Maternidade Consciente Saúde da Mulher

Parto tem que ser normal, fórcipe, cesárea, natural ou adequado?

Pés de bebê recém nascido
123RF
Ana Cláudia Nogueira

Parto é a forma que nós, mamíferos, nascemos. É o produto conceptual e a placenta já evoluídos da fase embrionária para a fase fetal sair de dentro da mãe, através de fenômenos fisiológicos causados no organismo materno, ou por intervenção médica necessária para que isso ocorra.

Hoje se faz tanto alarde, que, muitas vezes, o parto se torna um evento cinematográfico, cheio de emoções caóticas absolutamente distante do que a natureza programou.

Aí fica o questionamento de qual será o melhor parto. O evento envolve diretamente dois seres: mãe e filho. Mas, no geral, apenas um tem o direito de escolher. A mãe escolherá a maternidade (hospital ou casa de parto), os médicos, as enfermeiras, as doulas, o tipo de parto, quem estará no trabalho de parto etc.

Enfermeira segurando bebê recém nascido
Jonathan/Unsplash

É muito comum vermos mulheres que dizem ter a necessidade de se empoderar, ter dor para ser mais mulher, sofrer o processo do parto custe o que custar para serem, verdadeiramente, mães.

Algumas, abrem mão da segurança da saúde materno-fetal para realizar seus sonhos, egos e crenças, e seus partos em lugares e situações esdrúxulas. Outras, marcam o parto para não ter a possibilidade de sentir dor, ou para ter o melhor mapa astral e/ou numerológico (não tenho nada contra esses trabalhos incríveis), ou em datas significativas para elas, querendo definir quase que, absolutamente, o nascimento e o destino de outro ser.

Grávida sentada na cama do hospital com enfermeira a sua frente com as mãos na barriga

Como dito acima, o parto divinamente pertence a dois seres ou mais, em caso de gestações gemelar. Então, a meu ver, essa mãe que foi escolhida para receber aquele ou aqueles seres nesse planeta deve ter a humildade, ou melhor, a sabedoria para definir o parto mais adequado para ambos.

Ser mulher e mãe é se desprender do ego, das crenças, e se conectar com o seu Eu Maior, absorver a supremacia do ser e do estar mãe para atrair excelentes profissionais que a ajudarão no decorrer da gestação e no momento sagrado do parto.

E, com esses profissionais, definir o melhor para ela e para os que vão nascer.

Bebê deitado em uma cama
Picsea/Unsplash

Nascer é um ato de amor para com você e com o(s) filho(s). Desprenda-se e faça do seu parto o mais adequado para todos. Evidente que, o mais natural possível respeitando o processo da natureza é como o nome diz, o mais natural.

Na vida sabemos que nem tudo acontece como desejamos ou muito menos como planejamos, mas, no final, quando estamos conectados com o Divino, percebemos que tudo aconteceu da melhor maneira possível.

Você também pode gostar

Mesmo que seja necessária uma intervenção médica com medicações, anestesia, instrumentos de parto ou cesárea, acredite, foi o melhor para você e seu(s) filho(s) naquele momento.

Todos chegamos aqui no planeta por um plano maior, então faça o seu melhor. Conecte-se com o Universo e terá o parto mais adequado para a felicidade de todos os envolvidos nesse processo maravilhoso que é o nascer!

Sobre o autor

Ana Cláudia Nogueira

Ana Cláudia Nogueira

Médica formada em 1997 pela faculdade de medicina de jundiaí-são paulo.especialista pela federação brasileira de ginecologia e obstetrícia. pós-graduada em biofísica quântica e biorressonância aplicada. pós-graduada em gestão de saúde e especializada em auditoria médica pela Fundação Getúlio Vargas. atuou nos hospitais Pérola Byington - centro de referência da saúde da mulher, Hospital Maternidade Modelo Vila Nova Cachoeirinha e atua na rede Pro Matre/ Santa Joana em São Paulo. Desde sempre em busca da verdadeira saúde, da integração mente, corpo e espiritualidade já realizou diversos cursos em medicina integrativa, preventiva e funcional.

Contatos
Email: [email protected]
Instagram: @anaclaudiascarabel