Convivendo

Recicle: Jovem cria máquina para limpar plástico de oceanos

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Com apenas 19 anos, Boyan Slat resolveu fazer a diferença no mundo de uma forma sustentável. O estudante de engenharia aproveitou sua criatividade para ajudar o planeta combinando ambientalismo e tecnologia.

Ele resolveu questões globais de sustentabilidade desenvolvendo o Ocean Cleanup Array, um dispositivo incrível capaz de limpar os fluxos de plástico nos oceanos. O equipamento acumula mais de 7 milhões de toneladas de plástico, fazendo com que o meio ambiente não sofra tanto com a falta de preservação dos humanos.

Embora sua empreitada tenha dado certo, o maior obstáculo desse dispositivo é encontrar os lugares mais poluídos do planeta, pois eles estão espalhados por milhões de quilômetros. A máquina recolhe todo material flutuante, com a intenção de que futuramente exista a reciclagem na terra.

Com essa nova tecnologia, a vida marinha seria melhor preservada, pois o lixo ficaria em contato com a água até sua separação. O processo de limpeza levaria pelo menos 5 anos, colocando de volta no mar o que fosse necessário.

O protótipo é um sucesso e ganhou reconhecimento em sua criação pela The Ocean Cleanup Foundation, ONG responsável pelo desenvolvimento de tecnologias. Assista o vídeo (ative a legenda em português) e conheça um pouco mais sobre a invenção capaz de salvar animais aquáticos e diminuir a poluição ambiental que se integra à cadeia alimentar marinha.

É ou não é uma ideia inspiradora e revolucionária para o nosso planeta?


Texto escrito por Juliane Rodrigues da Equipe Eu Sem Fronteiras

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]