Linguagem do Corpo Saúde Integral

Pneumonia: Não só o coração guarda emoções, os pulmões também

Homem tossindo em seu braço
cottonbro / Pexels
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Quase todo mundo já deve ter ouvido falar em pneumonia. Mas você sabe definir quais são as características dessa infecção que pode ficar bastante grave ou quais são os seus sintomas e os métodos de tratamento?

Bastante confundida com a tuberculose, a pneumonia pode ter consequências graves caso o paciente não procure tratamento médico e siga o que foi recomendado pelo profissional de medicina. Confira, neste artigo, os detalhes sobre essa doença e entenda como tratá-la e quais são suas causas.

O que é pneumonia?

Em linhas gerais, a pneumonia é um tipo de inflamação que afeta o pulmão e que, normalmente, está associado a alguma infecção. O mais comum é que a pneumonia comece com uma gripe ou um simples resfriado; quando esse problema não é tratado corretamente, isso faz com que a imunidade do paciente seja consideravelmente afetada. Como as defesas do organismo não funcionam para combater corretamente bactérias e outros males, eles se infiltram nos alvéolos dos pulmões do paciente, desencadeando a inflamação da pneumonia.

Há uma constante em todos os casos da doença: o pulmão é o órgão afetado por essa enfermidade. Apesar disso, há diversas variedades de pneumonia, o que fica evidente, inclusive, pelo fato de algumas pessoas terem sintomas que outras não apresentam. Existe essa grande variação de sintomas e de tipos de pneumonia porque muitos tipos de bactérias podem passar pelo sistema imunológico enfraquecido e chegar aos pulmões, então cada caso é um caso singular.

Sintomas de pneumonia

Como explicado no tópico anterior, os sintomas da pneumonia variam bastante porque diversas bactérias podem acabar infectando o pulmão de uma pessoa com a imunidade baixa, causando infecções distintas e que se manifestam de maneiras diferentes, daí a variação dos sintomas. Conforme apresentado no livro “Medicina emergencial: um guia de estudos completo”, de J. E. Tintinalli, estes são os principais sintomas da pneumonia, acompanhados de sua prevalência:

  • Tosse — entre 79% e 91% dos casos;
  • Astenia (perda de força física) — 90% dos casos;
  • Febre — entre 71% e 75% dos casos;
  • Dispneia (falta de ar) — entre 67% e 75% dos casos;
  • Expectoração (escarro) — entre 60% e 65% dos casos;
  • Dor no tórax — entre 39% e 49% dos casos.
Homem tossindo e com a mão no peito
Klebercordeiro / Getty Images Pro / Canva

Já que os sintomas são bastante variados, eles ainda podem incluir tosse produtiva com catarro amarelo ou esverdeado, diarreia, vômitos, náuseas e fadiga.

Tipos de pneumonia

Os tipos de pneumonia podem ser divididos em quatro grupos, cada um afetando o corpo humano de uma maneira diferente:

  • Pneumonia bacteriana: tipo mais comum e frequente de pneumonia, causado por bactérias que estão presentes em outras partes do organismo, mas que se alojam nos pulmões;
  • Pneumonia aspirativa: normalmente, é causada pela inalação de produtos tóxicos ao organismo humano, como fumaça e odores de algumas substâncias químicas. São comuns os casos de pessoas que sofrem de refluxo e/ou que engasgam com o próprio vômito, por exemplo, e acabem desenvolvendo esse tipo de pneumonia;
  • Pneumonia viral: em resumo, é um tipo de pneumonia causado pela presença de algum tipo de vírus invasor na região dos alvéolos do pulmão;
  • Pneumonia nosocomial: esse tipo de pneumonia acontece com pacientes que estão internados em UTI ou precisando de aparelhos para respirar, porque ocorre quando as bactérias chegam ao pulmão por intermédio dos aparelhos que são usados para controlar, facilitar ou possibilitar a respiração.

Pneumonia segundo Cristina Cairo

Você conhece uma teoria chamada linguagem do corpo? Segundo esse conjunto de ideias, tudo aquilo que sentimos e pensamos altera o nosso corpo físico. É uma pseudociência, porque seu método não pode ser comprovado cientificamente.

Segundo Cristina Cairo, uma das pessoas mais conhecidas entre aqueles que difundem a linguagem do corpo no Brasil, a pneumonia afeta pessoas que nutrem em seus corações uma mágoa muito profunda ou que estejam em constante conflito com suas emoções. Segundo ela, essa doença pode ser causada também por um desespero secreto ou por falta de coragem.

Essas pessoas geralmente sentem-se profundamente cansadas e pouco dispostas a curar suas mágoas, o que impede que o mal se cure também. Buscar usar a lógica e a razão para compreender suas emoções pode ser outro motivo que dê origem a esse tipo de enfermidade.

Mulher com a mão no rosto, demonstrando tristeza
Juan Pablo Serrano Aredas / Pexels / Canva

De acordo com Cairo, combater as mágoas e aceitar os seus sentimentos sem questioná-los demasiadamente são os principais caminhos para evitar que tudo isso sufoque o seu peito e o seu mundo.

O que causa a pneumonia?

Como explicado nos tópicos anteriores, há diferentes tipos de pneumonia, cada um originado de uma forma diferente. Mas a resposta mais curta talvez seja dizer que vírus e bactérias causam a pneumonia. Além disso, problemas de imunidade, principalmente após gripes e resfriados, é que normalmente abrem a brecha para esse tipo de infecção.

Há também alguns grupos de risco entre as pessoas que têm pneumonia com mais frequência: idosos com mais de 65 anos, bebês e crianças pequenas e pessoas com outras morbidades, como diabetes, pressão alta, doenças psicológicas, alcoolismo, desnutrição ou que estejam passando por problemas de imunidade causados pela aids ou enfrentando um tratamento de quimioterapia.

Aqueles que enfrentam doenças pulmonares, como fibrose cística, enfisema e asma, além daqueles que sentem dificuldade de tossir, que sofreram derrames ou que fizeram ou fazem uso frequente de sedativos, estão entre as pessoas que correm risco de pegar pneumonia com mais frequência.

Há tratamento para pneumonia?

O diagnóstico da pneumonia normalmente é confirmado por meio de um exame radiográfico do tórax. Após confirmada a patologia, o tratamento frequentemente começa com o uso de antibióticos e de medicamentos que impedem a evolução das bactérias ou dos vírus causadores da moléstia.

Além do uso de medicamentos, os médicos recomendam que os pacientes afetados pela pneumonia repousem bastante e sigam as outras recomendações, como em relação à dieta e aos horários de sono.

Quando a pneumonia acontece num caso pediátrico, isto é, em uma criança, pode ser uma doença silenciosa, que não apresenta sintomas diferentes dos de uma gripe. Por isso é importante fazer algum exame de imagem para confirmar ou descartar a hipótese de pneumonia.

Você também pode gostar

Remédios caseiros para pneumonia

A pneumonia é uma infecção séria e bastante grave, então seu tratamento não pode ser feito de maneira caseira e sem consultar um médico, como algumas pessoas fazem com gripe, resfriados, crises de rinite ou sinusite etc. Portanto, NÃO SUBSTITUA o tratamento médico por qualquer técnica alternativa ou caseira.

Imagem de chá de limão com mel, rodelas de limão, gengibre e hortelã, tudo em cima de uma mesa
Tbralninaphotos / Canva

Mas, se você deseja recorrer a métodos mais naturais para ajudar no combate à pneumonia, pode consultar o seu médico quanto a acrescentar algum dos métodos a seguir no seu tratamento. Caso ele diga que você pode fazer isso, vá em frente; mas apenas se ele autorizá-lo.

Chás

Há quatro boas opções de chás para ajudar no combate à pneumonia. Um deles é o chá de sabugueiro e cebola. Para prepará-lo, é preciso ferver 500 ml de água, 10 g de flores secas de sabugueiro e 1 cebola ralada durante cinco minutos, ingerindo em seguida. Grávidas e bebês não podem tomar esse chá, que tem ação anti-inflamatória, expectorante e antiviral.

Uma segunda boa opção é o chá de folhas de limoeiro e mel, que tem propriedades anti-inflamatórias e antialérgicas que ajudam a reduzir a irritação do pulmão. É preciso apenas ferver 500 ml de água, 15 g de folhas de limoeiro e 1 colher (de sopa) de mel e ingerir em seguida.

O chá de alteia e mel, que tem fortes propriedades antitússicas e expectorantes, também pode ser um bom tratamento auxiliar contra pneumonia, pois elimina o excesso de catarro e combate a tosse persistente. Você só precisa ferver 200 ml de água, 1 colher (de chá) de raiz de alteia e 1 colher (de chá) de mel. Em seguida, é só ingerir. Grávidas, mulheres que estejam amamentando e diabéticos não podem ingerir esse chá.

Por fim, o chá de eucalipto é outra boa opção para tratar pneumonia de maneira natural. Ele tem propriedades antissépticas, expectorantes, antimicrobianas e anti-inflamatórias, o que ajuda a aliviar a tosse e o catarro, além de combater a irritação do pulmão. Basta misturar uma xícara de água fervente a 1 colher (de sopa) de folhas de eucalipto picadas e ingerir.

Inalações e aromaterapia

Médicos recomendam que todas as pessoas, independentemente de terem problemas respiratórios, devam fazer inalações com soro fisiológico com frequência para manter as vias nasais e respiratórias limpas e desobstruídas. Isso pode ajudar no combate à pneumonia, já que todas as partes das vias respiratórias ficam carregadas de catarro.

Aparelho de inalação soltando vapor
Tolola / Getty Images Pro / Canva

Uma alternativa também natural é o uso de óleos essenciais. Esses óleos compõem uma técnica chamada aromaterapia, em que doenças são combatidas quando inalamos óleos feitos a partir de métodos naturais. Ainda que os óleos essenciais não sejam indicados diretamente para o combate à pneumonia, você pode prevenir essa doença e outras do trato respiratório ao inalar os óleos essenciais de eucalipto, hortelã-pimenta, árvore do chá, tomilho, alecrim, lavanda e orégano, todos com eficácia contra a tosse e eficazes para eliminar o catarro.

A pneumonia é uma infecção muito perigosa e que precisa de acompanhamento médico desde o seu início para que o paciente não corra risco de agravamento da doença e, possivelmente, de morte. Se você está passando por alguns dos sintomas detalhados neste artigo, procure um médico o quanto antes e faça os exames necessários para descobrir se você realmente está sofrendo desse mal. Não brinque com a sua saúde e recorra a tratamentos naturais e alternativos somente se eles forem autorizados pelo seu médico.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br