Autoconhecimento

Prisões imaginárias da vida

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Nós, seres humanos, somos feitos de aprendizados e evoluções. Mas, algumas vezes, deixamos energias que não nos pertencem tomarem as rédeas da nossa vida.

A mente humana é curiosa. Somos imobilizados a todo tempo por prisões imaginárias e sequer notamos que isso está acontecendo.

Quantas vezes você já se aprisionou em algo que não te fez bem? Quantas vezes você teve medo de seguir em frente? Quantas vezes a sua maior barreira foi você mesmo? Acredite, você não está sozinho nessa!

A pior prisão que existe é a psicológica e ela afeta a maioria das pessoas. Livre-se daquilo que te afaste da verdadeira felicidade. Identifique correntes que você precisa quebrar para evoluir e seguir em frente.

Ser além de parecer

“Somos imobilizados a todo tempo por prisões imaginárias e sequer notamos que isso está acontecendo”

Vivemos na era da tecnologia, onde o status está em alta na vida real e nas redes sociais. Se você não se destacar, passa despercebido. Aí começa a obsessão de que toda pessoa precisa ser aceita e brilhar, pelos outros e por si mesma.

Tudo bem querer atenção, mas até onde isso é saudável? Fazer as vontades dos outros e não agradar a si mesmo é sinal de que as coisas não andam bem.

Negar tudo o que você é por aceitação não vale a pena. Além de te inferiorizar, te força a viver uma persona no dia a dia, uma vida que não é sua.

Interpretar um papel fora dos palcos não é nada sábio. Você pode ser diferente, pensar diferente e não tem absolutamente nada de errado nisso. Aderir ao estilo de vida dos outros só aprisiona e limita sua criatividade e capacidade cognitiva.

É preciso ter autonomia, saber quem se é e pelo quê você luta. Não silencie a sua natureza para agradar terceiros, quartos ou quintos. Sua saúde mental precisa sempre estar em primeiro lugar. Afinal, de que adianta agradar a todos e não se agradar, não se reconhecer, não se amar?

Se não gostam de você pelo que você é, talvez seja melhor não querer essas pessoas por perto. Lembre-se de que o problema não é você e não abra mão da sua própria vida para se cercar de pessoas.

A verdade traz consigo bons amigos e boas experiências. Valorize quem você é e seja a melhor versão de si mesmo.

Os perigos da autossabotagem

A autossabotagem é uma arma perigosa nas mãos do medo. É a origem de todas as nossas inseguranças, desencadeia um problema sério de baixa autoestima e te fragiliza até você desaparecer.

Se sentir inferior a qualquer pessoa e incapaz de fazer qualquer coisa é uma das prisões imaginárias mais perigosas para a sua vida e para o seu bem-estar.

Você não precisa dessa imagem depreciativa de si mesmo, pois isso só te danifica e paralisa diante dos acontecimentos da vida. Conheça-se melhor, ame seus defeitos e valorize as suas qualidades. Chega de achar que não consegue ser melhor. Você precisa ser. Sempre. E você é!

Silencie todas as desculpas que surgem em sua mente. Encare a sua vida com mais fé e positividade. Lembre-se: o otimismo é capaz de mudar qualquer caminho.

Não deixe que o medo de tentar te impeça de conseguir o que você quer. Não se deixe estagnar por essa prisão imaginária. Você é a única pessoa capaz de se fazer feliz.

Não distorça os princípios da sua religião

Uma pessoa que tem fé tem tudo. Mesmo que a fé seja em si mesmo. Mas uma pessoa que é religiosa não tem necessariamente uma fé. E isso é um problema.

“A autossabotagem é uma arma perigosa nas mãos do medo. É a origem de todas as nossas inseguranças”

O extremismo religioso é um ponto negativo na sua vida. Os pensamentos inflexíveis de uma doutrina podem ser perigosos e pretensiosos. Muitos religiosos não falam de sua fé em tempo integral, porque sabem que ela chega na hora certa na vida de cada pessoa.

Sua verdade não é incontestável, é justamente através das conversas que as convicções alheias podem mudar. Ser inflexível não te levará ao paraíso, condenar os demais não te salvará do inferno. É preciso entender que doutrinas diferentes existem e que o castigo divino não depende de você.

Vivemos num mundo assustador, e julgar as pessoas não ajudará a melhorá-lo.

Em qualquer religião, a base principal é o amor ao próximo. Pratique-o. Permita-se ouvir o outro e pense fora da caixa, se coloque mais no lugar de quem fala, abra a mente para aprender novos pontos de vista e compartilhe o seu conhecimento de forma educada.

Observar as pessoas e respeitá-las como elas são pode fazer toda a diferença para o mundo ser um lugar melhor. Aprenda com os demais e julgue menos. O princípio da religião é o amor e a união, não o contrário.

Não se acomode naquilo que não te faça feliz

“Sua verdade não é incontestável, é justamente através das conversas que as convicções alheias podem mudar. Ser inflexível não te levará ao paraíso”

O comodismo é de longe uma das piores coisas na vida de alguém, pois desencadeia todos os problemas possíveis e dificulta as soluções mais óbvias.

Essa falsa sensação de que estamos seguros muitas vezes nasce na infância, onde começamos a ser protegidos por nossos pais e nos acostumamos às regalias de nunca lidarmos de fato com as consequências. Mas infelizmente é preciso crescer. Viver é aprender com as quedas.

Precisamos experimentar as derrotas para celebrarmos as vitórias. Não adianta nada se acomodar naquilo que não te faz feliz. Não vale a pena!

Não se conforme com as coisas, procure sempre melhorar, até quando achar que esteja tudo bem. O comodismo é uma prisão sem saída que te impede de viver e atravessar barreiras. Não se deixe entorpecer pelo medo. A zona de conforto é perigosa e te impede de ter uma vida de verdade.

Lembre-se de que o tempo não volta, por mais que a gente queira e faça da estadia na Terra a melhor experiência possível.

Não desperdice sua vida com inseguranças e siga sempre em frente. As prisões imaginárias estarão sempre por perto, seja forte o suficiente para identificá-las e não se deixe enganar pelas armadilhas. Sua felicidade depende unicamente de você!


Texto escrito por Juliane Rodrigues do Nascimento da Equipe Eu Sem Fronteiras 

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]