Espiritualidade

É possível ter um relacionamento saudável? Pratique o autoamor!

Nadya Prem
Escrito por Nadya Prem



Os conflitos conjugais são parte de toda relação.

Entre a dor e o prazer, o sofrimento e a paz, os relacionamentos ensinam a arte de amar. Esta é nossa grande missão. Aprender e crescer com o convívio, que exemplifica na prática o que precisamos mudar em nós mesmos. Todo casal passa por dificuldades e problemas de toda ordem. Na adversidade é que o casal tem a oportunidade  de fortalecer a relação em bases sólidas que se constroem pelo amor!

É preciso ver o outro não como um competidor e sim como um companheiro.
Perceber que cada um tem seu papel na relação e pode contribuir positivamente durante as crises. Às vezes, pelos motivos mais toscos, as discussões começam e a batalha da competição toma conta da relação.  Quem for mais “durão” receberá o troféu. Esta é a cara do ego! Ele pensa por si mesmo e pouco se importa em tomar consciência.

Mas, assim como o egoísmo induz as reações emocionais mais insanas, ele também acaba promovendo o sofrimento interior. Ah, aí nos vemos sozinhos em um canto, sem saber o que fazer com os cacos que foram deixados. Arrependimento, dor, solidão… Este é o momento em que na calma do egoísmo, o coração e a consciência se manifestam, mostrando que de nada adiantou todo aquele furdúncio.

Por isso, antes de qualquer emoção destrutiva, temos que aprender a expandir nossa consciência. O tão famoso autoconhecimento. Primeiro, aprender a não culpar o outro pelo que sentimos, pensamos e fazemos. Ter consciência de nossa responsabilidade na relação.

Reconhecer quando estamos sendo norteados pelo ego:
  • Exigir demais do outro, querer tomar posse, manipular.
  • O ciúme em excesso é um veneno que acaba com qualquer possibilidade de uma relação saudável.
  • Criticar, julgar e condenar o parceiro, sempre o colocando como culpado por seu sofrimento e pela infelicidade conjugal.
  • Fazer o papel de carente e vitima o tempo todo.

Estas e tantas outras armadilhas que veremos e conversaremos em outros artigos, são imposições do ego que devemos eliminar. Muitas vezes o amor não acontece, porque nos falta o reconhecimento de nós mesmos.  Não saber como lidar com as nossas emoções. Reagimos sem consciência, de forma automática.

shutterstock_177011918-2O amor é sempre libertador para o casal. Ele fluirá na relação a cada conflito, ensinando e tornando gratificante a relação. Porém, para que ele se manifeste é preciso atenção para perceber em que ponto você está sendo inflexível, julgador, limitado. Pare de focar o outro e entre em contato com você!

Sim, este é o caminho da relação saudável. Pratique o autoamor.

Quando você desperta sua consciência, você para de depender do seu parceiro e deixa de se manifestar no egoísmo.

O autoamor é o caminho para amar a si e ao próximo.

Segundo passo:

Pratique a autoconsciência. Pare de reclamar da relação, do outro e de si mesmo. O autoamor começa quando aceitamos quem somos e então, também começamos a aceitar o outro como é, luz e sombras. Todas as mudanças, como sempre falo, fazem-se na prática. Esqueça as receitas que trazem teorias mirabolantes. Somos corpo, mente, sentimentos, energia e espiritualidade. O ser multidimensional que se manifesta nas emoções.  Nenhum destes elementos podem ser desprezados.

Vamos começar a praticar?

Meditação

Sempre que falarmos em prática por aqui,  teremos a meditação como uma poderosa ferramenta. Tem muita gente que confunde o que é a prática meditativa e o estado de meditação.

Procurarei trazer em cada artigo, um tanto sobre como ela pode alterar seu padrão de saúde ou desequilíbrio, seja em que setor de sua vida estivermos trabalhando terapeuticamente.

Hoje, você irá realizar a prática do autoamor.

  • Em um local sossegado e aconchegante, sente-se em posição confortável, procurando manter a coluna e cabeça eretas.
  • Você pode preparar o ambiente com uma música suave e um aromatizador, com algumas gotas de óleo essencial de lavanda.
  • Feche os olhos e leve seu foco para o peito, para o coração.
  • Procure sentir ele pulsando e cumprimente-o.
  • Visualize a energia da luz rosa que dele se expande como um sol rosado em todas as direções.
  • Nele habitam sua essência espiritual e o amor incondicional.
  • Imagine, sinta, visualize a mão de um anjo tocando seu centro cardíaco ao mesmo tempo em que você com suas mãos também literalmente, o toca.
  • Neste momento você e este anjo se tornam Um em contato com seu coração.
  • Peça cura e paz interior ao anjo.
  • Fique nesta prática por quanto tempo considerar necessário, sentindo-se amado e amparado.
  • Perceba a luz rosa envolvendo toda sua aura e o ambiente.
  • Uma paz imensa irá lhe preencher a alma.

Sobre o autor

Nadya Prem

Nadya Prem

Formada em Administração de Empresas e Gestão de Recursos Humanos, Técnica em Naturopatia, Acupunturista. Estudiosa e pesquisadora dos estados alterados de consciência, mediunidade e psicopatologias. Unindo ciência e espiritualidade, desenvolvi junto aos meus guias a ORIENTTI (Orientação Terapêutica Transpessoal Integrativa). Há mais de 30 anos de atuação na esfera transpessoal, médium ostensiva de incorporação e cura, desde a adolescência, buscadora do entendimento e desenvolvimento transpessoal. Atendimento presencial em São Paulo e Itupeva e a distância por skype ou e‐mail. Para mais informações sobre orientação e terapia, agendamento e valores, envie um e‐mail.

E-mail: [email protected]
Blog: www.psicologiaespiritualista.blogspot.com.br
Facebook: /nadya.r.s.prado