Autoconhecimento Comportamento

Reciclagem material e reciclagem emocional

Mulher em campo verde com braços abertos sendo iluminada pelo sol
Fátima Cardoso
Escrito por Fátima Cardoso

A reciclagem de resíduos sólidos (lixo) é feita por meio de um conjunto de técnicas de reaproveitamento de materiais descartados, reintroduzindo-os no ciclo produtivo como matéria-prima para2805 a fabricação de novos produtos. É uma opção vantajosa ambiental e socialmente: reduz o consumo de recursos naturais, diminui o volume de lixo nos lixões, emprega milhares de pessoas, entre outros benefícios.

Pesquisa feita pela associação Compromisso Empresarial pela Reciclagem (Cempre) aponta que em dezembro de 2018 apenas 22% das prefeituras do Brasil tinham algum tipo de coleta seletiva. Porém o sistema não cobre todo o território desses municípios nem todos os materiais possíveis de serem reciclados. Ou seja, mesmo com a política nacional de resíduos sólidos, aprovada em 2010, que inclui a implantação dos programas de coleta seletiva pelas prefeituras, estamos caminhando muito devagar nessa questão socioambiental.

Segundo estudo lançado pelo WWF, o volume de plástico que chega até os oceanos todos os anos é de aproximadamente 10 milhões de toneladas, o que equivale a mais de 60 aviões Boeing 747 pousando por dia nos mares e oceanos. Nesse ritmo, até 2030 encontraremos o equivalente a 26 mil garrafas de plástico no mar a cada km², se nenhuma mudança acontecer na nossa relação com esses materiais.

Quanto mais desenvolvido o país ou mais alta é a classe social, menor é a proporção de resíduos orgânicos compostáveis e maior a de recicláveis do lixo coletado.

É claro que lixo dentro de casa incomoda, fica feio, causa mau cheiro, atrai bichos e pode trazer problemas de saúde. Porém muitas pessoas acham que quando tiram o lixo de sua casa, colocam na rua e o sistema de coleta do seu município recolhe, parece que tudo foi resolvido, independentemente de qual destino terá esse lixo.

 

Pilha de papeis para reciclagem

De acordo com um estudo publicado pela revista científica norte-americana “Science”, o plástico é responsável pela morte de 100 mil animais marinhos a cada ano e até 2050 haverá mais plástico nos oceanos do que peixes.

Quando a população não pratica o consumo consciente, se “livra” da grande quantidade de lixo que produziu – sem fazer a separação do que é reciclável –, colocando-o na rua para ser coletado pelo órgão público responsável, e o órgão público por sua vez se “livra” de qualquer forma com lixões irregulares e sem a devida reciclagem, isso está afetando direta e indiretamente muitos seres, inclusive matando milhares de animais marinhos.

Assim como é extremamente importante fazer a reciclagem do lixo material, para que sua matéria-prima volte a ter uma funcionalidade e não se torne um problema, também é necessário reciclar e ressignificar as emoções.

Emoções, palavras e ações “tóxicas” também matam

A raiva que você sente pelo chefe ou colegas de trabalho mata a harmonia no ambiente de trabalho, podendo até contaminar o trânsito no seu de volta para casa e também sua própria casa. O ódio direcionado às outras religiões, partidos políticos, times de futebol, entre outros grupos ou pessoas, enfraquece e até mata amizades, acaba com o convívio harmonioso e pode até mesmo matar fisicamente pessoas. A autodesvalorização ou ainda a desvalorização de quem está ao lado mata sonhos e a possibilidade de realizações na vida.

Homem sentado em ponte com lago e paisagem de montanhas ao fundo

O tempo que o plástico leva para se decompor no meio ambiente é em média 400 anos. E aquela coleção de mágoas que você guarda da mãe, do pai, dos irmãos, ex-companheiro(a) ou atual, amigos, conhecidos e desconhecidos, quanto tempo levará para se decompor?

O meio ambiente também agradece se você se conscientizar das suas emoções e reciclar, ressignificar as emoções “tóxicas” que você guarda a tanto tempo.

Transforme suas emoções, pensamentos, palavras e ações em matéria-prima para criar soluções, cooperação e bem-estar para a humanidade, enfim recicle-se, você só tem a ganhar. Há inúmeras técnicas que podem ajudá-lo nesse processo.

Eu, terapeuta Fátima Cardoso, trabalho com cinesiologia quântica e constelação sistêmica familiar, e essas técnicas vêm ajudando centenas de pessoas a reciclar suas emoções.


Você pode se interessar por outro artigo da autora. Acesse: Como você vê a vida?

Sobre o autor

Fátima Cardoso

Fátima Cardoso

Fátima Cardoso é facilitadora de Cinesiologia Especializada pela escola Three in One Concepts. Facilitadora em Cinesiologia Quântica pela Conexão Harmônica, Massoterapia e Reflexologia pelo Senac, e também Reiki e Metafísica da saúde. Facilitadora de Constelação Sistêmica Familiar presencial e online. Além disso, fez participações no programa Kabballah Egípcia na Rádio Mundial.

E-mail: [email protected]
E-mail: [email protected]
Cel: 11 9 8122-7920
Facebook: Terapeuta Fátima Cardoso
Site: facilitadorafatimacardoso.com.br

Locais de atendimento:
São Paulo - (11) 98122-7920
Diadema - (11) 4054-3508
Santo André - ((11) 4972-0003
Campinas - (19) 9 8138-9669