Saúde Integral

Unha encravada: como cuidar, tratar ou tirá-la?

Você já ouviu falar em onicocriptose? Certamente sim, mas não com esse nome. O termo científico se refere à unha encravada, problema que acontece quando a unha cresce e acaba penetrando a pele ao seu redor.

É bem comum que ela aconteça nos dedos do pé, para o qual as pessoas não costumam dar tanta atenção. A preocupação só vem quando o incômodo começa: a pele fica dolorida, inchada, vermelha e pode até soltar pus.

Mas o cuidado com as unhas — dos pés e das mãos — é muito importante para evitar que problemas como esse surjam. Neste artigo, você vai descobrir tudo o que precisa saber sobre a prevenção e o tratamento de unhas encravadas. Continue lendo!

O que causa a unha encravada?

Para começar, precisamos entender de onde vêm as unhas encravadas. São três as principais causas da onicocriptose — todas muito comuns no nosso dia a dia. Vamos conhecê-las:

Sapatos e meias apertados(as)

Em função do trabalho ou da nossa rotina, muitas vezes precisamos usar sapatos apertados ou modelos de bico fino. Geralmente, com meias sintéticas ou também muito apertadas. O problema é que esses itens são grandes aliados da unha encravada.

Isso porque, quando o calçado não é o ideal para deixar o pé confortável, ele pode apertar os dedos uns contra os outros, forçando a unha a crescer dentro da pele. Preste atenção no tamanho do modelo e busque sempre o mais adequado para você.

Mau corte da unha

Na hora de cortar a unha, o maior erro que costumamos cometer é cortá-las arredondadas nos cantos. Desse modo, é provável que ela cresça na direção errada, provocando o surgimento da unha da mão encravada ou, mais comumente, da unha dos pés. Também não é uma boa ideia deixá-las muito curtas, porque a sua função é proteger os dedos. Em relação às cutículas, elas devem ser apenas empurradas.

Traumas ou machucados locais

No caso de atletas, como corredores ou jogadores de futebol, o impacto sofrido pelos pés pode causar vários machucados. Esses ferimentos fazem com que a pele ao redor da unha fique inflamada, o que facilita o surgimento da onicocriptose.

Genética dos dedos

Há ainda o fator hereditário. Quando os dedos são muito largos ou desviados, estão mais sujeitos, por exemplo, à compressão dos sapatos. O excesso de suor nos pés também pode ser prejudicial, pois a umidade machuca a pele ao redor das unhas, deixando-a mais vulnerável.

Diferentes graus e sintomas das unhas encravadas

Mas a onicocriptose não surge do dia para a noite. Uma vez que a unha começa a penetrar na pele, são vários os estágios até que o problema se torne insuportável. Acompanhe:

Somente com dor

O primeiro sinal de que algo está errado é a dor. Mais leve, ela incomoda quando o local ao redor das unhas é pressionado, porém não atrapalha nas tarefas do dia a dia. Mau cheiro e coceira também podem começar a aparecer.

Dor, inflamação e vermelhidão

Depois, vem a vermelhidão. É um sinal de unha encravada inflamada. Nessa fase, a região fica bastante sensível e é provável que haja uma sensação latejante de vez em quando.

Dor, inchaço, pus e/ ou sangue

Quando a onicocriptose sai do grau leve para o moderado, vem a infecção. É a unha encravada com pus, marcada por uma lesão bastante aparente e dolorida, com sensação latejante mais frequente.

Por fim, nos casos graves, a pessoa desenvolve uma inflamação crônica no local — a unha fica permanentemente afetada e é preciso tratamento contínuo com um podólogo.

Unha encravada: o que fazer e com o que tratá-la?

Falando em tratamento, existem várias alternativas medicinais para curar ou, pelo menos, amenizar os incômodos da unha encravada. Mas é importante ressaltar que, antes de fazer uso de qualquer medicação, o ideal é procurar a avaliação de um médico — um podólogo, dermatologista ou ortopedista.

Pernas para cima dando foco nos pés.
Lucrezia Carnelos / Unsplash

Inicialmente, o recomendado é utilizar órteses (aparelhos provisórios) ou chumaços de algodão para separar a unha da pele ao redor. Se a situação se agravar, o profissional pode fazer uso de soluções antissépticas, aplicação de ácidos na lesão, uso de crioterapia ou mesmo medicamentos, como veremos a seguir.

Antibióticos e pomadas

Quando se trata de pomada para unha encravada, aquelas com antibióticos em sua composição são as melhores opções, pois evitam que a unha infeccione e a situação se agrave.

No caso de onicocriptoses muito dolorosas, o médico pode ainda recomendar pomada anestésica. Ela serve para aliviar, temporariamente, o incômodo causado pela unha encravada infeccionada.

Usar antibióticos orais

Dependendo da complexidade do problema, antibióticos orais também se fazem necessários. Geralmente, eles se tornam uma alternativa quando há o surgimento de inflamação, infecção e granulomas, ou seja, pequenos nódulos na região.

A dose e a quantidade de vezes que esse tipo de remédio para unha encravada deve ser administrado depende da avaliação de um médico.

Cremes

Cremes com corticóide, elemento anti-inflamatório para unha encravada, contribui para a redução do inchaço e também são boas opções. Basta massagear a pele inchada diariamente para liberar os cantos das unhas.

Cirurgia

Se nada disso adiantar e a unha encravada continuar recorrente, há ainda a possibilidade da cirurgia. O procedimento é feito com anestesia local e, normalmente, não remove toda a unha, apenas desobstrui a passagem para que o canto que encrava possa crescer sem obstáculos. Porém mesmo que a unha seja removida, a região da antiga unha encravada pode persistir doendo. Nesse caso, o ideal é consultar o médico.

Riscos e consequências de não tratar uma unha encravada

Quando não tratada, a unha encravada pode piorar até formar um granuloma piogênico, isto é, a famosa “carne esponjosa”. Além de todos os sintomas da onicocriptose, esse tipo de lesão causa deformação do dedo afetado, sangramento recorrente e dificuldade para caminhar. Se perceber sinais de má circulação sanguínea, busque ajuda imediatamente.

Como tratar a unha encravada em casa?

Por outro lado, nos casos mais leves, existem algumas dicas que podem ser aplicadas dentro de casa para evitar que o problema chegue nesse nível. Saiba o que é bom para unha encravada:

Tente levantar a unha encravada

A primeira coisa que as pessoas se perguntam quando percebem o problema é “como tirar unha encravada?”. Na prática, é mais simples do que parece. Com uma pinça, tente levantar o canto da unha. Coloque um pedaço de algodão ou gaze entre a unha e a pele para mantê-la elevada. Repita o processo diariamente, higienize e troque o algodão ou a gaze. Evite fazer curativos apertados ao redor do dedo.

Deixar o pé ou a mão de molho

Essa é uma ótima opção para amenizar a dor e diminuir o inchaço. Basta deixar os pés ou mãos de molho em água morna por aproximadamente 20 minutos. Um pouco de sal também é bem-vindo, por ser um bactericida natural. Isso fará com que a pele amoleça, facilitando na hora de cortar ou tirar a unha encravada. Não se esqueça de massagear o local afetado enquanto ainda estiver de molho e de secar bem toda a região.

Suco de cebola

Pode parecer estranho, mas as propriedades da cebola ajudam muito a combater a infecção. É como um remédio caseiro para unha encravada. Liquidifique uma cebola em 250ml de água e coe. Coloque o pé ou a mão imersa no suco até que ela fique completamente encharcada. Depois, espere secar, porque isso significa que o líquido penetrou bem no local. Limão e alho também funcionam.

Água-oxigenada

Já a água-oxigenada é ótima para desinfetar e amenizar inflamações. Você vai precisar apenas de 800ml a 1L de água comum e 100ml de água-oxigenada. Ferva a água comum e, em seguida, acrescente a água-oxigenada. Coloque em uma bacia e deixe os pés de molho por 20 minutos. Repita o processo em dias alternados.

Você também pode gostar

Quanto tempo demora para desinflamar unha encravada? Ela se cura sozinha?

Agora que você já sabe como cuidar da unha encravada, é preciso paciência. Fazendo uso de tratamentos caseiros, a unha costuma desencravar depois de 1 ou 2 semanas. Enquanto isso não acontece, a dica é não cortar a unha, exceto se a pele já estiver infeccionada e dolorida, deixando-a crescer o suficiente para ultrapassar a região da pele ferida.

Tomando esses cuidados, é possível dizer que “curou” a unha encravada, mas deixá-la seguir seu curso natural sem intervenções é perigoso e pode causar desconfortos ainda maiores.

Como prevenir a unha encravada?

Você já viu que não é tão simples assim resolver uma onicocriptose. Porém bastam algumas mudanças nos hábitos de vida para prevenir que o problema volte a aparecer. Veja como prevenir:

  • Evite usar sapatos e meias apertados, de bico fino ou de tecidos sintéticos;
  • Troque de meias diariamente;
  • Na medida do possível, evite sapatos fechados;
  • Faça um corte reto nas unhas, sem arredondar os cantos;
  • Mantenha a higiene do pé;
  • Retire somente o excesso da cutícula;
  • Prefira sempre alicates de corte ou tesourinhas aos cortadores de unha;
  • Se o problema for recorrente, faça um check-up com seu podólogo com frequência.

A saúde das unhas pode não parecer tão importante, mas, quando deixada em segundo plano, tem consequências bastante desconfortáveis. Lembre-se de que elas servem para proteger os dedos dos pés e das mãos e também devem ser cuidadas. Agora que você já sabe como prevenir e tratar a unha encravada, não tem mais desculpa para não mantê-las

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br