Budismo Espiritualidade

14 treinamentos budistas de plena consciência

Statue of Buddha space for your text
Eu Sem Fronteiras
Escrito por Eu Sem Fronteiras

Thích Nhất Hạnh, nascido no ano de 1926, no Vietnã, é um dos monges budistas mais conhecidos e admirados do mundo. Além disso, Thích é ativista dos direitos humanos e da paz, e um reconhecido poeta.

Esse mestre inspira e ensina. Seus 14 preceitos e treinamentos falam sobre entendimento e autoconhecimento em relação a si mesmo e às pessoas que estão ao seu redor. 

Conheça agora os 14 treinamentos da consciência plena e da ordem de Interser:

1º Treinamento: abertura

A intolerância e o fanatismo criam um sofrimento consciente. Não temos o costume de nos apegarmos ou de idolatrar ideologias ou teorias, nem sequer as budistas. Não existe no mundo doutrinas para matar, combater ou para morrer por ela. Em suas diversas vertentes, o fanatismo pode ser entendido como resultado de algo que passou despercebido em uma forma discriminativa e dualística. A fim de transformamos a violência e o que é dogmático no mundo e em nós mesmos, acabamos olhando tudo com percepção e abertura do nosso Interser.

2º Treinamento: desapegando de opiniões

Nós, seres humanos, somos apegados e limitamos nossa mente a opiniões. Devemos nos lembrar que o conhecimento que possuímos neste momento não é verdade absoluta e nem imutável. Encontramos verdades na vida, e através delas, devemos observar o que se passa ao nosso redor e com nós mesmos.

3º Treinamento: liberdade de pensamento

Todos nós somos livres. Quando passamos a impor para outras pessoas o modo que vemos o mundo ou a vida, acabamos por causar sofrimento. Dessa maneira, nos limitamos a não forçar os outros, por mais próximos que sejam, a tomarem como sendo deles, as nossas visões.

4º Treinamento: ciência de sofrer

Quando olhamos de modo profundo para o nosso próprio sofrimento, cultivamos compaixão e entendimento. Assim, somos condicionados a reconhecer, a voltar para nosso lar, a abraçar, a aceitar e escutar nosso sofrimento com atenção. Tudo que estiver ao nosso alcance, acabamos fazendo para encobrir ou mascarar este sentimento.

Somente no momento em que entendemos o que nos causa tanto sofrimento, é que conseguimos achar uma maneira de transformar esse sentimento. Dessa forma, conseguimos entender o sofrimento dos que nos cercam.

5º Treinamento: viva com compaixão e saúde

A felicidade pode ser encontrada em tudo que é sólido, na paz, na compaixão e na liberdade. Estes são sentimentos que devem ser preservados a qualquer custo.

6º Treinamento: cuide da raiva

A raiva é um sentimento prejudicial a nossa saúde. Além de causar sofrimento, ela acaba criando um bloqueio a nossa comunicação. Quando ela aparece, estamos focados em não dizer ou falar nada. Devemos exercitar a caminhada ou respiração consciente para abraçar, reconhecer e enxergar de maneira profunda a raiva.

As causas desse sentimento estão localizadas na nossa falta de entendimento e nas incorretas percepções do que nos aflige ou que causa sofrimento em outra pessoa. Quando passamos a admirar a impermanência, somos capazes de ver com compaixão tanto aqueles que chegamos a considerar serem os agentes causadores da nossa raiva, como nós mesmos, e reconhecemos o quanto nossos relacionamentos são importantes para nossa vida.

budistas

Você também pode gostar:
7º Treinamento: viva de maneira feliz o momento presente

A nossa vida é o aqui e o agora. Devemos viver intensamente o momento feliz. Não devemos perder tempo nos arrependendo do que fizemos ou deixamos de fazer no passado, nos preocupando com o que acontecerá no futuro, com raiva, vícios ou inveja.

A felicidade só depende de nós mesmos.

8º Treinamento: comunicação e comunidade verdadeira

Quando não nos comunicamos, acabamos sofrendo. Por isso, devemos nos habituar com a prática de ouvir de maneira amorosa e compassiva. O ideal é não fazermos julgamentos, e nunca pronunciar palavras que possam causar raiva, discórdia ou a quebra de confiança.

Sempre que surgirem conflitos, por menores que sejam, devemos trabalhar a fim de resolvê-los e não nos fazermos de vítima.

9º Treinamento: fala amorosa e verdadeira

A palavra dita pode deixar marcas profundas em alguém. Por isso, devemos nos comprometer a aprender a falar amorosamente, sinceramente e de maneira construtiva e respeitosa. Procure utilizar palavras que inspirem confiança, alegria e esperança. Devemos promover a paz e o sentimento de reconciliação entre as pessoas que nos cercam e em nós mesmos.

Quando não tivermos certeza de algo, não devemos repassar, condenar ou criticar. Dê sempre o seu melhor, se for para apontar situações de injustiça, ou até mesmo em ocasiões que possamos sentir que nossa segurança está ameaçada ou em dificuldades.

10º Treinamento: proteja e nutra a Sangha

O objetivo de uma Sangha é, sem dúvida alguma, promover a prática da compaixão e do entendimento, através de uma comunidade com pessoas que se interessam pela prática do Budismo. Em casos de conflito, posicione-se, mas não tome nenhum dos lados, tente apenas reverter a situação.

11º Treinamento: viva de maneira correta

Na nossa sociedade, existem muitas situações que consideramos injustas e de grande violência. Devemos dar o que temos de melhor para que a vida na Terra seja repleta de bem-estar para todos e para qualquer espécie presente.

Não invista em empresas, por exemplo, que causam o esgotamento das nossas reservas naturais, que prejudicam a vida dos seres no planeta ou que diminua as nossas chances de vida confortável.

12º Treinamento: reverencie a vida

A maior parte do sofrimento humano é causado pelos conflitos e pela guerra. Desde o momento em que nascemos, somos ensinados a não incitar a violência, e a cultivar diariamente a percepção do Interser e a compaixão, a promover a educação, a paz, a reconciliação e a meditação consciente.

13º Treinamento: pratique a generosidade

O roubo, a injustiça social, a exploração e a opressão podem causar sofrimento. Sabendo disso, nos comprometemos a adquirir e aprimorar generosidade em tudo que pensamos, na maneira que agimos e falamos.

Devemos aprender maneiras para proporcionar o bem-estar de animais, de pessoas, de minerais e de plantas. Respeite o que pertence aos outros.

14º Treinamento: conduta correta

Nossa mente e o nosso corpo são apenas um. Por isso, devemos nos atentar ao sofrimento que podemos causar no futuro, por relações afetuosas. Respeitar os nossos próprios compromissos e os direitos é essencial para preservarmos nossa própria felicidade e a dos indivíduos ao nosso redor.

É necessário ter a consciência de que possuímos a missão de gerar novas vidas para o planeta.


Texto escrito por Flávia Faria da Equipe Eu Sem Fronteiras. 

Sobre o autor

Eu Sem Fronteiras

Eu Sem Fronteiras

O Eu Sem Fronteiras conta com uma equipe de jornalistas e profissionais de comunicação empenhados em trazer sempre informações atualizadas. Aqui você não encontrará textos copiados de outros sites. Nossa proposta é a de propagar o bem sempre, respeitando os direitos alheios.

"O que a gente não quer para nós, não desejamos aos outros"

Sejam Bem-vindos!

Torne-se também um colunista. Envie um e-mail para [email protected]