Energia em Equilíbrio Tai Chi Chuan

Tai Chi vs Treinamento muscular

Luciano Imoto
Escrito por Luciano Imoto

Aciência* explica um fenômeno que já é conhecido há séculos no tai chi: a simples intenção de movimento ativa os mesmos neurônios e músculos que o movimento físico em si também ativa. Ou seja, pensar em levantar um peso enquanto mantém as mãos e os braços imóveis irá ativar as partes do cérebro e do corpo necessárias para se erguer uma carga real.

Ainda que a visualização de um exercício não seja suficiente para dobrar a força muscular ou causar hipertrofia, irá ajudar a melhorar o equilíbrio, a coordenação motora e aumentar a nossa capacidade de recrutar o máximo de fibras musculares e sinapses neste processo de isometria.

A prática do tai chi requer o envolvimento do intento como gatilho mental para disparar qualquer ação ou golpe.
Ciente disso, na prática solo e em duplas, cultive a mentalidade de (1) estar sempre internamente conectado (esqueleto, musculatura e órgãos posicionados corretamente nas suas linhas naturais de tração e compressão**), (2) consciente da gravidade atuando sobre a nossa massa e nos “pressionando” na terra e (3) sensível ao surgimento da força de reação ao solo a partir da sola dos pés como se as pernas fossem molas comprimidas.

A percepção destes três elementos (Gravidade, Corpo e Terra***) é vital!

shutterstock_85698265

É da sensação de ter o corpo suspenso na atmosfera, crescendo para todos os lados e em direção ao céu, mas enraizado no chão como uma árvore, que o ataque e a defesa nascem. Graças a essa sinergia o artista marcial se liberta da dependência de força bruta, rapidez e vigor juvenil. E quem descobre o poder do tai chi de usar a mente para mover o corpo não irá abandoná-lo para voltar a treinar do jeito invertido.

Da próxima vez que estiver praticando uma técnica ou erguendo uma xícara, não importa, faça de qualquer movimento um verdadeiro evento: concentre-se, foque no resultado da ação antes que ela se concretize e sinta as ondas do seu pensamento acionarem os devidos ossos e tendões. Então é só curtir a maravilhosa sensação de controle corporal e clareza mental do intento que muitos chamam de estado de fluxo****!

*Para saber mais sobre os avanços científicos sobre esse assunto, segue link com sugestão de leitura (em inglês): 

**Não é de se estranhar que as linhas estruturais de força que cruzam o corpo coincidam com os principais meridianos da Medicina Tradicional Chinesa!

***Usando o jargão da filosofia chinesa, Céu – Homem – Terra, “SAN CAI” (três poderes).

****Sobre o Fluxo, recomendo o livro “Super- Humanos” de Steven Kotler.

Sua opinião é bem-vinda, sempre que colocada com a educação e o respeito que todos merecem. Os comentários deixados neste artigo são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste site.

Sobre o autor

Luciano Imoto

Luciano Imoto

Professor Luciano Imoto

Diretor da ACADEMIA IMOTO, idealizador do MÉTODO IMOTO, instrutor de defesa pessoal (GUIDED CHAOS), Tai Chi Chuan e condicionamento físico (MMA Fitness) para homens, mulheres e crianças.

Ministra aulas coletivas e cursos particulares de autoproteção para profissionais liberais, atletas, estudantes e civis em geral bem como para equipes de segurança das mais diversas áreas.

2º Dan de AIKIDO e faixa-preta graduado no sistema GUIDED CHAOS pelo Grão-Mestre John Perkins.

Iniciou oficialmente sua carreira marcial aos 16 anos em 1988, praticando as seguintes artes marciais:

- Jut-Bo (Chuteboxe) com Mestre Sun
- Aikido com Wagner Bull
- Tai Chi Chuan com Velzi Moreschi
- Xing Yi Chuan com Yong Jun Wang
- Yi Chuan com Wang Te Cheng
- Ving Tsun com Léo Imamura
- Caratê Kyokushin com Ulisses Isobe
- Systema com Gustavo Castilhos
- Taikiken com Massamichi Fukushima
- Jiu-Jitsu com Ezes Barros e Daniel Rego
- Guided Chaos com John Perkins, Al Ridenhour e Ari Kandel
- Sangenkai (treinamento de Poder Interno e Aiki) com Dan Harden

Atualmente realiza consultas técnicas com treinadores europeus de MMA (Mixed Martial Arts), com especialistas de faca sul-africanos (Piper System) e filipinos, instrutores de defesa pessoal nos EUA e com antigos alunos do Daito Ryu Aikibujutsu, entre outras autoridades nacionais e internacionais na área da segurança e do meio das artes marciais internas chinesas.

Em 2003 integrou equipe de instrutores de curso de segurança e autodefesa para a Guarda Civil Metropolitana de São José dos Campos - SP, ajudando na capacitação de centenas de recrutas.

Como projetista de armas e equipamentos de treinamento, desenvolveu um bastão com desenho inovador e prático batizado de Tonfa Imoto.

É autor do livro "A Metafísica do Combate", lançado pela Ícone Editora em 2008. Foi o primeiro treinador no Brasil a introduzir o treino funcional de resistência e rapidez utilizando correntes (Speedchain), Corda Naval e o Push-Up Board (Prancheta de Flexão).

Em 2006, com 33 anos de idade e quase duas décadas de treinamento, experiências e pesquisas, acumulou conhecimento suficiente para idealizar uma didática original, atual e segura de autoproteção e fortalecimento corporal. E, posteriormente, ao incorporar posturas de Yôga e de Tai Chi aos exercícios funcionais com equipamentos antigos e modernos de ginástica, descobriu novos meios de se obter mais tônus, mobilidade e equilíbrio até idealizar o MÉTODO IMOTO e o MMA FIT, duas formas modernas de treinamento marcial para segurança pessoal e de condicionamento físico.