Maternidade Consciente

Ser mãe solo

Mãe segurando seu bebê
Kristina Paukshtite / Pexels
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Ser mãe solo é carregar, todos os dias, em tempo integral, a responsabilidade pela criação, educação e lazer de uma criança. Seja em relação a questões financeiras ou a como administrar o tempo, ser mãe solo significa que não existe divisão das tarefas e vivencias.

Porém a mãe solo nasce de diferentes maneiras, como por opção, em uma inseminação artificial de uma mulher sem um parceiro(a), ou em uma gravidez tradicional, na qual um dos parceiros não se coloca a disposição para assumir o filho. Ambas as situações são difíceis e requerem coragem, força e determinação.

Vestir a camisa da mãe solo, muitas vezes, é se doar inteiramente para os filhos, esquecer do seu próprio tempo e estar a todo momento realizando uma prova de amor.

Essas mulheres

Mães solo são aquelas que matam um leão por dia, pois, além da maternidade, precisam lidar com a vida em sociedade, com o lado profissional da vida, a cadeia de relacionamentos, o cuidado da casa, entre outros, por isso ser gentil com uma mãe solo é dever e obrigação de qualquer um. Elas estão em todos os lugares e de diferentes maneiras, pois englobam todas as sexualidades, idades, culturas, níveis de educação e classes sociais. Outro detalhe em comum entre essas mulheres é o fato de serem muito orgulhosas, de não demonstrarem o temor, as fraquezas, as dúvidas e de não abaixarem a cabeça para os obstáculos da vida. Elas acordam todos os dias prontas para enfrentar o mundo e cuidar de seus filhos.

Uma mãe levantando seu filho em frente ao pôr do sol em uma praia
Pixabay / Pexels

A presença da sociedade do dia a dia dessas mulheres

Os olhares para as mães solo não são os melhores de imediato… É sempre questionado o porquê da solidão, os julgamentos perante as escolhas são frequentes e existe ainda aqueles que culpam as mães solo por estarem passando por momentos difíceis na maternidade! Não seja esse tipo de gente, não destile esse tipo de julgamento e comentário. Seja uma pessoa disponível para se tornar rede de apoio, enalteça essas mulheres, cuide delas, conquiste sua confiança e seja leais. Na sociedade existem muitas vozes ruins, sejam vozes de amor, gentileza, compaixão, força, atenção e preocupação. Tenha em mente que aquela criança é o futuro, é a esperança para dias melhores. Cuidando de uma mãe solo, cuida-se de puras crianças.

Você também pode gostar

O auxílio no tempo livre

Na conquista do tempo livre de uma mãe solo, além do descanso merecido, ela pode usar diferentes recursos para aprender, sentir-se acolhida e se divertir. Algumas opções são: leitura de livros (como “O Exército de uma Mulher Só”), assistir a filmes de comedias sobre a imperfeição do mundo da maternidade (como os filmes: “Perfeita é a Mãe” e “Não Sei Como Ela Consegue”), ouvir alguns podcasts enquanto realiza alguma outra atividade ou no seu descanso (como o “Mãe Solo”, do Podtail) ou navegar pelos canais “Sem Choro Podcast” e “Podfalá”. Além disso, existem coletivos e grupos para ajudar essas mamães guerreiras, assim como uma rede de apoio fortalecida, com boas intenções, pronta para ouvir, apoiar e cuidar das crianças para as mães solos escreverem outras páginas no livro de suas vidas.

Portanto é importante sempre julgar menos e acolher mais, mesmo que não passe por essa situação, além de aprender, ler e se munir de informações para que se crie uma corrente de bem, de amor e de proteção para essa vertente da maternidade em nossa sociedade. Vamos aplaudir e, mais ainda, dar voz e espaço para as mães solo.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br