Autoconhecimento

Wild Wild Master, sobre Wild Wild Country – Parte 2/7 – Histórias com Osho

Olá! Eu falei no outro vídeo que o Osho dava entrevistas diárias, mas esqueci de falar o nome que essas falas reverteram em dois ou três volumes grossos e foi mudado também o nome desses livros, mas na época se chamava “The Last Testament – O Último Testamento”, também uma grande provocação ao sistema religioso a às ideias que o povo americano tinha. O último testamento!

Eu falei de comuna, não é mesmo? Lá nós não chamávamos de comunidade, no documentário se falava comunidade, comunidade, comunidade, o termo que nós usávamos era comuma. Que o Osho usava,  era comunaComuna está associado com o comunismo, na cabeça das pessoas, também é uma grande provocação para deixar o governo americano com o cabelo em pé. Quando a pessoa vai ver o Osho, ouviu o Osho, se ela tiver uma ideia pré-concebida do que um mestre espiritual deve ser, ela vai ficar chocada.

O Osho não se encaixa com a ideia estereotipada do que o mestre espiritual é. Ele é um revolucionário! A editora que publicava seus os livros na época se chamava “The Rebel – O Rebelde”. O advogado do Osho em um outro documentário feito muito tempo atrás, quando a palavra terrorista ainda não era apavorante, falou: “Osho é um terrorista e espiritual, no sentido de detonar as ideias que a gente tem do que ser espiritual é!”.

Existe um outro livro, que eu acho o nome fantástico, que conta muito a história do Osho, mas contada por ele mesmo, chamado: “Autobiografia de um místico espiritualmente incorreto”. Então, teve uma pessoa que entrou em contato comigo, mandou uma mensagem e falou: “Por que o Osho não seguia o que ele pregava já que ele tinha tanta riqueza?”. Bom, essa pessoa está supondo que por ser um mestre espiritual, ele pregava em favor da pobreza, o que não é verdade!

Dá para entender… A pessoa projeta uma ideia do que ele deveria ser e depois vê que não bate, falando que ele se contradiz, não se encontra em relação à pobreza. E é justamente o contrário, a ênfase dada é de que nós sejamos ricos interiormente e exteriormente. O conforto e a abundância devem ser integrais. Essa história de condenar a pobreza nada mais é do que um truque do sistema para calar a boca do povo!

Então, a fala mansa que se espera que um mestre tenha, o Osho não tem nada disso. É difícil explicar, mas eu vou contar uma piada, aquela que eu falei que ia contar, para ver que realmente ele não se encaixa no que um mestre deveria ser, na nossa ideia, ou deveria falar, ou deveria evitar…

Assista ao vídeo para conhecer a história na íntegra!


Assista os outros vídeos da série. Acesse:

Vídeo 1 Vídeo 3 Vídeo 4 Vídeo 5 Vídeo 6 Vídeo 7

Sobre o autor

Anand Nisargan

Anand Nisargan

Anand Nisargan é o criador do ESPAÇO PRESENÇA e focalizador de seus Retiros de Meditação.

Formado em Medicina na Unicamp, em 1994 abandonou seu trabalho como médico psiquiatra para tornar-se instrutor de meditação.

Bebeu da fonte do Mestre Osho em sua própria presença física e foi membro de suas comunas na Alemanha, Itália e Brasil, sendo tradutor de dezenas de seus livros e vídeos. Autor do livro “A Arte de Estar Presente”.

Site: espacopresenca.com.br
E-mail: [email protected]
Telefone: (12) 99700.5670 (Vivo | WhatsApp)