Autoconhecimento Comportamento

Você pensa demais? Saiba como controlar o “overthinking”

Você é uma daquelas pessoas que pensa demais sobre seus problemas, sobre seus planos ou sobre uma questão específica? É possível que você esteja sofrendo de overthinking, que pode comprometer a sua capacidade de pensar de um jeito efetivo sobre sua vida. A seguir, aprenda a evitar esse problema.

Você é uma pessoa que pensa demais sobre determinadas situações? Se você está prestes a ter uma conversa importante, quanto tempo passa pensando sobre tudo que você vai falar? Com esses simples questionamentos você já consegue ter uma ideia do que se trata o ato de “overthinking”.

O termo em inglês “overthinking” é usado na psicologia para descrever o comportamento de uma pessoa que emprega muito tempo no ato de pensar sobre alguma coisa. Pode ser um pensamento sobre a própria vida, sobre o trabalho, sobre um relacionamento, sobre uma prova, sobre um projeto ou sobre um evento.

Se a palavra em inglês fosse traduzida ao pé da letra para o português, seria algo como “pensar exageradamente”. Esse excesso de pensamentos pode ser tanto de pensamentos positivos quanto de pensamentos negativos. É preciso tomar mais cuidado, é claro, quando os pensamentos negativos são aqueles que tomam conta da sua mente por um período longo de tempo.

O que causa do overthinking?

Imagem de um jovem negro pensativo. Ele está com uma das mãos segurando o queixo e veste uma camisa jeans azul clara e usa um óculos de grau.
Imagem de Artsy Solomon por Pixabay

A Universidade de Yale, dos Estados Unidos da América, realizou um estudo sobre overthinking com 1.300 pessoas, em 2016. Essa foi a primeira pesquisa a ser realizada sobre o tema, e os resultados foram alarmantes. Identificou-se que as mulheres costumam pensar exageradamente de forma mais frequente que os homens. Além disso, 63% dos jovens adultos e 52% dos adultos na faixa dos 40 anos de idade podem ser classificados como overthinkers, ou, em português, pensadores excessivos.

O overthinking é causado por muitos fatores e é bastante presente na atualidade. O acesso à informação e a consequente sobrecarga de conteúdo por parte das redes sociais estimula o pensamento sobre os mais variados tópicos, sem uma pausa para descansar. A falta de tempo é outro agravante para o overthinking, já que tudo deve ser resolvido rapidamente, levando a mente a pensar sobre vários tópicos de uma vez.

Em vez de as pessoas que são pensadoras excessivas pensarem de forma linear e organizada, elas acabam construindo inúmeros mapas mentais confusos com assuntos que sequer se relacionam. Elas sentem uma necessidade de resolver todos os problemas de uma vez e tentam construir mentalmente as cenas que ainda vivenciarão. Overthinking é um exercício cansativo.

Quais são as consequências do overthinking?

Além da exaustão provocada pelo ato de pensar demais, outras consequências negativas são desencadeadas pelo overthinking. De acordo com o artigo “Rumination as a mechanism linking stressful life events to symptoms of depression and anxiety: longitudinal evidence in early adolescents and adults”, produzido, em 2013, por pesquisadores estadunidenses, o overthinking pode desencadear transtornos mentais.

Deve-se considerar que, na época de produção do artigo, o termo usado para overthinking era “rumination”, traduzido como “ruminação” – o ato de ficar ruminando ou remoendo uma ideia. Em outras palavras, pensando demais. Independentemente do termo utilizado para descrever esse fenômeno, é esse processo que pode desenvolver um quadro de ansiedade.

A ansiedade é a preocupação excessiva sobre o futuro. Uma pessoa que sente medo ou insegurança acaba com a mente poluída por pensamentos que se relacionam ao que ela teme. Uma situação que está se aproximando ou algo desconhecido, como o futuro profissional, podem gerar overthinking. O excesso de pensamentos sobre a questão desenvolverá a ansiedade para que o evento aconteça logo, a fim de silenciar o overthinking.

Nesse caso, será necessário realizar um acompanhamento psicológico profissional. A ansiedade é um transtorno mental que não pode ser resolvido por conta própria. Se o overthinking assumir proporções difíceis de lidar, um(a) profissional da medicina é o auxílio mais adequado para lidar com essa questão.

Abandone o overthinking

Imagem de uma menina adolescente sentada próxima a uma janela bem grande e ao fundo um lindo jardim. A garota está pensativa.
Imagem de Jerzy Górecki por Pixabay

1) Coloque limites

Quando colocamos limites em uma questão, ela deixa de abrir inúmeras vertentes nas quais podemos pensar. O overthinking pode ser interrompido se organizarmos um tema em tópicos e avaliarmos cada um deles, organizando o pensamento de forma clara e objetiva. Limite os seus pensamentos para que eles sejam mais precisos.

2) Escreva um diário

Escrever um diário não precisa ser uma obrigação ou um compromisso. Você pode usar o seu diário quando sentir que está pensando demais sobre uma questão. Transformar seus pensamentos em palavras vai trazer materialidade para eles. Enquanto você estiver só pensando, talvez não se canse de pensar. Na hora de escrever, porém, você vai ver que não faz sentido passar horas escrevendo a mesma coisa.

3) Distancie-se da questão

O overthinking pode ser estimulado por determinados ambientes e por algumas pessoas. Se você está em um local com muitos estímulos visuais ou auditivos ou se está conversando com uma pessoa que faz muitas perguntas sobre determinada questão, experimente se afastar um pouco. O distanciamento dessa questão pode trazer mais clareza para quando chegar a hora de tomar uma atitude sobre ela.

4) Seja otimista

Outro fator que estimula o overthinking é o pessimismo. Uma série de pensamentos negativos começa a tomar forma e cria medo e insegurança a respeito de determinado tópico. Por isso, ao adotar pensamentos otimistas, além de pensar menos sobre a questão, você assumirá uma nova forma de olhar para o problema, podendo até encontrar uma solução para ele.

5) Adote uma atitude

O overthinking pode ser facilmente interrompido se você optar por agir em relação ao que está pensando. Em vez de passar horas considerando o que você pode fazer ou o que poderia acontecer, tome uma atitude sobre isso e acabe de vez com a incerteza. É uma forma de resolver a questão e impedir que ela volte a ocupar a sua mente.

Ao refletir sobre o tema overthinking, fica evidente a importância de reconhecer os efeitos negativos desse padrão de pensamento excessivo. A sobrecarga mental resultante do overthinking pode levar à exaustão, ansiedade e até mesmo transtornos mentais. É fundamental encontrar maneiras de lidar com esse comportamento, estabelecendo limites, organizando os pensamentos de forma clara e objetiva e buscando afastamento quando necessário.

Você também pode gostar

Além disso, adotar uma perspectiva otimista e tomar atitudes concretas em relação aos pensamentos excessivos pode ajudar a interromper esse ciclo prejudicial. Reconhecer que o acompanhamento profissional pode ser necessário em casos mais graves é crucial para buscar o suporte adequado. Ao romper o ciclo do overthinking, é possível conquistar uma mente mais tranquila e focada, permitindo uma abordagem mais equilibrada das questões que se apresentam na vida cotidiana.


Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para colunistas@eusemfronteiras.com.br