Autoconhecimento Comportamento

Vaporização do útero. Técnica que trata problemas físicos e emocionais

Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Uma grande tradição milenar, a vaporização do útero é uma técnica e um ritual energético que consiste na exposição da vagina a um vapor de água quente, especificamente fervida com ervas com propriedades medicinais, para o tratamento de desconfortos que acometem a região da vulva, do útero, da vagina e até mesmo outros problemas, sejam físicos ou emocionais.

Essa técnica age a partir dos benefícios fisiológicos da umidade, do calor e, principalmente, de todas as propriedades medicinais que cada erva possui. A vaporização do útero também é chamada de limpeza uterina, pois, ao entrar em contato com o canal vaginal e com o útero, o vapor, em seu estado gasoso, transforma-se em líquido, que em seguida é expelido e automaticamente limpa a região. É válido ressaltar que, além da limpeza fisiológica, essa técnica também promove uma limpeza energética no organismo da mulher.

O calor emitido por essa prática de vaporização proporciona um processo de dilatação dos vasos sanguíneos locais, que aumenta a absorção do local e hidrata a região do útero e da vagina da mulher. Essa técnica possui efeito fisiológico, por isso você precisa simplesmente fazer com que o vapor suba até a vagina para que sinta todos os efeitos. A mucosa vaginal é extremamente sensível e fina, portanto absorve com mais facilidade as propriedades medicinais das ervas que entram na corrente sanguínea, atuando no corpo todo.

Imagem de uma mulher oriental dentro de uma banheira fazendo vaporização.
Direitos autorais : primagefactory

Para que a vaporização do útero serve?

Essa técnica, considerada também um ritual, serve para limpar tanto o lado físico quanto o lado energético da região íntima da mulher, assim como o seu ventre. Em questões físicas, a vaporização serve para aumentar a fertilidade, melhorar a lubrificação vaginal, aliviar dores locais, entre outros. No campo energético, a técnica serve para limpar as memórias negativas que ficaram presentes no útero; quando a mulher passa por traumas sexuais ou abortos, por exemplo, a vaporização do útero limpa o chakra sexual e renova o ventre feminino.

Em quais ocasiões usar essa técnica?

Pelo lado fisiológico, algumas ginecologistas indicam a prática da vaporização do útero uma vez por semana, para manter a saúde vaginal e evitar possíveis desconfortos, mas para isso é necessário usar ervas com propriedades medicinais específicas. Se você pensa em fazer esse tipo de vaporização, converse com a sua ginecologista e encontre a melhor forma de praticar essa medicina alternativa para objetivos específicos. Já pelo lado espiritual, também é indicado fazer com uma certa frequência, pois no ventre feminino existe grande herança emocional que carrega memórias que precisam de cura.

Imagem de um vaporizador branco.
Direitos autorais : Yury Stroykin

Quais são os seus benefícios?

Dentre os inúmeros benefícios que a vaporização do útero traz à mulher, listamos alguns deles aqui:

– Diminui inchaços, dores e desconfortos causados pela menstruação, pela relação sexual, pelo parto ou até mesmo por cirurgias ginecológicas;
– Reduz a secura da vagina, nutrindo o tecido da região e promovendo uma melhora na lubrificação vaginal;
– Ameniza os sintomas mais comuns da menopausa;
– Traz inúmeros benefícios ao sistema reprodutor, aumentando a fertilidade;
– Hidrata a mucosa;
– Aumenta a vibração e a vitalidade do corpo;
– Suaviza os tecidos do útero e da vagina;
– Aumenta a criatividade da mulher;
– Auxilia no tratamento de cistos de ovário, mioma, endometriose e de diversos problemas da região;
– Desintoxica a vagina e o útero;
– O vapor age como um relaxante para a musculatura pélvica após uma relação sexual, eliminando desconfortos, tensão ou dores;
– Limpa memórias que geram incômodos na mulher;
– Reconecta a mulher com a sua própria essência;
– Faz com que o sangue seja mais fluído e claro;
– Auxilia na cicatrização de uma cirurgia;
– Age como um calmante local.

Mulher em um banheiro de roupão branco preparando o ritual da vaporização do útero.
Direitos autorais : nd3000

Todas as mulheres podem fazer? Existe alguma contraindicação?

A vaporização do útero não pode ser feita durante o período de menstruação ou qualquer outro tipo de sangramento, durante infecções vaginais ou quando houver a existência de feridas abertas, durante a gestação ou quando houver alguma alteração específica no corpo que não indique qualquer contato com vapor ou calor. Se você não se encontra em nenhuma dessas condições citadas, você pode fazer a vaporização! Mas enfatizamos mais uma vez que essa técnica não substitui um ginecologista, ok? Você deve manter sempre um acompanhamento médico para manter a sua saúde em dia.

Agora veja a seguir uma dica de como fazer a vaporização do útero:

Primeiramente, você precisa escolher ervas que sejam indicadas para o seu caso. Jogue-as em um balde vazio e em seguida despeje uma panela de água fervente por cima. Coloque o balde entre as suas pernas; para isso, você precisa estar sem roupa da cintura pra baixo. Cubra o seu corpo com um cobertor ou uma toalha para concentrar todo o vapor que sair do balde. Se você conseguir, tente adaptar o balde como um “assento” e se sente sobre ele, pois assim o vapor chegará até a sua vulva com mais facilidade. Caso não consiga, fique em pé mesmo.

Você também pode gostar

É importante que, enquanto o vapor entrar no seu corpo, você entre em contato com o seu sagrado feminino e renove as suas forças emocionais. Desperte o seu feminino nesse momento e encontre a cura do seu ventre!

Observação: é indicado que você use no máximo cinco ervas diferentes em cada vaporização. Se você utilizar mais do que cinco, o tratamento perde a eficácia.

Via 123RF

Ervas comumente indicadas:

Lavanda: erva relaxante que acalma o corpo e a mente. Nutre o sistema nervoso e possui ação antisséptica nos tecidos vaginais. Auxilia ainda na função uterina, por ser antiespasmódica;
Alecrim: promove o aumento da circulação dos órgãos reprodutivos, além de ser purificante;
Calêndula: induz a limpeza e a transpiração dos tecidos da vagina. Tem poder curativo para feridas, auxiliando na cicatrização de tecidos dos lábios;
Pétalas de rosa: são adstringentes para os tecidos vaginais e também possuem poder relaxante;
Artemísia: age como um estimulante da menstruação e da conexão com o feminino.

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]