Quiropraxia Saúde Integral

Quiropraxia: o que é e seus benefícios

Paciente deitado recebendo tratamento nas costas
lightfieldstudios / 123RF
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Se você já acordou com um mau jeito nas costas ou já sofreu com torcicolos ou dores lombares, sabe bem como dores e incômodos nessas partes do corpo podem ser ruins e até mesmo incapacitantes, atrapalhando o trabalho e as atividades de lazer. Em momentos como aqueles em que estamos sofrendo com problemas assim, sentimos que seríamos capazes de recorrer a qualquer coisa para que a situação melhore.

Uma dessas coisas pode ser a quiropraxia! A quiropraxia é uma forma de medicina alternativa que trata problemas do sistema musculoesquelético relacionados à coluna vertebral. A técnica surgiu em 1890, idealizada pelo médico canadense Daniel David Palmer, que descobriu que diversas condições não relacionadas à coluna apareciam juntamente a dores nessa parte tão essencial do nosso corpo.

É importante ressaltar a condição de medicina alternativa da quiropraxia, porque ela não substitui uma consulta a um ortopedista ou sessões de fisioterapia. É um tratamento complementar e auxiliar ao acompanhamento médico tradicional.

Se você está sofrendo com dores, desajustes ou travamentos na coluna, na lombar ou no pescoço, a quiropraxia poderá ajudar bastante, desde que você tenha consultado um médico e ele tenha liberado o uso da prática. Mas antes de marcar a sua primeira sessão de quiropraxia, confira abaixo algumas informações sobre essa técnica que são essenciais para quem deseja recorrer a ela para se sentir melhor.

Os benefícios da quiropraxia

A quiropraxia pode ser usada de diversas formas: para aliviar dores, prevenir dores e travamentos, para ajudar a reabilitar alguém que tenha sofrido uma lesão… Os usos da técnica são vários e somente um quiroprático pode avaliar o caso e indicar como poderá ajudar.

Médico com as mãos nas costas da paciente deitada
lightfieldstudios / 123RF

Alguns dos problemas que podem ser sanados ou aliviados pela quiropraxia são dores na lombar, dores ciáticas, hérnias de disco, dores e enrijecimentos no pescoço, torcicolos frequentes, tensões e dores musculares, problemas de articulação em ombros, cotovelos, punhos, joelhos e tornozelos, travamentos e movimentos limitados e restritos, lombalgia, recuperação de lesões e traumas e lesão por esforço repetitivo, bem como tendinites.

Além de ajudar a aliviar os sintomas, as dores e auxiliar no tratamento dos problemas citados no parágrafo anterior, confira outros benefícios da quiropraxia:

  • Corrige e ajuda a manter boa postura;
  • Melhora a qualidade do sono;
  • Combate problemas respiratórios, como sinusite e rinite;
  • Aumenta a mobilidade e a flexibilidade;
  • Reduz a necessidade de usar medicamentos para combate a dores;
  • Fortalece a musculatura do corpo todo;
  • Previne lesões e restrições de movimentos nas articulações e nas vértebras;
  • Alivia tensões e os sintomas do estresse;
  • Promove sensação de relaxamento;
  • Diminui a incidência de dores de cabeça;
  • Tem efeito rápido, muitas vezes imediato;
  • É uma técnica não invasiva.

Como saber se posso ir ao quiroprático?

Antes de marcar uma sessão de quiropraxia, como explicado na introdução, consulte um médico ortopedista e pergunte a ele sobre a possibilidade de recorrer à quiropraxia, porque muitas vezes uma técnica alternativa, à parte à medicina tradicional, pode acabar fazendo mais mal do que bem, então é importante ter o aval de um médico para recorrer a essa prática.

Após o aval do médico, é importante marcar uma consulta-teste para conversar com o profissional da quiropraxia, falar sobre o seu histórico médico e consultá-lo sobre a possibilidade de passar pelas sessões.

Paciente falando com médica
milkos / 123RF

Alguns casos, porém, já excluem a possibilidade de recorrer à quiropraxia. São eles: cânceres de qualquer tipo, fraturas, processos pós-cirúrgicos com inclusão de prótese, doenças venéreas ou na pele, doenças respiratórias e vasculares, escoliose, protusão discal, queimaduras, osteoporose ativa, osteomielite, osteopenia, tuberculose óssea, artrite aguda, distúrbios metabólicos decorrentes de carência vitamínica, espondilolistese, ruptura de ligamentos, lesões neurológicas centrais, alterações neurológicas decorrentes de compressão medular ou de raízes nervosas e demência.

Cuidados, riscos e quem pode fazer

Como já alertado anteriormente, o profissional da quiropraxia não é médico, então somente um ortopedista pode avaliar a gravidade do seu caso e qual é o tratamento recomendo para ele. Não atropele etapas e consulte um médico antes de recorrer à quiropraxia.

Caso o médico tenha liberado você para fazer sessões de quiropraxia, mas não tenha nenhum profissional para indicar, é hora de encontrar um bom quiroprático. Não marque uma sessão em qualquer lugar que viu por aí sem antes fazer uma pesquisa.

Para começar, pesquise o nome do profissional na internet e veja as avaliações que as pessoas fizeram do trabalho e da clínica dele. Se as avaliações forem negativas, não arrisque, porque ele vai mexer na sua coluna vertebral, lembre-se! Se as avaliações, porém, forem positivas, vá para o segundo passo: pesquise a formação desse profissional.

No Brasil, a prática da quiropraxia requer formação em ensino superior, que é reconhecida pelo Ministério da Educação desde 2005. Outros cursos de especialização na técnica são oferecidos pelo COFFITO (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional). Todos os formados nesse curso têm seus diplomas registrados pela Associação Brasileira de Quiropraxia (ABQ) e podem ser consultados.

Fuja de profissionais que afirmem ter apenas formação em cursos livres ou que não apresentem comprovações de serem formados. A internet é sua aliada! Lembre-se, como sempre, que esse é um profissional que vai mexer na parte mais delicada e importante do seu corpo, que é a coluna vertebral, então não escolha qualquer um para realizar esse trabalho.

Ah, e antes de fechar um pacote de x sessões, faça uma consulta-teste, avalie a qualidade do trabalho do quiroprático, suas maneiras, o local onde atende e a maneira como foi tratado por ele.

É importante ressaltar também que grupos que podem parecer mais vulneráveis, como crianças, idosos e até mesmo gestantes podem fazer uso da técnica. Para as crianças, combate dores de crescimento e previne má postura; para os idosos, traz mais qualidade de vida, alívio de incômodos e corrige movimentos limitados pela idade; para as gestantes, ajuda a aliviar o peso adicional da gravidez e prepara a coluna para lidar com esse peso, reduzindo e combatendo dores nas costas, nas pernas e no pescoço.

Como é o tratamento com a quiropraxia?

Um dos benefícios já citados no tópico sobre os pontos positivos da quiropraxia é que essa é uma técnica não invasiva. Somente usando suas mãos ou alguns aparelhos não invasivos, o quiroprático corrige o que precisa ser corrigido e alivia os problemas e dores que estão fazendo mal ao paciente.

Em geral, o tratamento inclui a avaliação do quiroprático, que define os pontos na coluna que precisam de correção. Em seguida, ele aplica sobre esses pontos pressão com as mãos em alta velocidade, movimento que geralmente causa um estalo. Essa técnica é chamada de manobra. Após uma manobra na lombar, por exemplo, é comum sentir formigamentos, espasmos e mesmo pequenas dores se espalhando por membros e pela região próxima, já que foi feita uma correção de postura.

Médica com as mãos no rosto da paciente deitada
Iopolo / 123RF

Se você está receoso sobre a prática, procure vídeos no YouTube e veja como, apesar dos estalos e dos movimentos rápidos, ela é segura e pode melhorar problemas gravíssimos, como movimentos limitados há anos e travamentos súbitos na coluna.

Enfim, a quiropraxia é uma terapia alternativa que pode ser muito benéfica para quem apresenta alguns problemas e dores na coluna, no pescoço e nas articulações. Porém só devem buscar a ajuda de um quiroprático aqueles que consultaram um ortopedista e ouviram dele um aval para passar com um profissional desse tipo, porque a quiropraxia não substitui a medicina e o tratamento médico tradicional.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]