Convivendo

Ser Tia – Meu melhor papel no mundo!

Carolina Zambelo
Escrito por Carolina Zambelo

Um pedaço de mim que bate fora do peito!

É isso que sempre sinto quando penso neles! E como é louco dois tiquinhos de gente, que não saíram de mim, despertarem um amor tão incondicional e verdadeiro assim. Ser tia foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida nos últimos 5 anos e meio.

Lembro exatamente o dia que meu irmão me ligou contando que ia ser pai, que loucura, foi uma mistura de “E agora?” com “Vai ficar tudo bem!”. E lembro também do dia que ela chegou e da primeira vez que nossos olhares se cruzaram… Ela com aquele olhão característico da nossa família e uma flor enorme amarela na cabeça. Era o Sol que tinha chegado para iluminar a vida de todos nós. Eu encantada, assustada e muito feliz! E a partir desse primeiro encontro tive a certeza de que jamais a deixaria sozinha nesse mundo.

De lá pra cá colecionamos momentos maravilhosos e ela virou minha parceirinha. Sempre comigo na academia, aula de zumba, festinhas, churrascos, almoços. Dormindo juntas, montando acampamento, inventando histórias. Conversamos sobre tudo, desde as brigas na escola até dicas de maquiagem.

Certo dia fiquei por um tempão olhando ela brincar na piscina, e uma enxurrada de lembranças, sentimentos e desejos tomaram conta do meu coração! Fiz uma retrospectiva desses seus, na época, 4 anos e meio, e me dei conta de como ela havia crescido. A fala, os gestos, raciocínio, como o tempo passa depressa! Senti uma felicidade sem igual de vê-la cheia de vida, imaginação, inocência e vontades! Senti um amor imenso, desses que deixam a gente sem ar, senti que tenho parte nisso sim, e que ela pertence a mim tanto quanto pertenço a ela! E o quanto minhas atitudes e gestos influenciam diretamente no seu desenvolvimento, e isso deu um medão da porra!

Meu bebê já é uma moça! Uma moça que sabe o que quer, que bate o pé, que questiona, ensina, dança, canta, que cuida! Cuida do irmão, da vovó, cuida de mim! Ela nem faz ideia, mas inúmeras vezes seu abraço curou a saudade, seus beijinhos amenizaram uma dor e suas brincadeiras mandaram a tristeza pra bem longe! Ela nem faz ideia, mas pelo simples fato dela existir sou uma pessoa muito mais feliz, e a cada “Tia Carol” que ouço meu coração transborda de alegria! Você é um pedacinho meu com vida própria! Meu bebê já é uma moça!

E 3 anos depois chegou um molequinho! Que veio pra mostrar que quando achamos que já sabemos tudo sobre amar uma pessoinha, há ainda muito o que aprender!
Um carinha alegre, carinhoso e muito louco rs! Minha relação com ele é totalmente diferente da que eu tenho com a Isabella, principalmente porque geograficamente não tenho podido acompanhar seu desenvolvimento tão de perto. Mas é aí que vem a lição, porque mesmo mais distantes nesses seus primeiros 2 anos de vida, o amor é tão imenso e verdadeiro quanto. E o medo que eu tinha de dele não gostar de mim foi embora no dia que ouvi em uma chamada de vídeo: “Dinda te amo!”.

Queria estar pertinho pra esmagar e encher de beijos, mas não importa onde ele esteja, meu coração estará sempre lá! Vamos aprontar muito ainda! Como madrinha também assumi o compromisso de zelar, proteger, cuidar, acompanhar nessa jornada linda e contribuir para a sua evolução espiritual e como ser humano! Eita que a responsabilidade boa essa, não é mesmo?!

Não é mais possível imaginar a vida antes deles. Criaram conexão e transformaram todos em uma família! Me ensinaram sobre amor, sobre querer ser exemplo, pensar no futuro de uma forma diferente, de querer fazer alguém feliz, me ensinaram sobre saudade!

E como tem sido difícil essa fase longe deles! Mas sei que logo estaremos pertinho novamente.

E hoje, no Dia da Tia, eu desejo que dancem, brinquem e sejam as pessoas mais felizes desse mundo, que seus choros se limitem aos tombos e manhas infantis, que eu possa estar sempre por perto e que nada desfaça essa ligação que a gente tem, que é tão nossa e só nossa!

Que Papai do Céu ilumine e guarde vocês meus anjos.

Tia Carol e Dinda ama muito vocês.

Namastê.


Você também pode gostar de outro artigo da autora. Acesse: Qual a influência do sexo na sua vida?

Sobre o autor

Carolina Zambelo

Carolina Zambelo

Jornalista, aquariana, mãe do Dudu (um maltês de 6 anos), tia da Bella e do Matheus, otimista por vocação, muita fé em Deus e na vida e sempre em busca da minha melhor versão.

Desde pequena sou ligada aos assuntos que envolvem esse mundo “oculto”, sempre acreditei em forças superiores e que a vida é algo muito além do que nossos olhos são capazes de enxergar, pelo menos, os olhos físicos.

Como um ser que ainda não se iluminou, coleciono tropeços, lágrimas, recomeços, mas também acertos lindos, sorrisos e muito amor!

Meu desejo é que meus conhecimentos humanos, espirituais e profissionais possam levar muita coisa boa para o maior número de pessoas possível e transformar vidas. Inclusive, foi por esse motivo, que ainda criança, decidi ser jornalista. Sempre acreditei que a informação revoluciona e é capaz de mudar o mundo.

Que essa missão perpetue e que seja incrivelmente linda para todos nós.

Gratidão. Namastê!

Contatos:
Facebook: /Carolina Zambelo |
Instagram: @carolinazambelo
E-mail: [email protected]