Convivendo

Ressignificando vivências: vamos dar cor às memórias

Caderno com a palavra "memória" escrita em inglês com lápis de cor.
Dhruvika / Makwana / Getty Images / Canva
Escrito por Lande Bomfim

O Dia Mundial da Poesia foi instituído pela Unesco em 1999 e tem por objetivo dar apoio à diversidade linguística por meio da expressão poética.

A poesia trouxe um ressignificado especial na minha vida. Olhando cá dentro de nós, quem é poeta sonha que um dia terá pelo menos um livro publicado, e publicar poesia não é só para expressar sentimentos, mas também refletir sobre o novo recheado de pequenos versos e fotografias.

Ressignificar é mais que especial, porque muito me define. Sempre gostei do que é antigo, da arte de colecionar. Das cartas antigas, fiz livros, intitulei “Memórias Inesquecíveis”, para meus olhos sempre lembrar. Vivo de eternas lembranças, de saudades, de ter objetos antigos para a minha casa decorar, e choro ouvindo as músicas antigas… vivencio os amores passados, perdidos… os que comigo não puderam ficar. E as fotografias… ah! Publiquei aquelas muito significativas num livro com poesias para eternizar.

Mas também me alinho aos novos tempos… aprendendo a viver o ressignificar com outro olhar, nesta vida que segue seus rumos, e assim vivencio e enxergo sua realidade desprendida de sofrer e lamentar do passado, porque sei escolher construir a minha felicidade neste constante movimento em viver os desafios de enxergar e levar a vida de forma mais leve para continuar.

Imagem de folhas em cima de uma mesa, uma caneta de pena e um óculos de grau
Nejron / Canva

As lembranças fazem curso à beleza do que foi vivido, ressignificando as vivências e dando cor às memórias, transformando cada uma delas em poesias que embalaram os sonhos. E o maior desafio é ressignificar… sem dramatizar. Assim é o poeta… isso é aprender a ressignificar. E essa tão brilhante arte milenar, que é escrever poesias, nos permite declarar… declarar versos, declamando nos palcos ou apenas deitada embalada nos braços do ser amado… ou em gritos de versos poéticos ao mundo… nos livros publicados, expressando sentimentos sensíveis pelos olhares dos que leem poesia e se fazem chorar, sorrir, se apaixonar… se encantar. A poesia é a forma poética de amar – então vamos ressignificar!

Ressignificar, pense bem, não é excluir do pensamento o que foi aquele acontecimento, bom ou ruim, mas tornar tão leve… florido… fazendo das letras soltas poesias que ressoam das palavras vazias, nas reflexões do vivido, sofrido, do que se amou em todos os sentidos, da resistência, utopia, da arte e intensidade da nossa sensibilidade sombria.

Viva a arte de escrever… a arte das palavras com suas fantasias de versos e reversos, muitas vezes cheios de melancolia. E que reine por todos os tempos a poesia!

Sobre o autor

Lande Bomfim

Sou blogueira, adoro café, sou uma pessoa sensível, sorriso espontâneo, apaixonada pela vida, escrevo poesias desde a adolescência. Hoje além de escrever poesias e crônicas também faço fotografias da natureza. Escrever e fotografar são formas de expressar os sentimentos. Recentemente tive o privilégio de publicar o primeiro livro de poesias e fotografias “Pincel dos Acontecimentos”, a necessidade fez o sonho realidade. O livro foi vendido para adquirir um aparelho auditivo, sou deficiente auditiva. Ainda tenho exemplares, envio pelos correios a quem tiver interesse. Amo viajar e o maior sonho hoje é conhecer o mundo.

Contatos:
Email: [email protected]
Site: rioitaguaricocosbahia.blogspot.com
Facebook:
Lande Bomfim Trindade

Instagram: @landetrindade