Ana Cerqueira
Escrito por Ana Cerqueira
Olá, amigos do Eu Sem Fronteiras!

Espero que estejam todos muito bem e no caminho da evolução e do autoconhecimento. Hoje vou falar sobre o orgulho, que impede que a nossa caminhada seja mais leve e tranquila.

Vou começar falando sobre 5 características que são essenciais a nós, grandes orgulhosos que muitas vezes nos colocamos como seres humildes e simples, hipócritas que somos! 

1. O orgulhoso não reconhece as suas imperfeições: para o orgulhoso a culpa é sempre do outro, ele nunca erra, todos os problemas pelos quais ele passa é sempre proporcionado por outra pessoa, coisa ou sistema. Ele não consegue olhar para dentro de si e entender de uma vez por todas que tudo o que passamos é e sempre será consequência das nossas escolhas e atitudes.

2. O orgulhoso se compara: quando nos comparamos ou nos sentimos superiores ou inferiores ao outro. Na primeira hipótese nos tornaremos prepotentes, presunçosos, soberbos, vaidosos e na segunda nos sentiremos um lixo, teremos inveja, não reconheceremos o que temos de bom e nos entregaremos à energia negativa e depressão.

3. O orgulhoso julga: todo tipo de julgamento é feito por nós orgulhosos, não satisfeitos com o fato de os outros não atenderem todas as nossas necessidades, ou por nos colocarmos como superiores, ou simplesmente por projetarmos os nossos conteúdos nas pessoas, apontamos o dedo para o nosso próximo. E esquecemos que quando fazemos isso estamos falando de nós mesmos. Para quem quiser se aprofundar no assunto, indico um vídeo excelente sobre projeção, chamado “O Efeito sombra”:

4. O orgulhoso não valoriza o que tem: nós orgulhosos estamos sempre insatisfeitos com as coisas que temos e conquistamos, com a vida que levamos, passamos o tempo todo reclamando de tudo e de todos sem perceber o quanto a vida nos presenteia todos os dias. Não enxergamos a beleza da natureza, não agradecemos pelo sol, pela chuva, pela vida e por todas as pessoas maravilhosas que passaram e/ou estão em nosso caminho. Apenas focamos na falta.

5. O orgulhoso é apegado: nós orgulhosos não temos desprendimento, nem material, nem afetivo e muito menos do que temos de mais valioso, o tempo. Somos apegados nas nossas coisas e nas pessoas. Tratamos o outro como a nossa posse e como um brinquedo que deve estar disponível sempre que precisamos. Nosso tempo então, nem se fala, não o doamos, fazemos com que ele seja cada vez mais repleto de tarefas, compromissos e deixamos de ajudar aquele que mais precisou de um sorriso, de um ouvido ou de uma fala.

E o pior é que ainda não percebemos o quanto somos orgulhosos, o quanto temos que caminhar e evoluir. Nos consideramos simples, humildes e no fundo estamos (alguns) desesperadamente tentando destruir uma das mil cabeças desse monstro chamado orgulho. Avalie-se, olhe para dentro e não para fora, pare de apontar o dedo para quem quer que seja. Se a vida está ruim, mude e saia dos ganhos, tome uma atitude e vá em busca da sua felicidade. Não perca tempo, ame-se primeiramente para depois amar o seu próximo e lembre-se que você está onde está por única e exclusivamente sua escolha.

Um beijo no coração e até a próxima! 

Sobre o autor

Ana Cerqueira

Ana Cerqueira

Sou Psicanalista Clínico, com especialização em Métodos de Acesso Direto ao Inconsciente. Tenho graduação em Publicidade e pós-graduação em Comunicação Digital. Sou Autora do Blog “Amor pela Psicanálise”.

E-mail: [email protected] | [email protected]
Facebook: Amor pela Psicanálise
Instagram: @amorpelapsicanalise
Site: Blog Amor pela Psicanálise